Tristeza e alegria no reencontro dos vereadores de Caxias do Sul - Política - Pioneiro

Câmara04/10/2016 | 19h49Atualizada em 04/10/2016 | 20h03

Tristeza e alegria no reencontro dos vereadores de Caxias do Sul

Dos 23 vereadores, oito não conseguiram a reeleição

Tristeza e alegria no reencontro dos vereadores de Caxias do Sul Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Arlindo Bandeira (E) e Neri, O Carteiro (sentado) se reelegeram. Adelino Teles e Guila Sebben foram derrotados Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Um misto de tristeza e alegria. Assim foi a primeira sessão da Câmara de Vereadores após a eleição municipal, na tarde de ontem. O encontro dos eleitos e não-eleitos antes e durante a sessão foi acompanhado por felicitações para os que se reelegeram e de reconhecimento pela participação no processo eleitoral para aqueles que saíram derrotados das urnas.

Dos 23 vereadores da atual legislatura, oito reduziram a votação e ficaram de fora: Adelino Teles (PMDB), Ana Corso (PT), Guila Sebben (PP), Jaison Barbosa, Jó Arse e Pedro Incerti, os três do PDT, Renato Nunes (PR) e Zoraido Silva (PTB).

Entres os argumentos para os derrotados estão a grande quantidade de candidatos nessa eleição, a falta de acompanhamento da população do trabalho dos vereadores, brigas internas do partido, o período de 45 dias para campanha. Nenhum vereador batido reconheceu qualquer tipo equívoco na atuação parlamentar.

QUEM NÃO SE ELEGEU

Adelino Teles (PMDB)

"Eu tive uma posição firme na defesa da coligação (para a majoritária, entre PDT e PMDB) e perdi apoio de uma ala do partido. Além disso, enfrentei dificuldades financeiras. Também passei um ano e meio dizendo que não seria candidato e atendi ao apelo do presidente (do PMDB) Luiz Zechin (para concorrer). Aí, as pessoas já estavam comprometidas com outros candidatos."

Ana Corso (PT)
"Eu e o Pepe (Vargas) somos muito ligados. Temos o carimbo do PT na testa, e a onda de criminalização e o massacre diário no partido reflete nas figuras que têm essa marca. Minha derrota se deve muito a isso."

Guila Sebben (PP)
"Tinha a expectativa de aumentar minha votação. Esperava o reconhecimento pelo trabalho realizado, pelos meus posicionamentos claros e projetos apresentados. Mas tenho que agradecer aos 1.677 votos."

Jaison Barbosa (PDT)
"Sou o primeiro suplente do meu partido. Tinha muitos candidatos nas regiões que atuo (Esplanada e Cruzeiro). Não me elegi por 100 votos. Além disso, a população não acompanha o trabalho feito da Câmara."

Jó Arse (PDT)
"Todos os vereadores baixaram a votação. Ainda vamos fazer uma análise mais detalhada dos votos nas urnas e buscar saber onde erramos. Está bem difícil de fazer política. Não encontramos o caminho para chegar nas pessoas."

Pedro Incerti (PDT)
O vereador disse que irá se manifestar somente após o segundo turno.

Renato Nunes (PR)
"Fui eleito e reeleito pelo povo da Igreja Universal. Sabia que tinha perdido aquele apoio. Sempre me coloquei à disposição para apoiar o Guerra e ele para me apoiar, mas não sabia que ele ia colocar o irmão para concorrer. Vou seguir fazendo campanha, com certeza. Meu nome é Renato Nunes Guerra. Minha palavra eu cumpro."

Zoraido Silva (PTB)
"Toda eleição apresenta uma dificuldade. Fizemos um trabalho sem fazer promessa, e apresentando os projetos que viraram lei para a cidade. Todos baixaram a votação. Tem vereadores com redutos eleitorais e os meus votos são esparramados. Também tivemos dificuldades de chegar até o nosso eleitor por falta de tempo."

 
 

Siga o Pioneiro no Twitter

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros