Eleito vereador em Caxias, Chico Guerra quer dar continuidade ao trabalho do irmão Daniel Guerra - Política - Pioneiro

Eleições 201617/10/2016 | 09h01Atualizada em 17/10/2016 | 09h01

Eleito vereador em Caxias, Chico Guerra quer dar continuidade ao trabalho do irmão Daniel Guerra

Candidato do PRB fez 3.133 votos e assume em janeiro vaga na Câmara

Eleito vereador em Caxias, Chico Guerra quer dar continuidade ao trabalho do irmão Daniel Guerra Diogo Sallaberry/Agencia RBS
Chico é irmão do candidato a prefeito de Caxias pelo PRB, Daniel Guerra Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

Não fosse o vereador Daniel Guerra (PRB) concorrer à prefeitura na eleição deste ano, Francisco Guerra (PRB) não teria disputado uma vaga ao Legislativo caxiense. Chico, como é conhecido, só entrou na política para "substituir" o irmão. Com a decisão de disputar a majoritária, a família considerou mais adequado um dos manos concorrer. Chico foi o escolhido. 

Leia mais
Foco nas propostas é prioritário na reta final da eleição em Caxias
Professor Paulo Périco conquista uma vaga na Câmara de Vereadores
PEC 241 preocupa líderes na Serra

O estreante acompanha a trajetória do irmão na Câmara desde o primeiro mandato, por isso, a atividade não é novidade para ele. Chico, inclusive, diz ter opinado em diversos projetos apresentados por Guerra nesses últimos 12 anos. Por isso, o trabalho que ele pretende desenvolver não será muito diferente do feito pelo irmão:

— Vou continuar com a mesma postura que ele teve, até porque os meus princípios e valores são os mesmos. É aquela história, o fruto é da mesma árvore. As bandeiras que ele defendeu serão as mesmas que defenderei. Vai ser outro Daniel lá dentro, só que é o Chico. 

O novo vereador, eleito com 3.133 votos, planeja um mandato voltado às necessidades dos bairros. Para isso, quer ouvir as pessoas e envolver as comunidades. Chico também irá focar seu trabalho na fiscalização ao Executivo. Mesmo se o prefeito eleito para os próximos quatro anos for o irmão, ele promete uma ação intensa. 

— Minha prestação de contas, no dia que eu morrer, não vai ser com minha mãe, esposa, filhos nem com irmãos. Se eu fizer qualquer coisa contra meus princípios, favorecendo meu irmão, vou prestar contas depois a Deus. Não passa pela minha cabeça proteger o Daniel se ele for prefeito. Poderia apostar que ele jamais vai fazer alguma coisa. Vai ficar muito fácil de legislar, até para os outros 22, porque ele vai trazer as demandas sempre favoráveis à coletividade — garante. 

Família é tudo 

Além de Daniel, Chico, 48 anos, tem outros cinco irmãos. E estar com eles é uma das coisas que mais gosta. Os programas de final de semana são, rigorosamente, almoçar ou com eles e a mãe Ignez ou com os sogros. Durante a semana, ele procura estar com os irmãos, seja no almoço ou no jantar. Férias também são em família. Casado com Patrícia, 41, e pai de Nicole, 11, e Guilherme, 5, Chico divide as prioridades de sua vida em três pilares.

— Primeiro, a saúde. Em segundo, a família e, em terceiro, o trabalho. Boto a saúde em primeiro, porque tenho que me cuidar para poder cuidar dos filhos. E depois a questão do trabalho. Família e filho pra mim é tudo — explica, emocionado. 

Durante a campanha, Chico passou por um grande susto. A filha, que pratica ginástica olímpica, sofreu um sério acidente. Ela caiu de uma altura de aproximadamente três metros e bateu a nuca no chão. A menina teve traumatismo craniano e ficou três dias internada na UTI. Felizmente, se recuperou em menos de uma semana e não ficou com nenhuma sequela:

— Sei que Deus permitiu por alguma coisa. Talvez, para eu dar um tempo na campanha. Pelo tamanho do acidente, foi um milagre. 

Segunda casa 

A nova função, a partir de 1º de janeiro de 2017, mudará a vida de Chico. O contador, que trabalha no financeiro de uma loja de automóveis, deixará o emprego. Mas uma atividade ele não largará de jeito nenhum: o voluntariado na igreja São Pelegrino. Na paróquia considerada sua segunda casa, Chico irá continuar desenvolvendo o trabalho de ministro da Eucaristia e de membro da Pastoral do Batismo. 

_ Como a gente é bem católico, a gente coloca na mão de Deus. Não tenho dúvida também que foi uma bênção de Deus eu ter entrado (na política). Eu sentia dentro de mim que tinha que fazer alguma coisa. Numa celebração da santa missa, eu estava ouvindo o sermão do padre e ele disse: "a hora que você está acomodado, que a sua vida está muito simples e você não tem mais ideal, você já está morto. Aquilo me tocou bastante, só me deu a certeza que estava tomando o rumo certo — finaliza. 

Chico é irmão do candidato a prefeito de Caxias pelo PRB, Daniel Guerra Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

Trajetória
- Graduado em Ciências Contábeis, com especialização em Gestão Empresarial
- Integrante da paróquia São Pelegrino, como ministro da comunhão e membro da Pastoral do Batismo 

Bandeiras
- Fiscalizar o Executivon Diálogo com a comunidade
- Proposição de projetos de acordo com as necessidades dos bairros

 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros