Três chapas disputam comando do Sindicato dos Servidores de Caxias do Sul - Política - Pioneiro

Funcionalismo municipal01/12/2016 | 08h16Atualizada em 01/12/2016 | 10h13

Três chapas disputam comando do Sindicato dos Servidores de Caxias do Sul

Mais de 5 mil funcionários estão aptos a votar nesta quinta e sexta-feira 

O funcionalismo público municipal de Caxias do Sul escolhe nesta quinta e sexta-feira a nova direção do Sindicato dos Servidores Municipais, o Sindiserv. São 5.114 servidores aptos a votar em uma das três chapas que disputam o comando da entidade para os próximos quatro anos. 

Leia mais
Vice-prefeito eleito de Caxias é cotado para a Secretaria de Segurança Pública
Projeto que autoriza doação de sobras de comida em Caxias do Sul está prestes a virar lei
Estreante na Câmara de Caxias do Sul, Alceu Thomé quer focar na agricultura e segurança

Pela situação, concorre Marcos Antônio da Silva, secretário-geral da atual gestão. Entre as propostas, a ampliação da campanha de valorização do servidor e o fortalecimento do Fundo de Aposentadoria e Pensão do Servidor (FAPS). 

— Também vamos cobrar do prefeito eleito Daniel Guerra o cumprimento da carta-compromisso, assinada por ele durante a campanha eleitoral. 

Pela oposição, são duas chapas. A 1 é liderada por Silvana Piroli, ex-vereadora e presidente municipal do PT. O grupo defende bandeiras como a manutenção de direitos trabalhistas e rechaça propostas como a PEC do Teto dos Gastos. 

— O plano de carreira é importante não só para os servidores, mas para a sociedade, porque qualifica o serviço público — acrescenta Silvana, que já foi presidente do Sindiserv entre 1989 e 1993. 

A chapa 2, encabeçada por Túlio dos Reis da Silva, também se preocupa com temas nacionais, como a PEC e o projeto Escola Sem Partido, e com questões locais, como a revisão do estatuto do servidor e a criação de novos conselhos por território para aproximar os funcionários por regiões. 

— A maior diferença entre a nossa chapa e as demais é a questão da desfiliação da CUT. Entendemos que a CUT se converteu num aparato que blinda determinados governos. Defendemos um sindicato independente, sem filiação à central sindical. 

São cerca de 7,7 mil servidores ativos e 2.660 inativos. Destes, 5,4 mil estão associados. Pode votar quem se associou ao sindicato até o mês de março (seis meses antes da eleição) e está em dia com suas contribuições. 

Embora as chapas se digam independentes, todas têm integrantes com algum vínculo partidário. A de situação representa a direção hoje comandada por João Dorlan, do PCdoB, que também integra a nominata. Marcos, candidato a presidente, não tem filiação partidária. 

Os candidatos das outras duas chapas são filiados a partidos: Silvana ao PT e Túlio ao PSOL. Na chapa de Silvana, há membros de outros partidos, inclusive do próprio PSOL. E na chapa de Túlio, há membros de outras sigla, como também do próprio PT, assim como os ditos independentes, ou seja, sem ligação partidária. 

Conheça os candidatos: 

Silvana Piroli é a candidata da chapa 1 Foto: Márcia Carvalho / Divulgação

Chapa 1 - Renovar e Resistir: Nenhum direito a menos!
Presidente: Silvana Piroli
Idade: 52 anos
Função: professora
Tempo de serviço público: 32 anos

Túlio dos Reis da Silva é o candidato da chapa 2 Foto: Márcia Carvalho / Divulgação

Chapa 2 - Mobilização Permanente
Presidente: Túlio dos Reis da Silva
Idade: 30 anos
Função: professor
Tempo de serviço público: 5 anos 

Marcos Antônio da Silva é o candidato da chapa 3 Foto: Márcia Carvalho / Divulgação

Chapa 3 - Juntos e Unidos Somos Mais Fortes - O Sindicato para os Servidores
Presidente: Marcos Antônio da Silva
Idade: 49
Função: secretário de escola
Tempo de serviço público: 21 anos

A votação ocorre na quinta, das 8h às 21h, e na sexta, das 8h às 17h30min. Serão 32 urnas, sendo oito eletrônicas fixas nos setores com maior números de votantes, e mais 24 urnas volantes, que irão passar nos setores e no interior do município. Mais informações no site sindiserv.com.br

 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros