Vereador reeleito em Caxias do Sul, Rafael Bueno surpreende no PDT - Política - Pioneiro

Eleições 201612/10/2016 | 16h37Atualizada em 12/10/2016 | 16h37

Vereador reeleito em Caxias do Sul, Rafael Bueno surpreende no PDT

Ele obteve 3.538 votos no partido, onde entrou após deixar o PCdoB

Vereador reeleito em Caxias do Sul, Rafael Bueno surpreende no PDT Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Bueno foi o mais votado do PDT em Caxias do Sul Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Surpresa. Rafael Bueno, 25 anos, é o vereador mais votado do PDT e desbancou nomes históricos no partido. Ele conquistou 3.538 votos e é o vereador mais jovem reeleito ao Legislativo caxiense. O sexto mais votado diz que suas bandeiras são a educação, a segurança e a saúde.

Leia mais
Governabilidade deve movimentar debate eleitoral em Caxias 
Veja ideias dos prefeitos reeleitos de Bento, Farroupilha e Flores da Cunha
PMDB comanda 40% das prefeituras da Serra Gaúcha

A precocidade é algo natural na vida do vereador. Aos 10 anos, o aluno da 5ª série disputou sua primeira eleição para o Grêmio Estudantil da Escola Municipal Giuseppe Garibaldi. Venceu as outras duas chapas, mas não assumiu porque, no ano seguinte, mudou de escola devido aos conflitos com alguns professores.

— Lembro que nós reclamávamos bastante da merenda e da cobertura do pátio da escola. Eu batia sempre com o que estava errado. Não me conformava. Não era conivente — ressalta.

Apesar dos conflitos, Rafael lembra com carinho dos passeios que os professores promoviam com os alunos em locais públicos como parques e o zoológico, mas dois cativaram o estudante: a Biblioteca Pública e a Câmara de Vereadores. Durante cinco anos, o jovem assistiu às sessões na plateia do Legislativo.

— Eu estudava de manhã e, à tarde, ia para a Biblioteca Pública fazer pesquisas da escola na internet e trabalhos no computador ou ficava lendo revistas e jornais. Depois, ia para a Câmara e ficava assistindo aos debates. Não entendia nada do que acontecia. Acho que eu gostava das brigas — conta.

Para o professor de História e estudante de Sociologia da UCS, os pais, o Colégio Madre Imilda, onde estudou da 6ª série até o final do ensino médio e o Grupo Escoteiro Moacara, do qual participou por três anos, foram os pilares da formação humana.

— A minha família sempre foi a base de tudo, e a escola me mostrou princípios e valores de cidadão. O Moacara me deu certa autonomia e despertei o interesse e o respeito pelo meio ambiente.

Em 2009, depois de unificar os moradores do bairro Cristo Redentor, assumiu a presidência da associação dos moradores. Com 17 anos, tornou-se o presidente mais jovem do movimento comunitário de Caxias. Dois anos mais tarde, Rafael se reelegeu para conduzir a Amob.

— Na primeira eleição (para a Amob), a comunidade estava dividida. Concorri em chapa única e recebi 281 votos. Faltou cédula no dia da eleição — lembra.

Rafael conta entre as conquistas da Amob uma academia da melhor idade, melhorias de paradas e linhas de ônibus, o asfaltamento de uma rua e sinalização viária. Mas faltava a construção do posto de saúde.

— Tivemos que fazer três reuniões, a primeira com 710 pessoas. No ano seguinte, deu 810 e, no outro, 579. Somamos R$ 2,5 milhões (no Orçamento Comunitário) e, na época, o (então prefeito José Ivo) Sartori não quis fazer o posto.

Em 2011, após receber o incentivo de moradores do Cristo Redentor, decidiu concorrer ao Legislativo. Rafael comenta que o apoio dos vizinhos foi fundamental para alcançar a primeira vitória, com 1.838 votos. O resultado foi uma surpresa.

— Meu pai me ajudava na campanha depois que terminava de trabalhar. Na primeira vez, não tinha dinheiro, nem apoio de empresário e nem estrutura. Os vizinhos nos davam refeições para a gente ter mais tempo de visitar as pessoas. Eles também nos ajudavam a colocar faixas e a distribuir o material de campanha.

Rafael atribui a reeleição ao trabalho dos quase quatro anos e à posição contrário ao aumento de salário e do número de vereadores — de 23 para 25.

— Não sou vereador de gabinete, meu trabalho é diário. O vereador que trabalhou não precisa se desesperar e sair pagando galeto, distribuindo uniforme de futebol e dando gasolina.

Dançar em clubes

Rafael é o filho único de Renê Bueno e Vera Rech, ambos de 57 anos. A família mora no bairro Cristo Redentor. Quando criança, brincava com os amigos de bicicleta e de roller no Parque dos Macaquinhos. Também jogava bola e taco no meio da rua.

— Nunca gostei de jogar videogame sozinho. Sempre gostei de conviver com o maior número de pessoas possíveis.

Atualmente, quando não está fazendo política seu lazer preferido é dançar em clubes de música gaúcha.

— Aprendi a dançar com minha mãe na sala de casa.

Bueno foi o mais votado do PDT em Caxias do Sul Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Trajetória
- Presidente da Associação de Moradores do Bairro Cristo Redentor (2009 a 2013).
- Em 2012, eleito vereador pelo PCdoB com 1.838 votos.
- Recebeu 6.101 votos para deputado estadual na eleição de 2014.
- Vereador reeleito pelo PDT com 3.538 votos. 

Bandeiras
- Na educação: continuar lutando pela extensão da UFRGS, por melhores condições de infraestrutura nas escolas municipais e estaduais e pela valorização dos professores.
- Segurança pública.
- Na saúde: continuar buscando emendas parlamentares.

 
 

Siga o Pioneiro no Twitter

  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comApós repercussão, organizadores desistem de pancadaria no Dia do Soco, em Caxias https://t.co/8UtQmQG3SB #pioneirohá 4 horas Retweet
  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comPioneiro Esportes https://t.co/u511DH3PIJ #pioneirohá 6 horas Retweet

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros