PT não apoia oficialmente, mas demonstra "compreensão" aos votos pró-Guerra - Política - Pioneiro

Mirante08/10/2016 | 08h33Atualizada em 08/10/2016 | 08h33

PT não apoia oficialmente, mas demonstra "compreensão" aos votos pró-Guerra

Tudo o que os petistas não querem é a vitória de Néspolo, Sartori e Alceu


PT do candidato derrotado Pepe Vargas trabalha para tirar atual grupo do comando da prefeitura de Caxias do Sul Foto: Jonas Ramos / Agencia RBS

Ao decidir não dar apoio formal nem a Daniel Guerra (PRB), nem a Edson Néspolo (PDT), neste segundo turno da disputa à prefeitura, o PT seguiu o que o deputado federal Pepe Vargas anunciou logo após sua derrota no domingo: que será oposição ao projeto que for eleito. "Nenhum dos dois projetos políticos que foram ao segundo turno são de nossa responsabilidade e não representam nossas posições", diz a resolução do diretório do PT tirada na noite de quinta-feira.

É nítida a inclinação ao representante do PRB, como já era previsto. Não há apoio formal, mas a nota distribuída pelo partido demonstra que a adesão à candidatura de Guerra é aceitável, já que a reconhece como de oposição ao atual governo municipal.

Tudo o que os petistas não querem é que Néspolo, o governador José Ivo Sartori (PMDB) e o prefeito Alceu Barbosa Velho (PDT) vençam.

Leia Mais: 
Adversários com jeito de inimigos
Primeiro debate entre Guerra e Néspolo é marcado por provocações
Postagem de vereadora do PT acirra embate com PDT em Caxias do Sul
Eleição de Gladis Frizzo, a quarta vereadora mais votada de Caxias do Sul, mostra a força do Desvio Rizzo

"Compreendemos as manifestações de eleitores que votaram na nossa candidatura no primeiro turno e agora votarão em Daniel Guerra para impedir a vitória do continuísmo", diz a resolução.

Terça-feira, a vereadora Ana Corso fez uma postagem em seu Facebook resgatando declaração de Alceu, em que se referia ao PT como bando de ladrão. Ela classificou de imunda a campanha dos governistas contra seu partido.

A manifestação do PT na resolução é bem dura em relação a Néspolo. Acusa a campanha do governista de ter adquirido contornos fascistas "ao propor que os eleitores votassem pelo fim do PT, criminalizando somente e todos os petistas pela corrupção".

O posicionamento da campanha do pedetista é considerado hipocrisia, por vir de "um bloco de partidos que tem o maior número de investigados ou condenados pela operação Lava-Jato, inclusive Eduardo Cunha, do PMDB, sigla do seu candidato a vice-prefeito (Antonio Feldmann). E o PDT, recentemente, teve o deputado Bassegio cassado pela Assembleia Legislativa por amealhar parcela dos salários dos seus assessores".

Os governos dos peemedebistas Sartori e Michel Temer não foram esquecidos.

"A coligação de Néspolo representa não só o governo Sartori, mas também as principais forças que dão sustentação ao ilegítimo governo Temer e sua agenda de ataque aos direitos dos trabalhadores", frisam os petistas.


 
 

Siga o Pioneiro no Twitter

  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comProstituição e consumo de drogas em rua de Caxias do Sul incomodam moradores https://t.co/2YNgSIckWC #pioneirohá 10 horas Retweet
  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comVisate afirma que prefeitura de Caxias está descumprindo "ordenamento legal" ao não levar em conta custos da empresa …há 10 horas Retweet

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros