Política, Pioneiro.com, clicRBSPioneiro.comhttp://pioneiro.clicrbs.com.br/rs/urn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-iatom© 2011-2018 clicrbs.com.br2018-06-22T09:30:33-03:00urn:publicid:clicrbs.com.br:24436963Receita cai R$ 1,5 milhão em junho, em Caxias do SulArrecadação na cidade será prejudicada por conta da greve de caminhoneiros realizada no fim de maio2018-06-22T09:30:33-03:002018-06-22T09:30:33-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSDiogo SallaberryReceita cai R$ 1,5 milhão em junho, em Caxias do SulPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24436963Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-receita-cai-r-1-5-milhao-em-junho-em-caxias-do-sul-10384659Receita cai R$ 1,5 milhão em junho, em Caxias do SulArrecadação na cidade será prejudicada por conta da greve de caminhoneiros realizada no fim de maio2018-06-22T09:30:33-03:002018-06-22T09:30:33-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brA receita do Estado, que vinha bem até maio, deve ser fortemente impactada pela greve dos caminhoneiros. Embora a paralisação tenha ocorrido no mês passado, é em junho que os reflexos devem ser sentidos. A estimativa da Receita Estadual é de uma perda de arrecadação de impostos de R$ 160 milhões – R$ 70 milhões somente no comércio. Em Caxias do Sul, pode ficar na casa de R$ 1,5 milhão. – O leite que foi jogado fora, o frango que morreu, o quilômetro que não foi rodado, isso não tem como recuperar. A preocupação maior é que a economia retome – destacou o subsecretário da Receita Estadual, Mario Luis Wunderlich dos Santos em passagem por Caxias nesta semana para discutir resultados e planejar ações na região. O saldo da Delegacia Regional da Receita Estadual de Caxias do Sul (3ª DRE) no combate à sonegação, por exemplo, é positivo: R$ 145 milhões de créditos tributários constituídos somente neste ano, o que representa um crescimento de 62% em relação a 2017, quando foi de R$ 90 bilhões. A delegacia responde por cerca de 12% do total registrado no combate à sonegação no Estado de janeiro a maio deste ano. Em todo o RS, o montante é de mais de R$ 1,2 bilhão.Foto: O combate à sonegação, aliás, deve se intensificar na região, assim como uma forte cobrança aos devedores contumazes, que são aqueles que declaram, mas não pagam suas dívidas. Caxias também registra 10% de índice de inadimplência no IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores), equivalente a R$ 14,5 milhões que ainda devem ser recebidos pelo Estado. Na área abrangida pela 3ª DRE, o percentual de inadimplência financeira é de 8,8% (R$ 29,1 milhões ainda não pagos).As blitze de IPVA também continuarão sendo realizadas. A última feita em Caxias, no dia 13, vistoriou 774 veículos. Desses, 56 contribuintes foram advertidos sobre o atraso no pagamento do IPVA ou outra pendência e 35 motoristas que estavam com o licenciamento vencido tiveram os veículos guinchados – a operação foi realizada simultaneamente em outras 12 cidades gaúchas. Foto:Porto Alegre, RSPioneiro.comReceita cai R$ 1,5 milhão em junho, em Caxias do SulPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-receita-cai-r-1-5-milhao-em-junho-em-caxias-do-sul-10384659Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24436232"Vou até o final deste governo", diz novo secretário de Saúde da prefeitura de CaxiasQuarto a ocupar o cargo, Geraldo da Rocha Freitas Júnior esteve em audiência com a Comissão de Saúde da Câmara de Vereadores2018-06-22T08:02:43-03:002018-06-22T08:02:43-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSDaniel Corrêa"Vou até o final deste governo", diz novo secretário de Saúde da prefeitura de CaxiasPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24436232Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-vou-ate-o-final-deste-governo-diz-novo-secretario-de-saude-da-prefeitura-de-caxias-10384724"Vou até o final deste governo", diz novo secretário de Saúde da prefeitura de CaxiasQuarto a ocupar o cargo, Geraldo da Rocha Freitas Júnior esteve em audiência com a Comissão de Saúde da Câmara de Vereadores2018-06-22T08:02:43-03:002018-06-22T08:02:43-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brO secretário da Saúde, Geraldo da Rocha Freitas Júnior, o quarto a assumir a pasta em um ano e meio de administração do prefeito Daniel Guerra (PRB), disse nesta quinta-feira que ficará no cargo até o final do governo.— Eu assumi com esse compromisso, vou até o final deste governo. A afirmação foi feita na audiência pública de prestação de contas da secretaria no primeiro quadrimestre de 2018.Titular da pasta mais polêmica, Rocha Freitas disse que não vai reinventar a roda e vai dar continuidade às ações iniciadas e desenvolvidas pelos secretários que o antecederam. Já passaram pela pasta Darcy Ribeiro Pinto Filho, Fernando Vivian e Deysi Piovesan. Vivian quando assumiu também disse que só sairia quando acabasse a atual gestão. No primeiro encontro com os vereadores, ele falou em trabalho conjunto com o Legislativo e com o Conselho Municipal de Saúde, “para chegar no denominador comum e atender da melhor forma”. Sobre a gestão compartilhada pretendida para o Postão, Freitas Rocha afirmou que não irão comercializar a saúde pública, pelo contrário, que a intenção é criar um modelo, ser um case de sucesso, mas com um trabalho conjunto.O vereador Renato Oliveira (PCdoB), presidente da Comissão de Saúde, entregou um ofício sugerindo a realização de um mutirão de saúde para a redução das filas de espera para consultas especializadas, exames e cirurgias. No dia 25 de julho deve ocorrer um encontro para discutir a participação dos municípios da Serra no custeio das instituições. Oliveira disse que saiu satisfeito, porque o secretário garantiu diálogo.Na prestação de contas, foi apontado que o Executivo aplicou 20,48% da sua arrecadação em saúde, de 1º de janeiro a 30 de abril de 2018 (R$ 73,5 milhões do total de R$ 358,9 milhões de arrecadação). Houve um aumento de 0,7%, se comparado ao mesmo período de 2017. O percentual de aumento de um ano para o outro é baixo para uma área que integra o topo das prioridades da atual gestão O diálogo é um grande desafio em busca do entrosamento com o Legislativo. Vamos aguardar. Leia também:Com ajuda da comunidade, menino com tumor grave de Bento Gonçalves passa por cirurgia nesta quinta-feiraProcesso contra padre Ezequiel Dal Pozzo é arquivado Câmara de Vereadores de Caxias do Sul rejeitou só um projeto do ExecutivoPorto Alegre, RSPioneiro.com"Vou até o final deste governo", diz novo secretário de Saúde da prefeitura de CaxiasPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-vou-ate-o-final-deste-governo-diz-novo-secretario-de-saude-da-prefeitura-de-caxias-10384724Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24436125UAB ainda espera por CPI na Câmara de Vereadores de Caxias do SulSegundo a entidade, faltam quatro assinaturas para investigação contra o prefeito Daniel Guerra2018-06-21T20:30:51-03:002018-06-21T20:30:51-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSFelipe PadilhaUAB ainda espera por CPI na Câmara de Vereadores de Caxias do SulPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24436125Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-uab-ainda-espera-por-cpi-na-camara-de-vereadores-de-caxias-do-sul-10384672UAB ainda espera por CPI na Câmara de Vereadores de Caxias do SulSegundo a entidade, faltam quatro assinaturas para investigação contra o prefeito Daniel Guerra2018-06-21T20:30:51-03:002018-06-21T20:30:51-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brQuatro vereadores já teriam garantido o apoio à União das Associações de Bairros (UAB) na intenção da entidade comunitária de conseguir a abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar possível infração político-administrativa e ato de improbidade contra o prefeito Daniel Guerra (PRB). O pedido de CPI foi levado à Câmara na semana passada. Porém, para ela poder funcionar, é preciso a assinatura de um terço dos 23 parlamentares, ou seja, oito.Leia mais:UAB calcula mais de 10 assinaturas para instalar CPI contra prefeito de Caxias do SulA CPI tem nome, conforme o documento protocolado pelo presidente da entidade, Valdir Walter, e pelo presidente da Assembleia Geral da UAB, Paulo Sausen: CPI da Lista Negra. O nome é referência à denúncia de represália do líder do governo, vereador Chico Guerra (PRB), ao presidente da Associação de Moradores do bairro Cânyon, Marciano Correa da Silva. A ordem teria partido do prefeito, conforme sugerido pelo líder do governo em troca de áudios com o ex-coordenador de Relações Comunitárias, Rafael Bado. A orientação foi para não atender às demandas do líder comunitário. A medida seria um “corretivo” contra as críticas ao governo municipal e a ameaças de Marciano contra o vereador. Chico diz ainda que Marciano é o número um de uma “lista negra” da administração municipal.Walter, ainda acredita que conseguirá mais de 10 assinaturas para a abertura da CPI.– Já temos quatro vereadores garantidos, e os outros estão consultando suas bases e ainda lendo o documento.Os nomes dos vereadores que demonstraram interesse em assinar a CPI não são revelados a pedido dos próprios parlamentares, diz Walter. Otimista, o presidente da UAB acredita que pode apresentar o documento com as assinaturas necessárias até o final da semana.– Sexta teremos novidades. Com oito assinaturas, a CPI já se sustenta.Líder do PSB diz que bancada não vai assinar o requerimentoNa semana passada, Edi Carlos, líder da bancada do PSB, disse que os socialistas não vão assinar a CPI. Apesar da manifestação, Walter segue buscando apoio da sigla.– O presidente (Alberto Meneguzzi) não pode assinar por causa do cargo que ocupa. Tem ainda dois vereadores (no PSB).Questionado se iria buscar a assinatura de Edi Carlos mesmo com a manifestação contrária à CPI, o presidente da UAB criticou o socialista.– Ele ganhou uma, duas “obrinhas” (do governo municipal) e está mudando de lado.Com a crítica, Walter pretende conquistar a assinatura do vereador Wagner Petrini, que recentemente assumiu a cadeira na vaga de Edio Elói Frizzo (PSB). Nos bastidores, fala-se que a posição contrária do PSB à CPI da Lista Negra é devido à tramitação do terceiro pedido de impeachment de Guerra. O PSB alega que os demais vereadores de oposição deixaram Frizzo sozinho e se negaram a votar pela cassação do prefeito. – Estão magoados. É muita vaidade – deixou escapar uma fonte que pediu para não ser identificada.Leia também:Com ajuda da comunidade, menino com tumor grave de Bento Gonçalves passa por cirurgia nesta quinta-feiraProcesso contra padre Ezequiel Dal Pozzo é arquivadoPorto Alegre, RSPioneiro.comUAB ainda espera por CPI na Câmara de Vereadores de Caxias do SulPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-uab-ainda-espera-por-cpi-na-camara-de-vereadores-de-caxias-do-sul-10384672Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24435024Câmara de Vereadores de Farroupilha define normas para período eleitoralEstá proibida qualquer campanha política nas dependências do Legislativo2018-06-21T14:14:20-03:002018-06-21T14:14:20-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSRoni RigonCâmara de Vereadores de Farroupilha define normas para período eleitoralPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24435024Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-camara-de-vereadores-de-farroupilha-define-normas-para-periodo-eleitoral-10384252Câmara de Vereadores de Farroupilha define normas para período eleitoralEstá proibida qualquer campanha política nas dependências do Legislativo2018-06-21T14:14:20-03:002018-06-21T14:14:20-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brA Câmara de Vereadores de Farroupilha definiu as normas de condutas permitidas e vedadas no período eleitoral. Assinada segunda-feira pelo presidente Thiago Brunet (PDT), a Resolução de Mesa já está em vigor e refere-se a vereadores, assessores, cargos efetivos e secretário executivo. O documento enfatiza a proibição de qualquer campanha política nas dependências da Câmara, assim como usar matérias ou serviços custeados pelo Legislativo para fins eleitoreiros."A divulgação de ação institucional da Câmara Municipal e da atuação de seus agentes públicos somente será admitida se tiver caráter educativo, informativo ou de orientação social e não resultar em promoção pessoal ou em propaganda eleitoral", diz a resolução. Conforme a resolução da Câmara de Farroupilha, são várias as condutas proibidas. Confira: :: Fixar, colocar ou distribuir material de campanha eleitoral de qualquer candidatura nos ambientes internos e externos, inclusive janelas, fachadas e estacionamento interno.:: Realizar reuniões ou receber para tratar de assuntos relacionados com campanha eleitoral de qualquer candidatura, partido político ou coligação, inclusive nas bancadas dos vereadores.:: Ceder ou usar, em benefício de qualquer candidatura, partido político ou coligação, bens móveis ou imóveis pertencentes à Câmara Municipal, ressalvada a realização de convenção partidária.:: Usar no ambiente de trabalho, em reuniões, inclusive de comissão, audiências públicas ou sessões plenárias qualquer espécie de vestimenta, adesivo, botton ou outra forma de identificação de candidatura, partido político ou coligação.:: Usar informações constantes em banco de dados da Câmara Municipal para realização de propaganda eleitoral.:: Usar as redes sociais, o site, o blog ou qualquer outro meio de divulgação institucional, inclusive jornais, rádios e demais espaços contratados pela Câmara de Municipal, para veicular propaganda eleitoral de qualquer candidatura, partido político ou coligação.:: Utilizar o conteúdo jornalístico produzido pela assessoria de imprensa da Câmara Municipal disponibilizado nas redes sociais, no site, no blog ou qualquer outro meio de divulgação institucional, inclusive jornais, rádios e demais espaços contratados, na veiculação de propaganda eleitoral de qualquer candidatura ou candidato.:: Realizar promoção pessoal ou propaganda eleitoral em pronunciamentos, inclusive em sessão plenária, reunião de comissão ou audiência pública.:: Ceder servidor para partido político ou coligação.:: Realizar, durante o horário de expediente, campanha eleitoral para qualquer candidatura, partido político ou coligação, dentro ou fora do recinto da Câmara.:: Colocar propaganda eleitoral em árvores ou jardins da Câmara Municipal, bem como em muros, cercas e tapumes divisórios, mesmo que não lhes cause dano.:: Usar materiais ou serviços custeados pela Câmara Municipal, que excedam as prerrogativas consignadas em regulamento.:: Fazer ou permitir o uso promocional, em favor de qualquer candidatura, partido político ou coligação, de distribuição gratuita de bens e serviços de caráter social, custeados ou subvencionados pela Câmara Municipal.:: Guardar, estocar ou acumular material referente à campanha eleitoral de qualquer candidatura, partido político ou coligação na Câmara Municipal, mesmo em bancada de vereador.:: Utilizar os recursos provenientes da quota básica mensal para outro fim que não o de custear materiais e serviços pertinentes à atividade parlamentar institucional do vereador. :: Os telefones celulares e fixos da Câmara Municipal deverão ser usados, exclusivamente, para o exercício do mandato, conforme a legislação aplicável.:: É vedada a veiculação de matéria que tenha como característica: — Transmissão, ainda que sob a forma de entrevista jornalística, de resultados ou imagens de realização de pesquisa ou qualquer outro tipo de consulta popular de natureza eleitoral.— Propaganda política; tratamento privilegiado a candidato, partido político ou coligação. — Divulgação de filmes ou qualquer outro programa com alusão ou crítica a candidato, partido político ou coligação, mesmo que dissimuladamente. — Divulgação do nome de programa que se refira a candidato escolhido em convenção partidária, ainda quando preexistente, inclusive se coincidente com o nome de candidato ou com variação nominal por ele adotada.— Transmissão de programa apresentado ou comentado por candidato escolhido em convenção partidária.Leia também Nova direção do Conselho Municipal de Saúde, de Caxias, é contra terceirização "Corretivo" sugerido pelo líder do governo de Daniel Guerra começa a ser analisadoVereador de Caxias faz autoentrevista nas redes sociais!-- contentFrom:cms -->Porto Alegre, RSPioneiro.comCâmara de Vereadores de Farroupilha define normas para período eleitoralPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-camara-de-vereadores-de-farroupilha-define-normas-para-periodo-eleitoral-10384252Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24433798Nova direção do Conselho Municipal de Saúde, de Caxias, é contra terceirizaçãoPara implantar a gestão compartilhada no Postão, como quer o prefeito Daniel Guerra, é necessária aprovação do conselho2018-06-21T09:40:02-03:002018-06-21T09:40:02-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSDaniela FagundesNova direção do Conselho Municipal de Saúde, de Caxias, é contra terceirizaçãoPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24433798Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-nova-direcao-do-conselho-municipal-de-saude-de-caxias-e-contra-terceirizacao-10384040Nova direção do Conselho Municipal de Saúde, de Caxias, é contra terceirizaçãoPara implantar a gestão compartilhada no Postão, como quer o prefeito Daniel Guerra, é necessária aprovação do conselho2018-06-21T09:40:02-03:002018-06-21T09:40:02-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brA nova mesa diretora do Conselho Municipal de Saúde, eleita na terça-feira à noite, é contrária à gestão compartilhada (ou terceirização) do Pronto-Atendimento 24 Horas (Postão), como insiste o prefeito Daniel Guerra (PRB). Apesar da rejeição da proposta ocorrida em dezembro do ano passado pelo conselho anterior, o governo deposita na nova composição, que tomou posse em maio, a deliberação favorável.Na votação do ano passado, o conselho foi a favor da implementação do programa UBS+, que tem o objetivo de realocar os profissionais do Postão para reforçar as equipes das 48 unidades básicas de saúde, porém, desvinculada da gestão compartilhada. A prefeitura precisa da aprovação do conselho para implementar políticas na área da saúde.Pelo que diz a nova presidente do conselho, Fernanda Borckhardt, a terceirização não passa. Aliás, para ela, esta questão já estaria superada com a votação de dezembro. Fernanda adianta que os conselheiros têm um esboço de projeto para apresentar ao prefeito como alternativa para implementar o UBS+, que, no seu entendimento, não pode servir de cortina de fumaça para a privatização.— Queremos levantar quantos profissionais médicos estão em serviços burocráticos, queremos os médicos na ponta, atendendo pacientes. Já que para o prefeito este assunto (terceirização) não está superado, quando ele apresentar esta proposta novamente para o conselho, pretendemos ter a proposta alternativa — diz Fernanda, representante do Sindiserv.A mesa diretora, eleita por 20 votos contra 13 da chapa 2, é composta ainda pelo vice-presidente Alexandre de Almeida e Silva, da região Centro; pela secretária administrativa Tatiane Fiorio, da 5ª Coordenadoria Regional da Saúde; e pela secretária de saúde, Jocélia de Almeida, do Conselho Regional de Psicologia. Leia tambémPrefeito de Ipê é um dos investigados pelo MP em suposta fraude no transporte escolar"Corretivo" sugerido pelo líder do governo de Daniel Guerra começa a ser analisadoIrmã do prefeito de Caxias e pré-candidata a deputada ganha exposição no site da prefeituraPorto Alegre, RSPioneiro.comNova direção do Conselho Municipal de Saúde, de Caxias, é contra terceirizaçãoPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-nova-direcao-do-conselho-municipal-de-saude-de-caxias-e-contra-terceirizacao-10384040Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:14556083Prefeito de Ipê é um dos investigados pelo MP em suposta fraude no transporte escolarMinistério Público cumpriu mandado de busca e apreensão na casa de Valério Ernesto Marcon (PP)2018-06-20T10:51:40-03:002018-06-20T10:51:40-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSPena FilhoPrefeito de Ipê é um dos investigados pelo MP em suposta fraude no transporte escolarPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:14556083Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-prefeito-de-ipe-e-um-dos-investigados-pelo-mp-em-suposta-fraude-no-transporte-escolar-10383149Prefeito de Ipê é um dos investigados pelo MP em suposta fraude no transporte escolarMinistério Público cumpriu mandado de busca e apreensão na casa de Valério Ernesto Marcon (PP)2018-06-20T10:51:40-03:002018-06-20T10:51:40-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brO prefeito de Ipê, Valério Ernesto Marcon (PP), está entre os investigados pelo Ministério Público (MP) em uma suposta fraude no serviço de transporte escolar do município. Na manhã desta terça-feira (19), a casa dele foi alvo de um dos cinco mandados de busca e apreensão cumpridos pelos investigadores na cidade da serra gaúcha.As investigações apontaram irregularidades em quatro linhas de transporte escolar operadas pela empresa Cemin Tur. De acordo com o promotor da Procuradoria de Prefeitos, Heitor Stolf Júnior, o levantamento realizado pelo Ministério Público e o relato de testemunhas apontam que a empresa registrava uma quilometragem percorrida mensalmente maior do que a real.— Há discrepância expressiva entre o que é apontado e o que efetivamente é rodado. E isso é determinante para o valor pago pelo município à empresa — afirma o promotor.A suspeita dos investigadores é que o suposto superfaturamento seja uma parte de um esquema que também envolveu direcionamento da licitação, realizada no início do ano letivo de 2017.— Há indícios de que a licitação teria sido direcionada para a Cemin em troca de apoio político ao atual prefeito. (Antes do certame) uma testemunha nos procurou e disse que a licitação já tinha vencedor. O resultado se confirmou, inclusive da forma como ela havia dito. A Cemin poderia baixar o preço indefinidamente que seria compensada depois — afirmou o procurador.Outro ponto investigado pelo MP é a realização do transporte em veículos de passeio em vez de veículos escolares, como exigido no edital. Além disso, segundo o promotor, um dos motoristas não tinha 21 anos, a idade mínima exigida para o transporte escolar.Além do prefeito, são investigados a secretária de Educação do município, Stela Mare Slongo Zanotto, e três pessoas ligadas à Cemin Tur. A prefeitura, a Secretaria de Educação, a Escola Estadual de Ensino Fundamental São Paulo e a casa dos proprietários também foram alvo das buscas.Conforme o procurador Heitor Stolf Júnior, um dos mandados foi cumprido na instituição de ensino porque lá operavam três das quatro linhas do transporte escolar investigadas. Além disso, a proprietária da Cemin Tur é professora na instituição.ContrapontosO assessor jurídico da prefeitura de Ipê, Maurício Venturin Chini, disse que a administração soube da existência do inquérito apenas durante a operação. Ele disse que a prefeitura vai se inteirar do teor da investigação antes de se manifestar. Já o marido da proprietária da Cemin Tur, Vilson José Brolo, disse que a empresa presta o serviço de acordo com o contrato firmado com o município.Leia tambémUm olhar para todos os presos da SerraProprietários de loteamento irregular em Caxias descartam vender área a moradores"Corretivo" sugerido pelo líder do governo de Daniel Guerra começa a ser analisadoPorto Alegre, RSPioneiro.comPrefeito de Ipê é um dos investigados pelo MP em suposta fraude no transporte escolarPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-prefeito-de-ipe-e-um-dos-investigados-pelo-mp-em-suposta-fraude-no-transporte-escolar-10383149Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24432308"Corretivo" sugerido pelo líder do governo de Daniel Guerra começa a ser analisadoVereador Rafael Bueno (PDT) prestou depoimento defendendo punição a Chico Guerra (PRB)2018-06-20T08:26:04-03:002018-06-20T08:26:04-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSDaniel Corrêa / Divulgação"Corretivo" sugerido pelo líder do governo de Daniel Guerra começa a ser analisadoPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24432308Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-corretivo-sugerido-pelo-lider-do-governo-de-daniel-guerra-comeca-a-ser-analisado-10383050"Corretivo" sugerido pelo líder do governo de Daniel Guerra começa a ser analisadoVereador Rafael Bueno (PDT) prestou depoimento defendendo punição a Chico Guerra (PRB)2018-06-20T08:26:04-03:002018-06-20T08:26:04-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brO vereador Rafael Bueno (PDT) prestou depoimento, nesta terça-feira, à Subcomissão de Ética Parlamentar, como autor do requerimento pelo processo administrativo disciplinar contra o líder do governo Chico Guerra (PRB). Começa a ser apurado o "corretivo" sugerido pelo líder de governo ao presidente da associação de moradores do bairro Cânyon, Marciano Correa da Silva, em conversa com o ex-coordenador de Relações Comunitárias, Rafael Bado. Leia mais"Corretivo" e "lista negra" indicam possível retaliação do governo Daniel Guerra "Se eu erro, tenho que pagar pelo erro", diz Chico Guerra. Confira a entrevistaA ênfase em busca de punição defendida por Bueno é de que nunca na história da cidade houve situação similar, em que ficou nítida a demonstração de falta de respeito e intenção de represálias aos opositores, com reflexos na comunidade. O pedetista destacou que a sociedade exige resposta da subcomissão, pois não há como negar a existência dos fatos. Pediu que a apuração ocorra com responsabilidade e imparcialidade.É inegável a gravidade das declarações de Chico Guerra. Ainda mais porque o líder de governo diz ser este o posicionamento do prefeito Daniel Guerra (PRB) ao afirmar na gravação: "Ele (prefeito) mandou recado e disse que, realmente, tem que mudar a postura totalmente com o cara (Marciano), não dar espaço mais nenhum e botar ele pra correr. Ele tem que sentir na pele. O número um da lista negra para qualquer providência".Mesmo que o governo tente amenizar, dizendo que as demandas do bairro foram atendidas, e Chico tenha mostrado o vídeo em que Marciano fala em erguer (ele e o vereador Renato Nunes, PR) na "adaga" e no "pranchaço", caso façam campanha no bairro Vila Ipê, não tiram o peso das palavras proferidas na conversa. Ali, veio à tona a forma como o governo reage diante dos adversários.Já houve uma tentativa de desviar o foco, com o registro do BO por parte da secretária do Meio Ambiente, Patrícia Rasia, contra os 29 denunciantes do terceiro pedido de impeachment do prefeito Daniel Guerra (rejeitado em abril). Acabou provocando efeito contrário. Nesta terça-feira, foi arquivado o quarto pedido de cassação do prefeito, o que era óbvio. O próprio autor, o comerciante Luis Carlos Ferreira Junior, havia solicitado a retirada. Embora a retirada tenha sido indeferida por questões legais, a rejeição ao processo era evidente frente ao desgaste com o uso exaustivo de pedido de impeachment e pela instalação dos trabalhos da Subcomissão de Ética.Mas é fato que há, sim, muita expectativa em torno de como o Legislativo irá se posicionar. Os olhares estão voltados para a "ética", principalmente depois das várias manifestações indignadas na Casa quando o áudio foi divulgado. Leia tambémIrmã do prefeito de Caxias e pré-candidata a deputada ganha exposição no site da prefeituraCâmara de Vereadores rejeita quarto pedido de impeachment do prefeito de Caxias do SulOperação do Ministério Público investiga irregularidades no transporte escolar de IpêPorto Alegre, RSPioneiro.com"Corretivo" sugerido pelo líder do governo de Daniel Guerra começa a ser analisadoPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-corretivo-sugerido-pelo-lider-do-governo-de-daniel-guerra-comeca-a-ser-analisado-10383050Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24430871Irmã do prefeito de Caxias e pré-candidata a deputada ganha exposição no site da prefeituraEmbora não faça parte do governo, Dalva Guerra garantiu espaço na divulgação de obra em Santa Lúcia do Piaí2018-06-19T15:08:27-03:002018-06-19T15:08:27-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSSite Prefeitura de Caxias do SulIrmã do prefeito de Caxias e pré-candidata a deputada ganha exposição no site da prefeituraPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24430871Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-irma-do-prefeito-de-caxias-e-pre-candidata-a-deputada-ganha-exposicao-no-site-da-prefeitura-10382333Irmã do prefeito de Caxias e pré-candidata a deputada ganha exposição no site da prefeituraEmbora não faça parte do governo, Dalva Guerra garantiu espaço na divulgação de obra em Santa Lúcia do Piaí2018-06-19T15:08:27-03:002018-06-19T15:08:27-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brA irmã do prefeito Daniel Guerra (PRB), Dalva Guerra, pré-candidata a deputada estadual pelo PRB, integrava a foto principal do site da prefeitura de Caxias do Sul, na assinatura da ordem de início da primeira etapa da pavimentação asfáltica da Estrada Municipal João Edgar Jung, realizada domingo, em Santa Lúcia do Piaí. Dalva, que não tem função na administração, aparecia na capa do site (conforme reprodução) ao lado do chefe do Executivo, secretários, líder do governo na Câmara de Vereadores, primeira-dama e do padre da comunidade. Como Dalva não integra o governo municipal e nem é representante da comunidade em questão para aparecer em destaque no site, que é pago com o dinheiro público, fica evidente a promoção de sua pré-candidatura. Isso é uso da máquina pública.A imagem ficou no ar durante a segunda-feira. Nesta terça-feira, a foto foi retirada.Leia tambémCâmara de Vereadores rejeita quarto pedido de impeachment do prefeito de Caxias do Sul Vereador de Caxias faz autoentrevista nas redes sociaisPorto Alegre, RSPioneiro.comIrmã do prefeito de Caxias e pré-candidata a deputada ganha exposição no site da prefeituraPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-irma-do-prefeito-de-caxias-e-pre-candidata-a-deputada-ganha-exposicao-no-site-da-prefeitura-10382333Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24430573Câmara de Vereadores rejeita quarto pedido de impeachment do prefeito de Caxias do SulO pedido foi protocolado na quarta-feira da semana passada pelo comerciante Luis Carlos Ferreira Junior2018-06-19T11:07:10-03:002018-06-19T11:07:10-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSAndré Tajes / Agência RBSCâmara de Vereadores rejeita quarto pedido de impeachment do prefeito de Caxias do SulPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24430573Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-camara-de-vereadores-rejeita-quarto-pedido-de-impeachment-do-prefeito-de-caxias-do-sul-10382163Câmara de Vereadores rejeita quarto pedido de impeachment do prefeito de Caxias do SulO pedido foi protocolado na quarta-feira da semana passada pelo comerciante Luis Carlos Ferreira Junior2018-06-19T11:07:10-03:002018-06-19T11:07:10-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brOs vereadores votaram o quarto pedido de impeachment e afastamento cautelar do prefeito de Caxias do Sul, Daniel Guerra (PRB) durante sessão realizada na manhã desta terça-feira. Por unanimidade de votos (21), o pedido foi rejeitado e arquivado. Os vereadores Denise Pessôa e Rodrigo Beltrão, ambos do PT, estavam ausentes no momento da votação.Leia maisDeclaração do presidente da Câmara de Vereadores sobre pedido de impeachment do prefeito de Caxias provoca reaçãoRetirado pedido de impeachment do prefeito de Caxias do SulO pedido de impeachment foi protocolado na quarta-feira da semana passada pelo comerciante Luis Carlos Ferreira Junior. No dia seguinte, o próprio autor protocolou a retirada da denúncia.Antes da votação, o presidente da Câmara Municipal, vereador Alberto Meneguzzi (PSB) manifestou a opinião da assessoria jurídica da Câmara sobre a retirada da denúncia. Conforme o decreto-lei 201/67, o presidente determinou a leitura e a consulta sobre o recebimento da denúncia. O socialista informou ainda que o pedido de retirada da denúncia pelo autor foi indeferido e arquivado.— Esta (assessoria jurídica da Câmara) opinou pela impossibilidade de desistência da denúncia pelo autor da ação (...) que é denominada pela doutrina de ação penal popular (...), não estão sujeitos à vontade do eventual denunciante - explicou Meneguzzi. Após a leitura das 10 páginas da denúncia pelos vereadores Gladis Frizzo (MDB) e Renato Oliveira (PCdoB), cada vereador tinha até um minuto para declarar o voto, mas todos optaram por não se manifestar.Denise explicou disse que a ausência no plenário no momento da votação não foi proposital.— Fui até meu gabinete. Achei que a leitura iria demorar mais tempo. Corri para tentar votar, mas cheguei atrasado.Beltrão também justificou um atendimento no gabinete para a ausência no plenário.— Não foi nenhum movimento político.O líder do governo, vereador Chico Guerra (PRB), também se manifestou sobre a decisão:— Mais uma vez a Câmara demonstrou maturidade ao rejeitar mais um pedido desprovido de qualquer fundamento fático ou legal por parte dos mesmos inconformados de sempre.O quarto pedido de impeachment citava o vazamento dos áudios onde Chico sugere ao ex-coordenador de Relações Comunitárias, Rafael Bado, dar um "corretivo" no presidente da associação de moradores do Cânyon, Marciano Correa da Silva. Chico diz que a ordem teria partido do prefeito Daniel Guerra.Leia também Quarto pedido de impeachment contra Daniel Guerra irrita presidente da Câmara de Vereadores de Caxias do SulAssaltante Papagaio é investigado por ataque a carro-forte três meses depois de fugir do semiabertoPorto Alegre, RSPioneiro.comCâmara de Vereadores rejeita quarto pedido de impeachment do prefeito de Caxias do SulPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-camara-de-vereadores-rejeita-quarto-pedido-de-impeachment-do-prefeito-de-caxias-do-sul-10382163Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:14556083Operação do Ministério Público investiga irregularidades no transporte escolar de IpêOs mandados são cumpridos na prefeitura, em uma escola, na Secretaria Municipal de Educação e em duas residências2018-06-19T10:16:50-03:002018-06-19T10:16:50-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSPena FilhoOperação do Ministério Público investiga irregularidades no transporte escolar de IpêPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:14556083Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-operacao-do-ministerio-publico-investiga-irregularidades-no-transporte-escolar-de-ipe-10382127Operação do Ministério Público investiga irregularidades no transporte escolar de IpêOs mandados são cumpridos na prefeitura, em uma escola, na Secretaria Municipal de Educação e em duas residências2018-06-19T10:16:50-03:002018-06-19T10:16:50-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brUma operação na manhã desta terça-feira, realizada pelo Ministério Público, cumpriu cinco mandados de busca e apreensão em Ipê. A ação investiga irregularidades na licitação para contratação e execução dos serviços de transporte escolar. Os mandados foram cumpridos na prefeitura, na Secretaria Municipal de Educação, na Escola Estadual de Ensino Fundamental São Paulo e em duas residências.As investigações, conforme o Ministério Público, apuraram que foi montado um esquema para direcionar a licitação do transporte escolar do ano letivo de 2017. Há também suspeita de superfaturamento de pagamentos e cinco aditivos ilegais em 2017 e 2018. Ainda conforme as investigações, o transporte era feito em carros de passeio. Além disso, um dos motoristas investigados não teria a idade mínima para poder dirigir. Também há a apuração do superdimensionamento da quantidade de quilômetros rodados.Leia tambémEm seis meses, mortes violentas em São Marcos e Flores da Cunha já superam as de todo o ano de 2017Polícia Civil captura suspeito de três roubos de carro em Caxias do SulPorto Alegre, RSPioneiro.comOperação do Ministério Público investiga irregularidades no transporte escolar de IpêPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-operacao-do-ministerio-publico-investiga-irregularidades-no-transporte-escolar-de-ipe-10382127Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24428848Vereador de Caxias faz autoentrevista nas redes sociais "Uma pessoa muito ilustre", define Renato Nunes (PR)2018-06-19T08:30:29-03:002018-06-19T08:30:29-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSFacebookVereador de Caxias faz autoentrevista nas redes sociaisPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24428848Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-vereador-de-caxias-faz-autoentrevista-nas-redes-sociais-10380806Vereador de Caxias faz autoentrevista nas redes sociais "Uma pessoa muito ilustre", define Renato Nunes (PR)2018-06-19T08:30:29-03:002018-06-19T08:30:29-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brNão é ilusão de ótica, é Renato Nunes (PR) em dose dupla. Pré-candidato a deputado federal, o vereador publicou no Facebook um vídeo em que ele entrevista a si mesmo. No texto de apresentação na postagem, ele diz que é seu irmão gêmeo. O Nunes repórter se refere ao Nunes vereador sem modéstia: “Vamos entrevistar uma pessoa muito ilustre, vereador Renato Nunes, uma pessoa bastante conhecida nas redes sociais. Ele é, inclusive, bastante polêmico”, diz.Também o define como “grande vereador”.O vídeo é direcionado a Cachoeira do Sul, onde ele morou na infância.Leia também Quarto pedido de impeachment contra Daniel Guerra irrita presidente da Câmara de Vereadores de Caxias do SulAssaltante Papagaio é investigado por ataque a carro-forte três meses depois de fugir do semiabertoPorto Alegre, RSPioneiro.comVereador de Caxias faz autoentrevista nas redes sociaisPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-vereador-de-caxias-faz-autoentrevista-nas-redes-sociais-10380806Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24428745Declaração do presidente da Câmara de Vereadores sobre pedido de impeachment do prefeito de Caxias provoca reação"Se ele acha que é uma palhaçada um cidadão querer estabelecer a verdade sobre os fatos ocorridos, deve estar no lugar errado", disse o autor do pedido 2018-06-19T07:40:46-03:002018-06-19T07:40:46-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSDivulgaçãoDeclaração do presidente da Câmara de Vereadores sobre pedido de impeachment do prefeito de Caxias provoca reaçãoPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24428745Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-declaracao-do-presidente-da-camara-de-vereadores-sobre-pedido-de-impeachment-do-prefeito-de-caxias-provoca-reacao-10380688Declaração do presidente da Câmara de Vereadores sobre pedido de impeachment do prefeito de Caxias provoca reação"Se ele acha que é uma palhaçada um cidadão querer estabelecer a verdade sobre os fatos ocorridos, deve estar no lugar errado", disse o autor do pedido 2018-06-19T07:40:46-03:002018-06-19T07:40:46-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brO comerciante Luis Carlos Ferreira Junior, que protocolou o quarto pedido de impeachment do prefeito Daniel Guerra na quinta-feira e solicitou a retirada no dia seguinte, reagiu às declarações do presidente da Câmara de Vereadores, Alberto Meneguzzi (PSB). Nas redes sociais, Meneguzzi disse: "Não compactuo com esta palhaçada que alguns fazem para envergonhar o Legislativo". E acrescentou que não será conivente com este tipo de procedimento, "que surge apenas para desgastar cada vez mais a imagem da classe política e prejudicar o andamento dos trabalhos do Legislativo e do Executivo".Leia mais Quarto pedido de impeachment contra Daniel Guerra irrita presidente da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul Retirado pedido de impeachment do prefeito de Caxias do Sul Nova investida de fórmula desgastada contra o prefeito de Caxias Junior disse que não se baseou em opiniões pessoais para pedir a admissibilidade do impeachment, mesmo assim respeita as palavras do presidente, porque o país é democrático.— Se o presidente da Câmara acha que é uma palhaçada um cidadão querer estabelecer a verdade sobre os fatos ocorridos, ele deve estar no lugar errado. Não sou eu quem transforma, ou que quer transformar o Legislativo em uma lona colorida, muito menos em uma pizzaria. Acho que quem quer ser político deve respeitar o direito dos cidadãos de se manifestar — afirmou o comerciante.O quarto pedido tinha como base os áudios em que o líder do governo, Chico Guerra (PRB), sugere ao ex-coordenador de Relações Comunitárias, Rafael Bado, dar um “corretivo” no presidente da associação de moradores do Cânyon, Marciano Correa da Silva.O autor do pedido de impeachment se refere também ao que Meneguzzi chamou de suprassumo da ignorância política e pediu respeito:— Analfabetismo político é usar o poder de uma cadeira para impor a qualquer cidadão sua própria opinião. Sou brasileiro e a lei federal constituinte me permite o direito de me manifestar, e exijo que isso seja respeitado.Quanto ao diálogo que Meneguzzi diz ter com prefeito ou secretários municipais, Junior não poupou:— Não faz mais do que a obrigação, não vejo virtude individual nisso.Ele defende que, se houver improbidade futura, a população não deve calar por capricho de qualquer parlamentar. Em resposta ao fato de Meneguzzi ter dito que “infelizmente, a lei federal permite que qualquer pessoa possa protocolar um pedido de impeachment”, Junior considerou um imenso desrespeito à lei federal constituinte."Qualquer cidadão quer que um político cumpra a lei, com moral, imparcialidade e verdade. Vivemos em uma democracia", acrescentou.A admissibilidade ou não do pedido de impeachment será votada nesta terça-feira na Câmara. À tarde haverá depoimento do vereador Rafael Bueno (PDT) na Subcomissão de Ética Parlamentar em defesa da punição a Chico Guerra. Bueno é o autor do requerimento pelo processo disciplinar ao líder de governo. O relator é Edi Carlos Pereira de Souza (PSB). Novamente o PSB ocupa essa função em um processo envolvendo mandato. Edi é próximo do governo.Leia tambémEstabelecimentos de Bento saem de guia que oferece descontos a consumidores Plano Diretor de Bento Gonçalves é aprovado sem a emenda polêmicaPorto Alegre, RSPioneiro.comDeclaração do presidente da Câmara de Vereadores sobre pedido de impeachment do prefeito de Caxias provoca reaçãoPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-declaracao-do-presidente-da-camara-de-vereadores-sobre-pedido-de-impeachment-do-prefeito-de-caxias-provoca-reacao-10380688Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24428671Plano Diretor de Bento Gonçalves é aprovado sem a emenda polêmicaVereadores retiraram a proposta sob suspeita que é investigada pela Operação 165 do Ministério Púbico2018-06-18T20:42:11-03:002018-06-18T20:42:11-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSCâmara de Vereadores de Bento GonçalvesPlano Diretor de Bento Gonçalves é aprovado sem a emenda polêmicaPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24428671Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-plano-diretor-de-bento-goncalves-e-aprovado-sem-a-emenda-polemica-10380677Plano Diretor de Bento Gonçalves é aprovado sem a emenda polêmicaVereadores retiraram a proposta sob suspeita que é investigada pela Operação 165 do Ministério Púbico2018-06-18T20:42:11-03:002018-06-18T20:42:11-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brSob suspeita de corrupção, a revisão do Plano Diretor de Bento Gonçalves foi aprovada na tarde de ontem por 12 votos favoráveis, três contrários e uma abstenção. O documento que prevê o planejamento e desenvolvimento do município recebeu manifestações de apenas oito dos 17 vereadores durante 18 minutos, antes de ir a votação. O projeto de lei complementar foi protocolado pelo Executivo em outubro do ano passado.Leia mais:Ministério Público investigará Plano Diretor CPI é suspensa em Bento GonçalvesAntes da votação do projeto do Executivo, os vereadores votaram 33 emendas durante mais de uma hora e meia – 18 foram aprovadas e 15, rejeitadas. A emenda 165 foi retirada da pauta de votação. Ela propunha a alteração da altura dos prédios de dois para seis pavimentos em duas vias no bairro São Bento, podendo ter ainda mais dois pavimentos. O documento era assinado por seis vereadores.A emenda 165 é alvo de denúncia e investigação do Ministério Público (MP). No ano passado, a prefeitura pediu o arquivamento do projeto para diminuir a polêmica em torno da ampliação da altura de prédios na Rua Herny Hugo Dreher e Avenida Planalto, no bairro São Bento, vias popularmente conhecidas como “Corredor Gastronômico”.Em uma gravação do início de abril, o vereador Gustavo Sperotto (DEM) contou a moradores da cidade que teria recusado a oferta de R$ 40 mil para assinar a emenda 165 do Plano Diretor, mas que outros seis vereadores teriam recebido propina para votar a favor de interesses da construção civil. No áudio, Sperotto não revela o nome dos vereadores. No dia 14 de maio, o Ministério Público (MP) instaurou um inquérito civil público de improbidade administrativa para investigar suposta corrupção em torno de emenda ao Plano Diretor.No início deste mês, o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MP realizou a Operação 165 (nome referente ao número da emenda) e cumpriu mandados de busca e apreensão em gabinetes de quatro vereadores e nas casas de quatro parlamentares.A investigação do Ministério Público está sob sigilo, e os nomes dos vereadores que tiveram seus gabinetes alvos dos mandados não foram revelados nem pelo Ministério Público, nem pela Câmara de Bento. A revisão do Plano Diretor esteve a cargo da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e custou mais de R$ 185 mil aos cofres do poder público municipal.“Respeitaram a opinião do Complan”A diretora adjunta do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Bento Gonçalves (Ipurb) e presidente do Conselho Municipal de Planejamento (Complan), Melissa Bertoletti Gauer, ficou satisfeita com o resultado da votação.– Os vereadores votaram com o parecer e respeitaram a opinião do Complan.Para Melissa, além da retirada da polêmica emenda 165, os vereadores também retiraram da pauta a emenda que alterava o Complan, transformando-o de órgão deliberativo para consultivo. Além disso, a maioria das emendas que alteravam o perímetro urbano da cidade e do Vale dos Vinhedos ou foram retiradas da votação ou rejeitadas.A diretora do Ipurb também comemorou a aprovação da emenda 180, que trata da alteração da altura de dois para seis pavimentos nas ruas Parnaíba e Salgado Filho, no bairro São Bento. – Chamamos de emenda de consenso. O Executivo, alguns vereadores e alguns moradores do São Bento chegaram a um consenso sobre a altura. A proposta do Complan era de até 16 pavimentos e chegamos na transição de seis pavimentos.Foto: Leia também:Estabelecimentos de Bento saem de guia que oferece descontos a consumidoresMulher morre atropelada na BR-470, em Bento GonçalvesAssaltante Papagaio é investigado por ataque a carro-forte três meses depois de fugir do semiabertoPorto Alegre, RSPioneiro.comPlano Diretor de Bento Gonçalves é aprovado sem a emenda polêmicaPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-plano-diretor-de-bento-goncalves-e-aprovado-sem-a-emenda-polemica-10380677Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:23666039Câmara de Bento Gonçalves vota Plano Diretor nesta segunda sem emenda polêmicaMinistério Público apura suposto pagamento de propina a vereadores para votar altura de prédios do bairro São Bento2018-06-18T13:48:49-03:002018-06-18T13:48:49-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSGustavo BottegaCâmara de Bento Gonçalves vota Plano Diretor nesta segunda sem emenda polêmicaPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:23666039Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-camara-de-bento-goncalves-vota-plano-diretor-nesta-segunda-sem-emenda-polemica-10378686Câmara de Bento Gonçalves vota Plano Diretor nesta segunda sem emenda polêmicaMinistério Público apura suposto pagamento de propina a vereadores para votar altura de prédios do bairro São Bento2018-06-18T13:48:49-03:002018-06-18T13:48:49-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brEm meio à polêmica envolvendo a altura dos prédios no bairro São Bento, a Câmara de Vereadores de Bento Gonçalves vota nesta segunda (18) o projeto de revisão do Plano Diretor. Antes do texto encaminhado pelo Executivo, os parlamentares vão avaliar 33 emendas à proposta. No entanto, a modificação que previa a ampliação no número permitido de andares no corredor gastronômico acima do previsto no texto original não está na pauta. Ela integra uma lista de 51 emendas que foram retiradas do projeto pelos vereadores. Dessa forma, os vereadores vão apreciar a proposta inicial, que prevê construções com cerca de um andar a mais em relação à lei atual.A chamada emenda 165 é alvo de investigação do Ministério Público (MP) após o vazamento de um áudio do vereador Gustavo Sperotto (DEM). Na gravação, o parlamentar diz ter recebido e recusado proposta de R$ 40 mil de setores da construção civil para votar a favor da emenda. Ele diz, porém, sem citar nomes, que seis colegas aceitaram o dinheiro.Há duas semanas, o MP cumpriu mandados de busca e apreensão nas casas e nos gabinetes de quatro vereadores. A chamada Operação 165 foi deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) com apoio da Promotoria de Justiça de Bento e da Promotoria Especializada Criminal da Capital.De acordo com o promotor Alécio Nogueira, da Promotoria de Bento, o material apreendido na ação ainda passa por análise em Porto Alegre. Na tarde desta segunda, outros dois vereadores devem ser ouvidos como testemunhas. Ainda não há data para que os procedimentos cível e criminal sejam encaminhados ao Judiciário.Já no Legislativo, o presidente da Casa, Moisés Scussel Neto (PSDB), não deu andamento ao pedido de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) assinado por seis parlamentares. Ele se baseou em um artigo do regimento que diz não ser possível instalar CPI em assuntos atribuídos ao Judiciário. Ao jornal Pioneiro, o vereador disse que se baseou nos mandados de busca e apreensão, deferidos por um juiz.O vereador Moacir Camerini (PDT), porém, diz que a investigação ainda está com o MP e não com o judiciário. Por causa disso, o parlamentar entrou com recurso para que o plenário derrube a decisão de Scussel. Caso a suspensão da CPI seja mantida, Camerini avalia entrar com um mandado de segurança na Justiça.Leia tambémNovas turmas já têm professores para iniciar aulas no Ensino Fundamental em CaxiasQuarto pedido de impeachment contra Daniel Guerra irrita presidente da Câmara de Vereadores de Caxias do SulHomem vai a júri por morte de adolescente em 2016, em Caxias do SulObras entre Santa Lúcia e Sebastopol começam nesta segunda-feiraPorto Alegre, RSPioneiro.comCâmara de Bento Gonçalves vota Plano Diretor nesta segunda sem emenda polêmicaPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-camara-de-bento-goncalves-vota-plano-diretor-nesta-segunda-sem-emenda-polemica-10378686Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24424893Quarto pedido de impeachment contra Daniel Guerra irrita presidente da Câmara de Vereadores de Caxias do SulAlberto Meneguzzi (PSB) disse: "não compactuo com esta palhaçada"2018-06-18T08:30:29-03:002018-06-18T08:30:29-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSFelipe PadilhaQuarto pedido de impeachment contra Daniel Guerra irrita presidente da Câmara de Vereadores de Caxias do SulPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24424893Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-quarto-pedido-de-impeachment-contra-daniel-guerra-irrita-presidente-da-camara-de-vereadores-de-caxias-do-sul-10378107Quarto pedido de impeachment contra Daniel Guerra irrita presidente da Câmara de Vereadores de Caxias do SulAlberto Meneguzzi (PSB) disse: "não compactuo com esta palhaçada"2018-06-18T08:30:29-03:002018-06-18T08:30:29-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brO presidente da Câmara de Vereadores, Alberto Meneguzzi (PSB), posicionou-se em suas redes sociais sobre o quarto pedido de impeachment do prefeito Daniel Guerra (PRB), protocolado na quinta e retirado pelo autor, o comerciante Luis Carlos Ferreira Junior, em menos de 24 horas. "Não compactuo com esta palhaçada que alguns fazem para envergonhar o Legislativo", escreveu. A postagem foi feita na noite de sexta-feira.Leia maisRetirado pedido de impeachment do prefeito de Caxias do Sul Nova investida de fórmula desgastada contra o prefeito de CaxiasBO registrado por secretária contribui para novo pedido de impeachment contra o prefeito de CaxiasComissão de Ética vai intimar Chico Guerra por suposta represália a líder comunitário do Cânyon, de Caxias "Protocolou ontem e hoje (sexta) solicitou a retirada do documento, ou seja, um impeachment e um "desimpeachment" (se é que existe esta palavra). Este constrangimento que alguns tentam proporcionar em Caxias já passou dos limites. Não serei conivente com este tipo de procedimento, que surge apenas para desgastar cada vez mais a imagem da classe política e prejudicar o andamento dos trabalhos do Legislativo e Executivo", escreveu. Meneguzzi salientou que, "infelizmente, a lei federal permite que qualquer pessoa possa protocolar um pedido de impeachment, e ele precisa ir imediatamente para análise na sessão seguinte". E informou ter solicitado um estudo para evitar a proliferação dessa prática."Já solicitei para que o setor jurídico da Casa faça um estudo para tentar evitar esse tipo de situação no futuro. Quantos outros pedidos teremos? A nossa cidade parece estar hoje no suprassumo da ignorância política, sendo comentada no Brasil inteiro."Meneguzzi afirmou que está abrindo todas as pontes de diálogo com o prefeito e conversado com vários secretários. Mas acrescentou que continuará fiscalizando, que é sua função e a da Câmara.O quarto pedido tinha como base os áudios em que o líder do governo, Chico Guerra (PRB), sugere ao ex-coordenador de Relações Comunitárias, Rafael Bado, dar um "corretivo" no presidente da associação de moradores do Cânyon, Marciano Correa da Silva.Leia tambémObras de UBSs dos bairros Reolon e São Vicente estão mais perto do fimProjeto oferece 50 vagas para moradores de rua dormirem em Caxias do SulPorto Alegre, RSPioneiro.comQuarto pedido de impeachment contra Daniel Guerra irrita presidente da Câmara de Vereadores de Caxias do SulPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-quarto-pedido-de-impeachment-contra-daniel-guerra-irrita-presidente-da-camara-de-vereadores-de-caxias-do-sul-10378107Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:23734111Retirado pedido de impeachment do prefeito de Caxias do SulAutor desistiu devido à abertura de processo administrativo disciplinar contra o líder de governo, Chico Guerra, pela Comissão de Ética da Câmara2018-06-15T15:47:13-03:002018-06-15T15:47:13-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSFelipe NylandRetirado pedido de impeachment do prefeito de Caxias do SulPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:23734111Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-retirado-pedido-de-impeachment-do-prefeito-de-caxias-do-sul-10376608Retirado pedido de impeachment do prefeito de Caxias do SulAutor desistiu devido à abertura de processo administrativo disciplinar contra o líder de governo, Chico Guerra, pela Comissão de Ética da Câmara2018-06-15T15:47:13-03:002018-06-15T15:47:13-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brFoi retirada a denúncia de atos improbos e infrações político-administrativas com pedido de impeachment e afastamento cautelar do prefeito de Caxias do Sul, Daniel Guerra (PRB), protocolada na quinta-feira na Câmara de Vereadores. O autor do pedido, o comerciante Luis Carlos Ferreira Junior, entregou às 14h46min desta sexta-feira, na Câmara de Vereadores, o ofício solicitando a retirada do documento.Leia mais Nova investida de fórmula desgastada contra o prefeito de CaxiasBO registrado por secretária contribui para novo pedido de impeachment contra o prefeito de CaxiasComissão de Ética vai intimar Chico Guerra por suposta represália a líder comunitário do Cânyon, de CaxiasProtocolado quarto pedido de impeachment do prefeito de Caxias do SulO pedido de impeachment amparava-se no vazamento dos áudios ocorridos na semana passada em que o líder do governo, vereador Chico Guerra (PRB), sugere ao ex-coordenador de Relações Comunitárias, Rafael Bado, dar um "corretivo" no presidente da associação de moradores do Cânyon, Marciano Correa da Silva. O Boletim de Ocorrência registrado pela secretária municipal do Meio Ambiente, Patrícia Rasia, contra os 29 proponentes do terceiro pedido de impeachment rejeitado em abril, por entender que houve crime de desacato, injúria e calúnia contra ela, também motivou a denúncia feita pelo comerciante. Já a retirada deve-se ao fato de o requerimento do vereador Rafael Bueno (PDT), solicitando abertura de processo administrativo disciplinar contra Chico Guerra, ter recebido encaminhamento na Comissão de Ética Parlamentar do Legislativo. Foi formada a subcomissão, composta por Edi Carlos (PSB), Ricardo Daneluz (PDT) e Paulo Périco (MDB), que vai intimar Chico e realizar as diligências para instruir o processo. — Retirei por saber que a comissão foi instalada — diz.Ele garante que tanto a iniciativa de ingressar com a denúncia quanto a de retirá-la foi individual. Conta que entrou em contato com o protocolo da Câmara para saber como deveria proceder. Junior cobra um "posicionamento com a verdade" do relator da subcomissão, o vereador Edi Carlos. E diz que gostaria que fosse instalada a Comissão Parlamentar de Inquérito, pretendida pela União das Associações de Bairros (UAB).— Edi é um comunitarista, tem que vir com a verdade para a população. A população quer saber o que está acontecendo, o mais grave é Chico (Guerra) querer mandar. Tenho medo que possa ser transformado em "pizza". Espero uma atitude — pressiona.Junior acrescenta que é um dos 29 que assinou o terceiro pedido de impeachment, alvo do BO registrado pela titular da Semma.— Ela deu motivo para querer saber se existe lista negra (conforme declaração de Chico Guerra no áudio) e se estávamos na lista.Quanto ao fato de ter voltado atrás, diante de um tema polêmico, resume:— A gente tem que ter coragem para enfrentar qualquer guerra e ter coragem para recuar quando for preciso.Ele diz ainda que teme sofrer represálias por parte dos apoiadores do prefeito.Leia também17 vetos do prefeito de Caxias do Sul já foram rejeitados em 2018Sindicato dos Servidores Municipais de Caxias entra em rota de colisão com o governo Daniel GuerraPorto Alegre, RSPioneiro.comRetirado pedido de impeachment do prefeito de Caxias do SulPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-retirado-pedido-de-impeachment-do-prefeito-de-caxias-do-sul-10376608Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24419325Ocorrência registrada por secretária municipal de Caxias será remetida a juizado especialRegistro por desacato, injúria e calúnia é citado em pedido de impeachment do prefeito2018-06-15T13:27:00-03:002018-06-15T13:27:00-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSRoni RigonOcorrência registrada por secretária municipal de Caxias será remetida a juizado especialPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24419325Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-ocorrencia-registrada-por-secretaria-municipal-de-caxias-sera-remetida-a-juizado-especial-10376511Ocorrência registrada por secretária municipal de Caxias será remetida a juizado especialRegistro por desacato, injúria e calúnia é citado em pedido de impeachment do prefeito2018-06-15T13:27:00-03:002018-06-15T13:27:00-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brO Boletim de Ocorrência (BO) registrado na Polícia Civil pela secretária municipal de Meio Ambiente de Caxias do Sul, Patricia Rasia, será encaminhado ao Juizado Especial Criminal (Jecrim). De acordo com o delegado Vítor Carnaúba, será feito um procedimento sumário: como se trata de um registro por crimes de menor potencial ofensivo, segundo ele, as partes não serão ouvidas na polícia e não haverá indiciamento. O delegado apenas vai identificar os envolvidos para remeter o caso ao Jecrim.O BO foi feito na semana passada por crimes de desacato, injúria e difamação que, segundo a secretária, foram cometidos contra ela no texto do terceiro pedido de impeachment do prefeito Daniel Guerra. Conforme a colunista do Jornal Pioneiro, Rosilene Pozza, o boletim de ocorrência foi citado no quarto pedido de impeachment, protocolado nesta quinta-feira (14) na Câmara de Vereadores. Esse pedido surgiu após o vazamento de áudios em que o vereador Chico Guerra (PRB) sugere retaliações ao líder comunitário Marciano Correa da Silva, presidente da associação de moradores do bairro Cânyon, por críticas à prefeitura. A União das Associações de Bairro (UAB) de Caxias do Sul quer a criação de uma CPI para investigar o áudio. Chico Guerra também é alvo de três representações na Comissão de Ética da Câmara e uma no Ministério Público. Procurado pela reportagem nesta semana, Chico Guerra disse não ter receio de responder aos procedimentos porque já provou no plenário que recebeu ameaças de Marciano.O caso também gerou registro de ocorrência na Polícia Civil contra o vereador por ameaça. O delegado Vitor Carnaúba diz que não identificou fato que realmente represente ameaça a partir do relato no texto do boletim, mas disse que irá ouvir as partes para chegar a uma conclusão.Leia também Nova investida de fórmula desgastada contra o prefeito de CaxiasSindicato dos Servidores Municipais de Caxias entra em rota de colisão com o governo Daniel GuerraSituação financeira da Codeca deverá ser esclarecida na Câmara de Vereadores de CaxiasPorto Alegre, RSPioneiro.comOcorrência registrada por secretária municipal de Caxias será remetida a juizado especialPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-ocorrencia-registrada-por-secretaria-municipal-de-caxias-sera-remetida-a-juizado-especial-10376511Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24419864Nova investida de fórmula desgastada contra o prefeito de CaxiasMotivo do pedido, o "corretivo" divulgado pelo líder do governo Chico Guerra, é sério. Porém, instrumento de cassação chega desacreditado2018-06-15T08:52:09-03:002018-06-15T08:52:09-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSRoni RigonNova investida de fórmula desgastada contra o prefeito de CaxiasPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24419864Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-nova-investida-de-formula-desgastada-contra-o-prefeito-de-caxias-10375916Nova investida de fórmula desgastada contra o prefeito de CaxiasMotivo do pedido, o "corretivo" divulgado pelo líder do governo Chico Guerra, é sério. Porém, instrumento de cassação chega desacreditado2018-06-15T08:52:09-03:002018-06-15T08:52:09-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brO novo pedido de impeachment do prefeito Daniel Guerra (PRB) protocolado, ontem, na Câmara de Vereadores pelo comerciante Luis Carlos Ferreira Junior chega desacreditado. Não por sua motivação, que é séria, mas pelo desgaste da utilização do instrumento que visa à cassação do mandato. Trata-se da quarta investida neste sentido em um ano e meio de governo, passados dois meses da rejeição do terceiro pedido.Leia mais Protocolado quarto pedido de impeachment do prefeito de Caxias do Sul BO registrado por secretária contribui para novo pedido de impeachment contra o prefeito de CaxiasComissão de Ética vai intimar Chico Guerra por suposta represália a líder comunitário do Cânyon, de CaxiasUAB conseguirá apoio para a CPI contra o prefeito de Caxias?A base do pedido protocolado é a conversa entre o líder do governo Chico Guerra (PRB) e o ex-coordenador de Relações Comunitárias, Rafael Bado, em que é sugerida retaliação ao presidente da presidente da Associação de Moradores do Bairro Cânyon, Marciano Correa da Silva e, consequentemente, à comunidade. O "corretivo" proposto pelo líder e irmão do prefeito, que no áudio vazado demonstra ter a concordância do chefe do Executivo, é deprimente. A existência de uma "lista negra", citada por Chico, ajuda a alimentar a existência de perseguição. Muito grave. Precisa ser apurado. Porém, um novo processo de impeachment acaba revertendo-se em mais indignação de boa parcela da sociedade, que deseja menos polêmica e exposição negativa da cidade e mais resultados pelo desenvolvimento e atendimento às demandas em âmbito geral. Paralelamente ao pedido que agora vai para aceitação ou não dos vereadores, a Comissão de Ética Parlamentar da Câmara deu andamento ao requerimento de autoria do vereador Rafael Bueno (PDT) solicitando abertura de processo administrativo disciplinar contra o líder do governo. Os outros dois pedidos enviados à comissão (de autoria do vice-prefeito, Ricardo Fabris de Abreu, e do presidente da UAB, Valdir Walter, seguiram para análise da assessoria jurídica do Legislativo. Por fim, ainda há o desejo da UAB de que pelo menos oito vereadores encampem a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI).Com todos esses procedimentos, imagina-se que alguma providência será tomada. Os irmãos Guerra estão em situação complicada. Leia também Sindicato dos Servidores Municipais de Caxias entra em rota de colisão com o governo Daniel GuerraSituação financeira da Codeca deverá ser esclarecida na Câmara de Vereadores de CaxiasPorto Alegre, RSPioneiro.comNova investida de fórmula desgastada contra o prefeito de CaxiasPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-nova-investida-de-formula-desgastada-contra-o-prefeito-de-caxias-10375916Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:2406080817 vetos do prefeito de Caxias do Sul já foram rejeitados em 2018Apenas dois vetos foram respeitados. No ano, Câmara aprovou 54 projetos2018-06-15T05:05:02-03:002018-06-15T05:05:02-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSClever Moreira / Divulgação17 vetos do prefeito de Caxias do Sul já foram rejeitados em 2018Pioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24060808Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-17-vetos-do-prefeito-de-caxias-do-sul-ja-foram-rejeitados-em-2018-1037591317 vetos do prefeito de Caxias do Sul já foram rejeitados em 2018Apenas dois vetos foram respeitados. No ano, Câmara aprovou 54 projetos2018-06-15T05:05:02-03:002018-06-15T05:05:02-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brUma das maiores dificuldades do prefeito Daniel Guerra (PRB) em relação ao Legislativo é ter seus vetos mantidos pelos vereadores. Dos 19 votados neste ano, 17 não foram acatados. Projetos barrados pela administração por serem considerados inconstitucionais acabam sendo promulgados pela Câmara e tornam-se leis. Leia mais matérias do OlhômetroO veto mais recente derrubado pela Câmara foi na terça-feira, ao projeto de regulamentação do estacionamento em frente e de frente aos imóveis, de autoria do vereador Adiló Didomenico (PTB). O primeiro veto do ano a ser rejeitado foi ao projeto que institui a separação dos resíduos recicláveis descartados pelos órgãos e entidades do poder público municipal na fonte geradora. Em 2017, houve sete rejeitados e apenas três acatados. A administração já ajuizou, pelo menos, quatro Ações Diretas de Inconstitucionalidade (ADIs). Quanto aos projetos enviados à Câmara, a prefeitura tem conquistado algumas vitórias neste ano. Das 12 propostas de autoria do Executivo votadas até ontem, apenas uma foi rejeitada. Mas a mais polêmica, que buscava autorização para alienar 100% do capital social do Ipam na Farmácia do Ipam Ltda, teve votos favoráveis apenas dos parlamentares da base governista, Chico Guerra (PRB) e Renato Nunes (PR), e acabou arquivada. >> Veja quais vetos e projetos foram aprovados e rejeitados:Além do projeto da Farmácia do Ipam, a Câmara arquivou a proposta que buscava disciplinar o Imposto sobre Transmissão de Bens Intervivos (ITBI) em loteamentos. O projeto de lei complementar era de autoria do ex-vereador Guila Sebben (PP). No total, o Legislativo aprovou 54 projetos em 2018.Leia tambémBO registrado por secretária contribui para novo pedido de impeachment contra o prefeito de CaxiasComissão de Ética vai intimar Chico Guerra por suposta represália a líder comunitário do Cânyon, de CaxiasProtocolado quarto pedido de impeachment do prefeito de Caxias do SulPorto Alegre, RSPioneiro.com17 vetos do prefeito de Caxias do Sul já foram rejeitados em 2018Pioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-17-vetos-do-prefeito-de-caxias-do-sul-ja-foram-rejeitados-em-2018-10375913Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24419325BO registrado por secretária contribui para novo pedido de impeachment contra o prefeito de CaxiasPatrícia Rasia, do Meio Ambiente, diz que sua honra foi ofendida pelos 29 denunciantes do processo de cassação de Daniel Guerra rejeitado em abril2018-06-14T18:48:28-03:002018-06-14T18:48:28-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSRoni RigonBO registrado por secretária contribui para novo pedido de impeachment contra o prefeito de CaxiasPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24419325Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-bo-registrado-por-secretaria-contribui-para-novo-pedido-de-impeachment-contra-o-prefeito-de-caxias-10375707BO registrado por secretária contribui para novo pedido de impeachment contra o prefeito de CaxiasPatrícia Rasia, do Meio Ambiente, diz que sua honra foi ofendida pelos 29 denunciantes do processo de cassação de Daniel Guerra rejeitado em abril2018-06-14T18:48:28-03:002018-06-14T18:48:28-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brO pedido de impeachment do prefeito Daniel Guerra (PRB) rejeitado pela Câmara de Vereadores, em abril, segue rendendo. A secretária municipal do Meio Ambiente, Patrícia Rasia, registrou um Boletim de Ocorrência (BO) na polícia, na última sexta-feira, por desacato, injúria e calúnia contra os 29 proponentes do pedido de impeachment.O BO registrado por Patrícia, inclusive, integra o novo pedido de impeachment de Guerra, protocolado nesta quinta-feira na Câmara pelo comerciante Luis Carlos Ferreira Junior. O quarto pedido de impeachment deve-se ao áudio com as declarações do líder do governo Chico Guerra (PRB), divulgado na semana passada, em que sugere retaliação ao presidente da associação de moradores do bairro Cânyon, Marciano Correa.O BO também provocou reação da advogada Letícia Gonçalves Dias Lima, que foi diretora-geral da Semma no governo passado.As ofensas apontadas por Patrícia para ingressar na esfera criminal se encontram no tópico quatro do processo, referente à composição do Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente.O trecho que incomodou a secretária diz:"É quase inacreditável que a atual Secretária Municipal do Meio Ambiente, Sra. Patrícia Rasia, e o Sr. Prefeito Daniel Guerra tenham agido de forma tão amadora, preconceituosa, discriminatória, prepotente, autoritária, dissimulada e ilegal. Suas atitudes se chocam gravemente com o princípio da legalidade e da probidade administrativa".— Era desnecessário colocar meu nome com aquelas ofensas. Eles estão ofendendo minha honra. Estou só apurando os fatos, sou advogada, formada há 23 anos, sou de Caxias do Sul, construí meu nome, é a minha pessoa que está sendo atacada — declara a secretária sobre o registro do BO.A intenção, segundo ela, não era reavivar o pedido de impeachment, pois o meio em que foram feitas as ofensas não é o propósito de seu BO. Reforça que o que está buscando é a apuração das infrações, do crime contra a honra. "Atitude arrogante"Ao saber que a secretária do Meio Ambiente havia registrado o BO, a advogada Letícia Gonçalves Dias Lima revidou de imediato. Em suas redes sociais, ela escreveu, por exemplo: "Eu morro e não vejo tudo!!! Esse é o cúmulo do absurdo. Que ideia genial. A pessoa, em vez de ficar quieta, ainda vai colocar mais lenha na fogueira..." E acrescentou: "Atitudes desnecessárias e arrogantes como esta do BO só reforçam aquela denúncia de represália, lista negra, corretivo, intimidação..."Letícia, que é especialista em direito ambiental, informa que fará uma análise do que os denunciantes disseram, mostrando que não caluniaram, nem difamaram. Encaminhará para o Ministério Público, além de divulgar o parecer.— Os fatos trazidos pelos denunciantes são procedentes, as declarações dela não foram suficientes. Coordenei o Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos. O plano foi escrito por mim. Eu sei o que está sendo cumprido, porque é o meu chão — ressalta.A análise jurídica será feita em nome de alguns denunciantes, "já que a comissão processante não fez o contraponto", diz. O entendimento de Letícia é de que o BO corrobora com a perseguição feita pela atual administração, tentando passar de vilão para vítima.Leia também Protocolado quarto pedido de impeachment do prefeito de Caxias do SulSindicato dos Servidores Municipais de Caxias entra em rota de colisão com o governo Daniel GuerraPorto Alegre, RSPioneiro.comBO registrado por secretária contribui para novo pedido de impeachment contra o prefeito de CaxiasPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-bo-registrado-por-secretaria-contribui-para-novo-pedido-de-impeachment-contra-o-prefeito-de-caxias-10375707Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24419395Comissão de Ética vai intimar Chico Guerra por suposta represália a líder comunitário do Cânyon, de CaxiasOutras duas solicitações de processo disciplinar contra o vereador foram encaminhadas a assessoria jurídica da Câmara Municipal2018-06-14T18:26:22-03:002018-06-14T18:26:22-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSFabio Campelo, DivulgaçãoComissão de Ética vai intimar Chico Guerra por suposta represália a líder comunitário do Cânyon, de CaxiasPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24419395Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-comissao-de-etica-vai-intimar-chico-guerra-por-suposta-represalia-a-lider-comunitario-do-canyon-de-caxias-10375694Comissão de Ética vai intimar Chico Guerra por suposta represália a líder comunitário do Cânyon, de CaxiasOutras duas solicitações de processo disciplinar contra o vereador foram encaminhadas a assessoria jurídica da Câmara Municipal2018-06-14T18:26:22-03:002018-06-14T18:26:22-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brA Comissão de Ética Parlamentar da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul decidiu intimar o vereador Chico Guerra (PRB) em um dos três documentos que pedem a abertura de processo administrativo disciplinar contra o líder do governo. A subcomissão, formada pelos vereadores Edi Carlos (PSB), Ricardo Daneluz (PDT) e Paulo Périco (MDB) vai intimar Chico e realizar as diligências para instruir o processo disciplinar encaminhado pelo vereador Rafael Bueno (PDT). Chico Guerra, que também integra a Comissão de Ética, declarou-se impedido por ser parte interessada no processo.Leia mais:União das Associações de Bairros de Caxias pede a cassação do vereador Chico GuerraVereador Chico Guerra comprova ameaças de presidente da Amob Cânyon"Se eu erro, tenho que pagar pelo erro", diz Chico Guerra. Confira a entrevistaNa sessão do dia 7 de junho, foi revelada uma conversa entre Chico e o ex-coordenador de Relações Constitucionais, Rafael Bado (PRB), onde o vereador por ordem do prefeito Daniel Guerra (PRB) sugere que as demandas do presidente da associação de moradores do bairro Cânyon, Marciano Correa da Silva, não sejam atendidas como forma de dar um "corretivo" no líder comunitário devido à postura crítica ao governo municipal e de ameaças.A troca de mensagens de áudio ocorreu no final de novembro do ano passado. Em entrevista ao Pioneiro, Chico admitiu a represália por conta das ameaças recebidas do líder comunitário, e disse que não lembra se conversou com o prefeito sobre o assunto.Por unanimidade, os vereadores também decidiram encaminhar os documentos assinados pelo vice-prefeito Ricardo Fabris de Abreu (Avante) e pelo presidente da União das Associações de Bairros (UAB) de Caxias do Sul, Valdir Walter, para análise da assessoria jurídica do Legislativo para orientação e parecer técnico.Leia também:Protocolado quarto pedido de impeachment do prefeito de Caxias do SulObras no terreno que vai receber a Havan em Caxias estão embargadasDono da Havan critica embargo do MTE no terreno que receberá loja da rede em CaxiasPorto Alegre, RSPioneiro.comComissão de Ética vai intimar Chico Guerra por suposta represália a líder comunitário do Cânyon, de CaxiasPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-comissao-de-etica-vai-intimar-chico-guerra-por-suposta-represalia-a-lider-comunitario-do-canyon-de-caxias-10375694Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:23447591Protocolado quarto pedido de impeachment do prefeito de Caxias do SulAutor da denúncia contra Daniel Guerra (PRB) já havia assinado terceiro pedido2018-06-14T17:06:52-03:002018-06-14T17:06:52-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSDiogo SallaberryProtocolado quarto pedido de impeachment do prefeito de Caxias do SulPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:23447591Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-protocolado-quarto-pedido-de-impeachment-do-prefeito-de-caxias-do-sul-10375589Protocolado quarto pedido de impeachment do prefeito de Caxias do SulAutor da denúncia contra Daniel Guerra (PRB) já havia assinado terceiro pedido2018-06-14T17:06:52-03:002018-06-14T17:06:52-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brFoi protocolado na tarde desta quinta-feira, na Câmara de Vereadores, denúncia de atos improbos e infrações político-administrativas com pedido de impeachment e afastamento cautelar do prefeito de Caxias do Sul, Daniel Guerra (PRB). É a quarta denúncia contra o chefe do Executivo desde que ele assumiu o governo. Leia maisUAB calcula mais de 10 assinaturas para instalar CPI contra prefeito de Caxias do SulO autor do pedido é Luis Carlos Ferreira Junior. Ele se identifica como comerciante e integrante do coral municipal. Conforme a assessoria de imprensa da prefeitura, ele foi integrante do coral e foi exonerado. Junior assinou a denúncia anterior, que acabou arquivada pelo Legislativo. No documento, o autor cita o vazamento dos áudios onde o líder do governo, vereador Chico Guerra (PRB), sugere ao ex-coordenador de Relações Comunitárias, Rafael Bado, dar um corretivo no presidente da associação de moradores do Cânyon, Marciano Correa da Silva. Ele também destaca o boletim de ocorrência registrado pela secretária do Meio Ambiente, Patricia Rasia, contra os 29 proponentes do terceiro pedido de impeachment do prefeito. Ela entende que houve crime de desacato, injúria e calúnia contra ela, pois teria denegrido sua imagem. Os dois primeiros pedidos de impeachment não foram acolhidos pelos vereadores. O terceiro foi aceito, mas acabou sendo rejeitado. Leia maisSituação financeira da Codeca deverá ser esclarecida na Câmara de Vereadores de CaxiasSindicato dos Servidores Municipais de Caxias entra em rota de colisão com o governo Daniel GuerraCPI é suspensa em Bento GonçalvesPorto Alegre, RSPioneiro.comProtocolado quarto pedido de impeachment do prefeito de Caxias do SulPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-protocolado-quarto-pedido-de-impeachment-do-prefeito-de-caxias-do-sul-10375589Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24418503Situação financeira da Codeca deverá ser esclarecida na Câmara de Vereadores de CaxiasPresidente da companhia, Amarilda Bortolotto, terá que explicar contratos e gestão2018-06-14T14:32:53-03:002018-06-14T14:32:53-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSMatheus Teodoro, DivulgaçãoSituação financeira da Codeca deverá ser esclarecida na Câmara de Vereadores de CaxiasPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24418503Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-situacao-financeira-da-codeca-devera-ser-esclarecida-na-camara-de-vereadores-de-caxias-10375403Situação financeira da Codeca deverá ser esclarecida na Câmara de Vereadores de CaxiasPresidente da companhia, Amarilda Bortolotto, terá que explicar contratos e gestão2018-06-14T14:32:53-03:002018-06-14T14:32:53-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brA diretora-presidente da Companhia de Desenvolvimento de Caxias do Sul (Codeca), Amarilda Bortolotto, será convocada pela Câmara de Vereadores para prestar esclarecimentos sobre contratos e gestão da companhia. Nesta quinta-feira, foi aprovado requerimento de autoria de Adiló Didomenico (PTB), Arlindo Bandeira (PP), Gladis Frizzo (MDB), Neri, O Carteiro (SD) e Velocino Uez (PDT) com esta finalidade.No documento, os vereadores listam algumas indagações que pretendem fazer à presidente sobre a gestão operacional e econômico-financeira da Codeca. Eles querem saber o motivo da não renovação do contrato de prestação de serviços entre a Companhia e o Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae), para reparação de redes, com uma equipe de 40 funcionários.Também esperam obter dados referentes à manutenção dos contratos entre a Codeca e o município relativos aos serviços de manutenção dos aterros, estação de transbordo e transporte do lixo. A limpeza dos contêineres, o britador e as condições econômicas da empresa também são alvos do questionamento. Ao mesmo tempo, os parlamentares pedem cópia dos balancetes mensais da companhia referentes ao período de janeiro a maio de 2018.— Não estamos convocando a presidente para criar uma polêmica, mas para nos trazer esclarecimentos e dizer o que vai ocorrer com a Codeca daqui para frente — justificou Adiló.Ele acrescentou que há fortes rumores de demissão de funcionários.Leia tambémSindicato dos Servidores Municipais de Caxias entra em rota de colisão com o governo Daniel Guerra UAB conseguirá apoio para a CPI contra o prefeito de Caxias?Porto Alegre, RSPioneiro.comSituação financeira da Codeca deverá ser esclarecida na Câmara de Vereadores de CaxiasPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-situacao-financeira-da-codeca-devera-ser-esclarecida-na-camara-de-vereadores-de-caxias-10375403Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24416933Sindicato dos Servidores Municipais de Caxias entra em rota de colisão com o governo Daniel Guerra"As pessoas estão sendo regidas pelas vontades individuais", define presidente do Sindiserv diante da ocupação da antiga sede da entidade pela Corregedoria-Geral2018-06-14T13:36:11-03:002018-06-14T13:36:11-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSAdriano FrançaSindicato dos Servidores Municipais de Caxias entra em rota de colisão com o governo Daniel GuerraPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24416933Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-sindicato-dos-servidores-municipais-de-caxias-entra-em-rota-de-colisao-com-o-governo-daniel-guerra-10375388Sindicato dos Servidores Municipais de Caxias entra em rota de colisão com o governo Daniel Guerra"As pessoas estão sendo regidas pelas vontades individuais", define presidente do Sindiserv diante da ocupação da antiga sede da entidade pela Corregedoria-Geral2018-06-14T13:36:11-03:002018-06-14T13:36:11-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brAs relações pioraram entre o Sindicato dos Servidores Municipais de Caxias do Sul (Sindiserv) e o governo Daniel Guerra em função da ocupação da antiga sede da entidade pela Corregedoria-Geral do Município, ocorrida na semana passada. Nesta quarta-feira, a presidente do Sindiserv, Silvana Piroli (PT), ocupou a tribuna da Câmara de Vereadores para reforçar a acusação de que o espaço foi usurpado pela prefeitura.Pelo jeito, os tempos harmoniosos entre Guerra e sindicato viraram (ou estão prestes a virar) passado.— O que nós estamos vendo é que as pessoas estão sendo regidas pelas suas vontades individuais, pelos seus apreços, pelos seus desejos, e não é assim que a gente administra uma cidade... É uma vergonha a gente ver uma sede ter trocada a fechadura, ser ocupada sem aviso prévio, invadir como se fosse algo de ninguém — disparou Silvana.A intenção do Sindiserv era colocar um memorial no local, localizado no estacionamento da prefeitura, em comemoração aos 30 da entidade.A presidente do Sindiserv aproveitou para usar a privatização do Postão e a existência de "lista negra" revelada pelo líder de governo Chico Guerra (PRB) para alfinetar. Dirigindo-se ao líder, disse: Silvana Piroli acusa usurpação do espaço pela prefeituraFoto: Franciele Masochi Lorenzett, Divulgação— Descobri que no dia 22 vai ter uma confraternização aí da Secretaria Municipal da Educação a R$ 30 por pessoa. É para isso que vocês ocuparam o espaço dos servidores? Qual é o interesse público? Eu quero saber, devo ser a primeira da lista, ou gestão compartilhada é só para privatizar serviço público?Diante das críticas de alinhamento do sindicato com o atual governo, Silvana reagiu dizendo que o Sindiserv não é oposição e nem de apoio à prefeitura. — O seu papel é defender os interesses dos servidores e os servidores querem um serviço público de qualidade... Para nós, não tem lista. Quem faz lista é quem não sabe governar.Conforme a prefeitura, em 2016 a Procuradoria-Geral do Município apresentou um parecer considerando que o imóvel pertence ao município e que o local foi edificado em terreno público com materiais de construção também públicos. À tarde, a direção fez um protesto em frente à antiga sede.Entrar em rota de colisão com os servidores não é um bom caminho...Leia tambémUAB conseguirá apoio para a CPI contra o prefeito de Caxias? CPI é suspensa em Bento GonçalvesFilmes com legendas descritivas para surdos é realidade em salas de cinema de Caxias Mais um ruído entre prefeitura de Caxias do Sul e Câmara de VereadoresPorto Alegre, RSPioneiro.comSindicato dos Servidores Municipais de Caxias entra em rota de colisão com o governo Daniel GuerraPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-sindicato-dos-servidores-municipais-de-caxias-entra-em-rota-de-colisao-com-o-governo-daniel-guerra-10375388Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24416889CPI é suspensa em Bento GonçalvesPresidente da Câmara justifica decisão em respeito a artigo do Regimento Interno2018-06-13T20:48:57-03:002018-06-13T20:48:57-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSLucas AmorelliCPI é suspensa em Bento GonçalvesPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24416889Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-cpi-e-suspensa-em-bento-goncalves-10374797CPI é suspensa em Bento GonçalvesPresidente da Câmara justifica decisão em respeito a artigo do Regimento Interno2018-06-13T20:48:57-03:002018-06-13T20:48:57-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brO vereador Moacir Camerini (PDT) encaminhou recurso à Mesa Diretora da Câmara de Bento Gonçalves solicitando a suspensão da decisão administrativa do presidente da Casa, Moisés Scussel (PSDB), que barrou na segunda-feira a chamada CPI do Plano Diretor. Camerini é autor do pedido de abertura da Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar suposto pagamento de propina para proposição e aprovação de emenda ao Plano Diretor da cidade, cuja revisão tramita na Câmara. Em gravação no início de abril, o vereador Gustavo Sperotto (DEM) contou que teria recusado oferta de R$ 40 mil para assinar uma emenda do Plano, mas que outros seis vereadores teriam recebido propina para votar a favor de interesses da construção civil.Leia mais:Ministério Público investigará Plano DiretorSete vereadores se manifestam a favor de criação de CPI em Bento GonçalvesVereadores de Bento entram com pedido de CPI para investigar suposto pagamento de propinaCamerini pede que a abertura da CPI seja votada em plenário. Ainda nesta semana, o pedetista pretende encaminhar à Justiça, por meio de um mandado de segurança, a anulação “imediata” do despacho do presidente da Câmara. O requerimento de CPI reuniu seis assinaturas, número mínimo necessário para o início das investigações. Porém para a suspensão do pedido, Scussel usou a justificativa de que a CPI esbarra no artigo 67 do Regimento Interno, que prevê que “não se admitirá Comissão Parlamentar de Inquérito sobre matérias pertinentes às atribuições do Poder Judiciário”. O argumento é criticado pelo autor do requerimento. Camerini diz que a investigação do caso está no Ministério Público (MP), e não no Judiciário como alega o presidente do Legislativo. Scussel argumenta que já existe tramitação de um inquérito civil e que a matéria já tramitou no Judiciário. Ele diz ainda que todas as pessoas que depuseram no MP prestaram o compromisso de não revelar nada sobre o que disseram. – Um juiz autorizou as medidas cautelares de busca e apreensão de tablets, celulares, documentos. A decisão é embasada nisso. Os que forem chamados para depor na CPI não vão poder dizer absolutamente nada porque prestaram compromisso de manter segredo sobre tudo o que disseram no MP – argumenta Scussel. Segundo Camerini, o presidente da Câmara não reúne mais condições que continuar comandando a Casa. O requerimento pela criação da CPI foi assinado pelos vereadores Camerini, Agostinho Petroli, Elvio de Lima e Idasir dos Santos (os três do MDB), Paulo Roberto Cavali (PTB) e Gustavo Sperotto (DEM).Leia também:UAB calcula mais de 10 assinaturas para instalar CPI contra prefeito de Caxias do SulLei dos Táxis pode ficar mais flexível em CaxiasENTREVISTA: MOISÉS SCUSSEL, PRESIDENTE DA CÂMARA DE VEREADORES“Vencida a matéria no MP, acho que a gente pode abrir uma CPI”Pioneiro: Sua decisão em pedir a suspensão da CPI não levanta a desconfiança da comunidade?Moisés Scussel: Isso é natural que ocorra. Ouvi manifestações como "quem não deve, não teme". Independente da investigação ocorrer na Câmara, há uma investigação no Ministério Público em que eles já recolheram celulares, documentos, então não há por que haver desconfiança. Desde o início, sempre fui um dos defensores de que o MP é a seara ideal para fazer essa investigação. O MP inclusive está em uma fase bastante adiantada pelo tempo (de investigação), e todos os depoimentos que eles já colheram. Encaro como natural essa cobrança.O senhor admite haver uma CPI após o resultado do MP?Sim, sem problema algum. Jamais neguei ou disse que jamais se criará a CPI. Vencida a matéria no Ministério Público, seja qual for o resultado das investigações, acho que a gente pode abrir uma CPI sem problema algum.O seu gabinete foi um dos que foi vistoriado pelo Ministério Público (junto com os de outros três vereadores). Isso prejudica a imagem de vocês?Não há como negar que acaba afetando o dia a dia, inclusive da instituição. Um órgão de investigação vem aos gabinetes e apreende celular, tablet, claro que isso gera um desconforto. Estou muito tranquilo com relação a isso. Não sei qual o teor das investigações ou que tipo de possíveis provas ou suposições que tenham sido levantadas para que ocorresse a investigação e que apreendessem documentos em meu gabinete. Fico satisfeito que tenham vindo buscar isso e estou muito tranquilo com relação ao que tenham levado. No meu gabinete, não levaram praticamente nada, levaram um documento da Ordem do Dia do mês de maio e, claro, meu celular e meu notebook da Câmara, que uso para trabalho nas sessões da Câmara.Porto Alegre, RSPioneiro.comCPI é suspensa em Bento GonçalvesPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-cpi-e-suspensa-em-bento-goncalves-10374797Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24065623Mais um ruído entre prefeitura de Caxias do Sul e Câmara de VereadoresFalha na comunicação inviabilizou reunião entre os dois poderes 2018-06-13T08:30:33-03:002018-06-13T08:30:33-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSDiogo SallaberryMais um ruído entre prefeitura de Caxias do Sul e Câmara de VereadoresPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24065623Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-mais-um-ruido-entre-prefeitura-de-caxias-do-sul-e-camara-de-vereadores-10373803Mais um ruído entre prefeitura de Caxias do Sul e Câmara de VereadoresFalha na comunicação inviabilizou reunião entre os dois poderes 2018-06-13T08:30:33-03:002018-06-13T08:30:33-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brUma falha na comunicação entre prefeitura de Caxias do Sul e Câmara de Vereadores acabou inviabilizando uma reunião para tratar de projetos inconstitucionais aprovados pelo Legislativo. Na quinta-feira da semana passada, o secretário de Governo, Luiz Caetano, enviou ofício ao presidente da Casa, Alberto Meneguzzi (PSB), convidando para um encontro na segunda, dia 11. O convite era extensivo aos vereadores da Comissão de Constituição, Justiça e Legislação (CCJL), presidida por Flavio Cassina (PTB). Meneguzzi ligou para Caetano avisando que não poderia ir e solicitou a pauta da reunião, já que não estava especificada no ofício – a assessoria da CCJL não havia localizado o secretário para se inteirar do assunto. Caetano diz ter informado o tema ao presidente, que ficou de transmitir aos vereadores da comissão e também pediu que Caetano entrasse em contato com Grégora Fortuna dos Passos, assessora jurídica da CCJL. Como já havia encerrado o horário de expediente da Câmara e Caetano não tinha o telefone de Grégora, não a encontrou. Poderia ter ligado para Cassina, que usa telefone funcional. Meneguzzi confirma que pediu a Caetano que contatasse Grégora para falar sobre a pauta. Grégora diz não ter recebido nenhuma ligação e não ficou sabendo do tema. Por isso, os vereadores não foram. Poderiam ter avisado que não iriam. Caetano entendeu que, ao informar Meneguzzi o assunto da reunião, a comissão saberia do que se tratava. O objetivo era conversar sobre a quantidade de vetos rejeitados pela Câmara mesmo com pareceres de inconstitucionalidade não apenas da CCJL, mas de órgãos como Delegações de Prefeituras Municipais (DPM) e Instituto Gamma de Assessoria a Órgãos Públicos (Igam), além da PGM. — O convite, claro, pode ser declinado. Mas eu esperava que houvesse um contato, ao menos, para sugerir uma nova data — diz Caetano, que irá encaminhar um novo ofício à Câmara na quinta. Para Meneguzzi, a conversa poderia ter sido marcada de maneira bem mais simples, sem necessidade de um documento, que sequer citava o assunto da reunião. — Podia ser resolvido com uma ligação — acredita, lembrando que Caetano esteve na Câmara na quinta e não falou com ele nem sobre a reunião. Um ruído totalmente desnecessário entre os dois poderes, que já vivem uma relação muito pouco amistosa. 15 vetos já foram derrubados em 2018Dos 17 vetos do prefeito Daniel Guerra (PRB) a projetos considerados inconstitucionais neste ano, 15 foram rejeitados pela Câmara de Vereadores. No ano passado, foram 10 vetos analisados pela Câmara e sete deles derrubados. Com a rejeição dos vetos, o presidente do Legislativo promulga os projetos e eles viram lei. A prefeitura já ajuizou quatro Ações Diretas de Inconstitucionalidade (ADI). Leia também Presidente da Câmara de Bento nega abertura de CPI sobre suposto pagamento de propina a vereadoresUAB quer CPI para investigar prefeito de Caxias do Sul no caso de vazamento de áudios"Quero ser mais amigável para a gente poder alavancar Caxias do Sul", diz novo vereador sobre postura em relação ao governo GuerraPorto Alegre, RSPioneiro.comMais um ruído entre prefeitura de Caxias do Sul e Câmara de VereadoresPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-mais-um-ruido-entre-prefeitura-de-caxias-do-sul-e-camara-de-vereadores-10373803Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24414569UAB calcula mais de 10 assinaturas para instalar CPI contra prefeito de Caxias do SulEntidade quer investigação sobre áudios que sugerem represálias a críticos ao governo Daniel Guerra2018-06-13T07:30:02-03:002018-06-13T07:30:02-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSDiogo SallaberryUAB calcula mais de 10 assinaturas para instalar CPI contra prefeito de Caxias do SulPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24414569Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-uab-calcula-mais-de-10-assinaturas-para-instalar-cpi-contra-prefeito-de-caxias-do-sul-10373804UAB calcula mais de 10 assinaturas para instalar CPI contra prefeito de Caxias do SulEntidade quer investigação sobre áudios que sugerem represálias a críticos ao governo Daniel Guerra2018-06-13T07:30:02-03:002018-06-13T07:30:02-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brA União das Associações de Bairros (UAB) vai protocolar hoje à tarde na Câmara de Vereadores requerimento solicitando a abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar infração político-administrativa e ato de improbidade do prefeito Daniel Guerra (PRB). Em áudios, o líder do governo na Câmara, vereador Chico Guerra (PRB), diz para o ex-coordenador de Relações Comunitárias, Rafael Bado, que não atenda às demandas do presidente da Associação de Moradores do bairro Cânyon, Marciano Correa da Silva. Nos áudios, Chico Guerra diz ainda que as medidas são um “corretivo” contra as críticas ao governo municipal e que ele, Marciano, é o número um de uma “lista negra”. A medida teria o aval do prefeito.Leia mais:UAB quer CPI para investigar prefeito de Caxias do Sul no caso de vazamento de áudiosNa sessão da Câmara de ontem, a vereadora Denise Pessôa (PT) criticou a ação da prefeitura ao ocupar o antigo prédio do Sindicato dos Servidores Municipais (Sindiserv) pela Corregedoria-Geral do Município. Segundo ela, a medida é uma represália ao fato de o Sindiserv ter trabalhado na articulação junto ao Conselho Municipal de Saúde para não terceirizar o Postão 24 Horas. – A tal da lista negra funciona bastante. E aí a gente vai ver que ela tem sempre um viés mesmo de represália, que não é só contra o Marciano, um líder comunitário, mas também contra outras entidades vem ocorrendo essa represália. O vereador Rodrigo Beltrão (PT) foi ainda mais incisivo nas críticas ao governo e a Guerra, que classificou como “tirano”. – A arrogância, a prepotência voltou novamente. (...) Então eu imagino que o Judiciário vai ter que novamente intervir em situações como essa (ocupação da sede do Sindiserv) e nós irmos acumulando forças para, no momento oportuno, tirar esse governo do poder, porque não dá mais. Após o protocolo, o presidente da UAB, Valdir Walter, vai percorrer os gabinetes dos vereadores para recolher as oito assinaturas necessárias para a abertura da investigação até sexta-feira. Walter está confiante com a abertura da investigação, e diz que o documento terá mais de 10 assinaturas. – Mais de 10 vereadores devem assinar, de todas as bancadas. Também vamos procurar os vereadores de situação. Segundo Walter, a intenção é de esclarecer o motivo da existência da “lista negra” que não teria atendidas as demandas solicitadas. – Não é só o movimento comunitário. Tem outras entidades, como o Sindiserv, que estão nessa lista negra. Queremos saber o porquê dessa perseguição com as entidades.Ontem à tarde, o Pioneiro ouviu os vereadores sobre a possibilidade de assinarem o pedido de abertura da CPI proposta pela UAB. Diferentemente do que prevê o presidente da entidade, nenhum parlamentar assumiu que assinará o documento. Dos 22 vereadores que podem assinar a abertura da CPI, cinco já admitiram que não pretendem assinar. Os outros devem analisar o documento antes de tomar uma decisão.Leia também:Conta de luz ficará mais cara na SerraCaixa renegocia dívidas em agências da Serra até dia 30Foto: Arte PioneiroPorto Alegre, RSPioneiro.comUAB calcula mais de 10 assinaturas para instalar CPI contra prefeito de Caxias do SulPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-uab-calcula-mais-de-10-assinaturas-para-instalar-cpi-contra-prefeito-de-caxias-do-sul-10373804Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24394444Presidente da Câmara de Bento nega abertura de CPI sobre suposto pagamento de propina a vereadoresMinistério Público investiga compra de emenda para autorizar prédios maiores em área gastronômica2018-06-12T17:57:23-03:002018-06-12T17:57:23-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSDiego MandarinoPresidente da Câmara de Bento nega abertura de CPI sobre suposto pagamento de propina a vereadoresPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24394444Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-presidente-da-camara-de-bento-nega-abertura-de-cpi-sobre-suposto-pagamento-de-propina-a-vereadores-10373630Presidente da Câmara de Bento nega abertura de CPI sobre suposto pagamento de propina a vereadoresMinistério Público investiga compra de emenda para autorizar prédios maiores em área gastronômica2018-06-12T17:57:23-03:002018-06-12T17:57:23-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brEm despacho na tarde desta segunda-feira (11), o presidente da Câmara de Vereadores de Bento Gonçalves, Moisés Scussel Neto (PSDB), decidiu suspender a análise do pedido de abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre o tema, que partiu de seis vereadores. Leia mais: Vereadores de Bento entram com pedido de CPI para investigar suposto pagamento de propinaA justificativa apresentada para não abrir a CPI foi de que uma investigação do Ministério Público em caráter sigiloso já está em andamento.Na semana passada, investigadores do MP cumpriram mandados de busca e apreensão nos gabinetes e nas casas de quatro vereadores, suspeitos de receberem pagamento em troca de apresentarem uma emenda ao projeto de revisão do Plano Diretor, que permitiria a construção de prédios mais altos no corredor gastronômico de Bento Gonçalves.O presidente da Câmara argumenta que, na investigação do MP, todas as pessoas ouvidas prestaram compromisso de manter sigilo sobre o teor correspondente e, por isso, não seria pertinente um trabalho investigativo da CPI.No despacho, o vereador também cita que o regimento interno da Câmara prevê que não seja admitido CPI sobre matérias do poder judiciário. Scussel Neto argumenta que o objetivo desse item do regimento é "salvaguardar" o trabalho do Ministério Público.Ao final do despacho, o presidente cita que suspende a análise do pedido de abertura de CPI enquanto perdurar a análise judicial e enquanto o processo estiver em caráter sigiloso. Leia também"Quero ser mais amigável para a gente poder alavancar Caxias do Sul", diz novo vereador sobre postura em relação ao governo GuerraVereadores ficam surpresos com troca de titular na Secretaria da Saúde de CaxiasCom pré-candidato ao Piratini, PSDB caxiense segue com CC no governo SartoriPorto Alegre, RSPioneiro.comPresidente da Câmara de Bento nega abertura de CPI sobre suposto pagamento de propina a vereadoresPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-presidente-da-camara-de-bento-nega-abertura-de-cpi-sobre-suposto-pagamento-de-propina-a-vereadores-10373630Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24410978UAB quer CPI para investigar prefeito de Caxias do Sul no caso de vazamento de áudiosEm mensagens, líder do governo sugeriu dar "corretivo" em líder comunitário2018-06-12T05:09:01-03:002018-06-12T05:09:01-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSMarcelo CasagrandeUAB quer CPI para investigar prefeito de Caxias do Sul no caso de vazamento de áudiosPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24410978Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-uab-quer-cpi-para-investigar-prefeito-de-caxias-do-sul-no-caso-de-vazamento-de-audios-10371759UAB quer CPI para investigar prefeito de Caxias do Sul no caso de vazamento de áudiosEm mensagens, líder do governo sugeriu dar "corretivo" em líder comunitário2018-06-12T05:09:01-03:002018-06-12T05:09:01-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brA União das Associações de Bairros (UAB) não vai mais solicitar aos vereadores a abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o vereador Chico Guerra (PRB). O pedido agora será de uma CPI do prefeito Daniel Guerra (PRB, na foto com Chico) para apurar infração político-administrativa e ato de improbidade no episódio do vazamento de áudios do líder do governo.Leia maisLíder de governo de Caxias sugere dar "corretivo" a presidente de bairro com corte de verbas a comunidadeA mudança é porque a entidade entendeu que o vereador cumpriu ordens da administração municipal quando disse ao ex-coordenador de Relações Comunitárias, Rafael Bado, que era preciso dar um "corretivo" no presidente da associação de moradores do Cânyon, Marciano Correa da Silva. A conversa vazou na semana passada e foi divulgada durante a sessão da Câmara.A UAB irá solicitar uma audiência na quarta-feira com o presidente do Legislativo, Alberto Meneguzzi (PSB), para explicar os motivos do pedido de CPI e, após, irá bater de gabinete em gabinete para pedir o apoio dos parlamentares. Uma CPI precisa da assinatura de oito vereadores para ser aberta. Não há necessidade de votação em plenário. Com as assinaturas mínimas, a comissão já pode ser instalada. — Para nós, deve ser investigado se existe uma perseguição deliberada sobre as entidades civis organizadas — defende Paulo Sausen, presidente da Assembleia Geral da UAB. A associação já havia apresentado pedido de abertura de processo administrativo disciplinar contra Chico Guerra. Outras duas denúncias foram apresentadas pelo vereador Rafael Bueno (PDT) e pelo vice-prefeito Ricardo Fabris de Abreu (Avante). Esses três documentos seguem para a Comissão de Ética Parlamentar, que é presidida pelo vereador Renato Nunes (PR), da base do governo. Chico Guerra também integra a comissão.Uma possível CPI é mais um desgaste para o governo Guerra, que se livrou de um impeachment há menos de dois meses. Leia também"Quero ser mais amigável para a gente poder alavancar Caxias do Sul", diz novo vereador sobre postura em relação ao governo GuerraVereadores ficam surpresos com troca de titular na Secretaria da Saúde de CaxiasCom pré-candidato ao Piratini, PSDB caxiense segue com CC no governo SartoriPorto Alegre, RSPioneiro.comUAB quer CPI para investigar prefeito de Caxias do Sul no caso de vazamento de áudiosPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-uab-quer-cpi-para-investigar-prefeito-de-caxias-do-sul-no-caso-de-vazamento-de-audios-10371759Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24409127União das Associações de Bairros de Caxias quer CPI para investigar Chico Guerra Abertura de comissão parlamentar de inquérito precisa ser solicitada por um terço dos vereadores2018-06-11T07:34:02-03:002018-06-11T07:34:02-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSMatheus TeodoroUnião das Associações de Bairros de Caxias quer CPI para investigar Chico Guerra Pioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24409127Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-uniao-das-associacoes-de-bairros-de-caxias-quer-cpi-para-investigar-chico-guerra-10370899União das Associações de Bairros de Caxias quer CPI para investigar Chico Guerra Abertura de comissão parlamentar de inquérito precisa ser solicitada por um terço dos vereadores2018-06-11T07:34:02-03:002018-06-11T07:34:02-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brA União das Associações de Bairros (UAB) de Caxias está em busca de vereadores que aceitem apresentar um pedido de abertura de comissão parlamentar de inquérito para investigar o vereador Chico Guerra (PRB). O encaminhamento foi aprovado durante assembleia geral da entidade, realizada na tarde de sábado, e nesta segunda-feira a executiva irá definir quais parlamentares serão procurados. Para uma CPI ser aberta, é preciso da assinatura de um terço dos vereadores. Leia mais"Se eu erro, tenho que pagar pelo erro", diz Chico GuerraPresidente da entidade, Valdir Walter, explica que a UAB quer uma investigação aprofundada do conteúdo das conversas entre o líder do governo e o ex-coordenador de Relações Comunitárias, Rafael Bado. Nos áudios, vazados na quarta-feira da semana passada, Chico diz a Bado que é preciso dar um "corretivo" no presidente da associação de moradores do Cânyon, Marciano Correa da Silva. A entidade quer saber, por exemplo, quem está na “lista negra” citada por Chico nos áudios. Na conversa, Marciano é indicado como o número um da relação. Walter não quis adiantar quais vereadores serão procurados. “Não decidimos ainda”, limitou-se a dizer. — É um assunto grave. Não se trata apenas de uma liderança, mas de todo o movimento comunitário. Eles ainda não entenderam que o movimento está para ajudar e não atrapalhar — destaca o presidente da associação. Na quinta-feira da semana passada, a UAB já havia apresentado pedido de abertura de processo administrativo disciplinar contra o líder do governo. Outros dois pedidos foram protocolados na semana passada: um pelo vereador Rafael Bueno (PDT) e outro pelo vice-prefeito Ricardo Fabris de Abreu (Avante). Chicoleaks — Fabris entregará nesta segunda, a cada vereador, um ofício cobrando ações, como a perda do mandato dos envolvidos no episódio dos áudios. No documento, chama a crise política de "chicoleaks", em referência ao Wikileaks, site especializado em vazar material confidencial de governos. Ao vereador Chico Guerra, o ofício é personalizado. Nele, sugere que renuncie ao mandato. O vice diz que irá entregar os documentos pessoalmente. Fabris está de licença autorizada pela Câmara, desde o início do mês, para ausentar-se da cidade, o que não aconteceu até agora. Leia tambémCom pré-candidato ao Piratini, PSDB caxiense segue com CC no governo SartoriNovo vereador assume na Câmara de Caxias do Sul na terça-feiraVereador Chico Guerra comprova ameaças de presidente da Amob CânyonPorto Alegre, RSPioneiro.comUnião das Associações de Bairros de Caxias quer CPI para investigar Chico Guerra Pioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-uniao-das-associacoes-de-bairros-de-caxias-quer-cpi-para-investigar-chico-guerra-10370899Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24409168Vereadores ficam surpresos com troca de titular na Secretaria da Saúde de CaxiasDeysi teve encontro com parlamentares pela manhã e horas depois foi substituída2018-06-11T06:25:01-03:002018-06-11T06:25:01-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSAdriano Chaves, DivulgaçãoVereadores ficam surpresos com troca de titular na Secretaria da Saúde de CaxiasPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24409168Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-vereadores-ficam-surpresos-com-troca-de-titular-na-secretaria-da-saude-de-caxias-10370887Vereadores ficam surpresos com troca de titular na Secretaria da Saúde de CaxiasDeysi teve encontro com parlamentares pela manhã e horas depois foi substituída2018-06-11T06:25:01-03:002018-06-11T06:25:01-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brNa sexta-feira pela manhã, horas antes da troca de comando na Secretaria Municipal da Saúde, a então titular da pasta, Deysi Piovesan, recebeu um grupo de vereadores para esclarecer dúvidas e falar sobre o projeto UBS+. Edi Carlos (PSB), um dos parlamentares que solicitou a reunião, saiu satisfeito com a conversa e a promessa de novos encontros para falar sobre o tema. Leia maisPrefeitura de Caxias tem novo secretário da SaúdeÀ noite, foi surpreendido com a notícia de que Deysi não era mais a secretária, já que durante a manhã não havia mencionado que deixaria o cargo. O vereador imagina que ela nem soubesse da mudança. — Não quero que troque secretário a cada ano para no final eu, como oposição, dizer que trocou não sei quantos secretários na gestão. Quero que as coisas funcionem — diz Edi Carlos.Velocino Uez (PDT), que também participou do encontro, diz ter achado muito estranha a substituição. Durante a conversa, ele conta que Deysi estava muito tranquila e até o questionou sobre o projeto, perguntando o que achava da proposta: — Não parece ruim, só não entendo porque precisa mexer no Postão, respondi para ela. Trocar quatro secretários em um ano e meio não é um bom sinal. Além de Edi Carlos e Uez, participaram do encontros Arlindo Bandeira (PP), Neri, o Carteiro (SD), Kiko Girardi (PSD), Chico Guerra (PRB) e Renato Nunes (PR). No material enviado à imprensa na sexta-feira à noite, a prefeitura não explicou o motivo da mudança na secretaria. Tanto Deysi quanto o novo secretário, Geraldo da Rocha Freitas Júnior, irão conceder entrevista somente nesta segunda-feira, em uma coletiva de imprensa marcada para as 14h, na Secretaria. Leia tambémGoverno volta a enfileirar uma coleção de conflitos nos primeiros meses deste anoCom pré-candidato ao Piratini, PSDB caxiense segue com CC no governo SartoriPré-candidato do PSDB ao Piratini, Eduardo Leite cumpre agenda na SerraPorto Alegre, RSPioneiro.comVereadores ficam surpresos com troca de titular na Secretaria da Saúde de CaxiasPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-vereadores-ficam-surpresos-com-troca-de-titular-na-secretaria-da-saude-de-caxias-10370887Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24409045"Quero ser mais amigável para a gente poder alavancar Caxias do Sul", diz novo vereador sobre postura em relação ao governo GuerraWagner Petrini assume cadeira na Câmara de Caxias do Sul nesta terça-feira2018-06-11T05:27:12-03:002018-06-11T05:27:12-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSVania Espeiorin"Quero ser mais amigável para a gente poder alavancar Caxias do Sul", diz novo vereador sobre postura em relação ao governo GuerraPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24409045Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-quero-ser-mais-amigavel-para-a-gente-poder-alavancar-caxias-do-sul-diz-novo-vereador-sobre-postura-em-relacao-ao-governo-guerra-10370843"Quero ser mais amigável para a gente poder alavancar Caxias do Sul", diz novo vereador sobre postura em relação ao governo GuerraWagner Petrini assume cadeira na Câmara de Caxias do Sul nesta terça-feira2018-06-11T05:27:12-03:002018-06-11T05:27:12-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brSuplente do PSB, Wagner Petrini assume nesta terça-feira como vereador na Câmara de Caxias do Sul. Ele substitui Elói Frizzo (PSB), que se licenciou para ocupar cargo no governo de José Ivo Sartori (MDB). Conhecido como Muleke, ele não irá usar no Legislativo o apelido que carrega desde criança. Quer transmitir uma imagem mais séria. A bandeira do mandato não poderá ser outra a não ser a que defendeu durante a campanha: o esporte automotor. Em 30 dias, ele projeta protocolar projeto que destine área para a prática. Quanto ao governo do prefeito Daniel Guerra (PRB), será, por óbvio, oposição, mas não radical, promete.Leia maisNovo vereador assume na Câmara de Caxias do Sul na terça-feiraPioneiro: Quem é Wagner Petrini?Wagner Petrini: Vou começar pelo meu apelido. Por que Muleke? Eu tenho três irmãs mais velhas e meu pai sempre teve o sonho de ter um filho homem, então, quando eu nasci, a enfermeira chegou e disse: nasceu um molequinho. Começou com meu pai me chamando de moleque, a família chamando de moleque, depois na escola, no futebol, no trabalho. E eu acabei entrando na política como Muleke. Eu sou de Caxias, sempre morei na região do Desvio Rizzo. Aos 16, entrei no Senai e me formei em matrizaria, ferramentaria, e trabalhei em algumas empresas de Caxias. Depois, comecei a trabalhar com eventos e aí fui convidado pela vereadora Gládis Frizzo a fazer parte da associação de moradores do Desvio Rizzo. Em 2010, ela foi presidente e eu vice. Aí ela me convidou para conhecer o PSB (hoje a vereadora é do MDB) e me filiei. Em 2012, concorri a vereador, entrei na administração Alceu (Barbosa Velho) em 2013, passei a dirigir a juventude do partido (PSB) municipal. Em 2014, passei a ser secretário de organização da juventude estadual do partido. Em 2016, concorri a vereador de novo e fiquei como suplente. Sempre defendi o esporte automotor, que envolve o carro baixo, o som automotivo, o arrancadão de moto, sempre na linha da juventude. Em 2017, por um período de maio a setembro, fui assessor do deputado Catarina (Palandi) na Assembleia. Minha luta é em cima da juventude e do esporte automotor. É um tema polêmico. Essa juventude da Estação Férrea, do posto de gasolina, do som, a minha luta é para achar um espaço que contemple esse jovem para tirá-lo desses lugares, que acaba incomodando. E o que você propõe?A minha proposta é um espaço longe do centro da cidade, por exemplo, como o pessoal já está trabalhando, que é um autódromo (proposta do vereador Arlindo Bandeira, PP). Mas o autódromo acaba se tornando uma questão mais difícil. O mais rápido seria um espaço que a gente consiga fazer evento, tipo a Fenachamp, em Garibaldi. Pessoal lá envolve num domingo do mês um espaço que contemple um campeonato de rebaixado, um arrancadão de moto, um som automotivo.Esse projeto já está formatado?Estamos com o projeto em andamento. Assumindo, a gente vai ver as questões legais para não se tornar inconstitucional e acho que em questão de 30 dias a gente vai apresentar esse projeto. Alguma outra proposta será encaminhada de imediato, antes desse projeto?De imediato, vou começar na região do Desvio Rizzo, já na primeira semana, o nosso gabinete itinerante. Todo sábado à tarde, vamos recolher demandas da população e, futuramente, na região mesmo, a gente vai tentar, na área do turismo, contemplar a Lagoa do Desvio Rizzo com parque de pedalinho. Estamos trabalhando para ver o que a gente pode fazer de forma legal. Como será a sua atuação em relação ao governo Guerra?Nosso partido é oposição, mas eu acredito na oposição propositiva, onde a gente não pode ser oposição por oposição. A gente tem que trabalhar de forma que o que for para contemplar o povo caxiense, eu serei a favor do governo. Agora, tem ações que vai depender muito, mas isso a gente tem que ver a situação de cada momento. Eu quero ser parceiro, trabalhar junto, tanto a favor do governo quanto a favor dos vereadores para que a gente pare com esse impasse entre governo e Câmara e alavanque Caxias.O senhor irá substituir o vereador Elói Frizzo, que é um dos mais críticos ao Governo Guerra. A sua postura será parecida com a do Frizzo ou mais parecida com a do Edi Carlos, também seu companheiro de partido, que é mais light?O Elói, acho que não tem comparação, é um vereador muito experiente, é um cara que já conhece a cidade muito bem, é um vereador que tem muito trabalho contemplado em Caxias e tem postura mais radical de opositor mesmo. Eu não. Tenho uma posição mais puxando para o lado do Edi Carlos, que é uma oposição... Como eu falei, vou fazer algumas ações que vou depender do governo, então, quero ser mais amigável para a gente poder alavancar Caxias do Sul. O que o senhor acha do governo Guerra?Acho que começou em um padrão muito autoritário, centralizador. A população mesmo viu que o governo estava estilo uma monarquia, mas com o passar do tempo, o governo viu que não era muito bem por esse caminho e começou a tentar aproximar os vereadores, escutar mais a população. Até mesmo o impeachment acho que ajudou o prefeito a rever sua visão autoritária, acho que, agora, o governo está pegando uma linha de diálogo, isso porque qualquer problema que se tem, se resolve no diálogo.Leia tambémGoverno volta a enfileirar uma coleção de conflitos nos primeiros meses deste ano"Se eu erro, tenho que pagar pelo erro", diz Chico GuerraCom pré-candidato ao Piratini, PSDB caxiense segue com CC no governo SartoriPorto Alegre, RSPioneiro.com"Quero ser mais amigável para a gente poder alavancar Caxias do Sul", diz novo vereador sobre postura em relação ao governo GuerraPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-quero-ser-mais-amigavel-para-a-gente-poder-alavancar-caxias-do-sul-diz-novo-vereador-sobre-postura-em-relacao-ao-governo-guerra-10370843Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24407885Governo volta a enfileirar uma coleção de conflitos nos primeiros meses deste anoNa gravação, líder do governo sugere "corretivo" em líder comunitário, mas prefeito Guerranega retaliação2018-06-09T16:02:07-03:002018-06-09T16:02:07-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSJuliana Bevilaqua / Agência RBSGoverno volta a enfileirar uma coleção de conflitos nos primeiros meses deste anoPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24407885Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-governo-volta-a-enfileirar-uma-colecao-de-conflitos-nos-primeiros-meses-deste-ano-10370463Governo volta a enfileirar uma coleção de conflitos nos primeiros meses deste anoNa gravação, líder do governo sugere "corretivo" em líder comunitário, mas prefeito Guerranega retaliação2018-06-09T16:02:07-03:002018-06-09T16:02:07-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brDesde o arquivamento do impeachment, em abril, o governo de Daniel Guerra (PRB) vivia dias de alguma tranquilidade. Afora a divergência com a antiga composição do Conselho Municipal de Saúde, que rejeitou a proposta de gestão compartilhada do Pronto-Atendimento 24 Horas, o Postão, e a tentativa de convencer os novos integrantes do órgão da necessidade de adotar a medida, não havia fortes polêmicas. Leia maisLíder de governo de Caxias sugere dar "corretivo" a presidente de bairro com corte de verbas a comunidade"Se eu erro, tenho que pagar pelo erro", diz Chico Guerra. Confira a entrevistaMas, nesta semana, o vazamento de áudios voltou a abalar o governo. Neles, o líder de governo e irmão do prefeito, Chico Guerra (PRB), sugere que as demandas do presidente da Associação de Moradores do bairro Cânyon, Marciano Correa da Silva, não sejam atendidas como forma de dar um "corretivo" no líder comunitário. Guerra nega a retaliação. Assim, nos primeiros meses de 2018, já surge uma coleção de novos conflitos, dando sequência à sucessão de impasses do ano anterior que, com frequência, eram judicializados.Com os novos conflitos neste ano, o governo fica exposto à avaliação dos eleitores. Entre os comentários no Facebook do Pioneiro, as opiniões se dividem. Há os que concordam com a postura de Chico no episódio do áudio e os que lamentam a possibilidade de moradores serem prejudicados por conta de uma briga política. Marciano foi um dos autores do terceiro pedido de impeachment de Guerra e, conforme vídeos apresentados pelo vereador Chico, fez ameaças a ele e ao irmão prefeito. Nas ruas, o sentimento também se divide quando o assunto é avaliação do governo. Em uma enquete realizada com 10 pessoas na Praça Dante Alighieri, na tarde desta sexta-feira, sete consideraram que a administração não anda bem. Outros três entendem que o governo tem coisas boas. OUTRAS POLÊMICAS EM 2018Desfecho do impeachment em abril, com arquivamento da denúncia. Proposta de gestão compartilhada do Postão foi rejeitada pelo Conselho de Saúde. O conselho tem nova composição, e a prefeitura tenta obter autorização do órgão para a gestão compartilhada. Aumento da tarifa do transporte coletivo determinado pela Justiça. Ausência de Guerra em compromissos, como o encontro na CIC e a audiência de conciliação com a Visate. FALA, POVOO que você está achando do governo do prefeito Daniel Guerra?"Ruim, o pior que já passou. É só vir na praça (Dante Alighieri) para ver a sujeira. E o Postão? Um dia fiquei seis horas esperando, mais três horas para fazer um exame. Parece que largaram a cidade de mão." Paulo Pires, 46 anos, operador de máquinas."Parece que esse prefeito não quer diálogo com ninguém. Para mim, continua tudo igual, mas asfaltaram a Visconde de Pelotas com tantas outras ruas precisando mais. Eu só percebo reclamações." Isabel Casal, 68, aposentada."Está mais ou menos. Eu não sou daqui, mas meus filhos que moram há uns 20 anos, dizem que está médio. Tem que torcer para melhorar." Oli da Silva Martins, 67, aposentado."A distância, uma coisa que me parece boa que ele fez foi acabar com a panela (de cargos em comissão) que tinha na prefeitura. Mas, claro, tem que ver se ele não está formando outra. Antes, tinha vereador que não era eleito e conseguia CC na prefeitura." José Jardelino da Silva, 64, aposentado."Não está bom. Não tem escolinha para as crianças, falta remédio nas UBSs." Tatiana Beatriz Kurek dos Santos, 35, comerciante."Péssimo. É o pior atraso para essa cidade. Tudo o que ele fez foi entrar na Justiça e perder. A cidade não tem mais limpeza, é só para inglês ver. Não tem manutenção. Capina não tem mais." João Carlos Rizzon, 63, aposentado."Bom. Ele é o cara. Botou os médicos para trabalhar. Já quiseram fazer impeachment dele, mas não vejo motivo. Virou mania pedir impeachment. Se é mau administrador, se desviou dinheiro, tudo bem. Gestor sempre vai receber críticas. Não vejo ninguém dizer que ele é ladrão. Não tem por que reclamar." Marcos dos Santos, 52, aposentado."Algumas coisas estão boas, como a UPA Zona Norte." Elisandra Pedroso dos Santos, 22, dona de casa."Mais ou menos. Não resolve nada do que precisa." Michele Ramos, 22, vendedora."Estou gostando. Ele está colocando as coisas no lugar. Está colocando a educação em dia. Na saúde, está colocando as pessoas trabalharem no horário. Acho isso importante. Está também ajudando os imigrantes, e acho isso importante também." Liane Maria Polla, 35, esteticista.Leia tambémPostão 24h volta a ter atendimento pediátrico neste final de semana em CaxiasAutismo é foco de ações em Caxias do SulCom pré-candidato ao Piratini, PSDB caxiense segue com CC no governo Sartori Campanha do agasalho: conheça iniciativas que arrecadam roupas para crianças de Caxias do SulPorto Alegre, RSPioneiro.comGoverno volta a enfileirar uma coleção de conflitos nos primeiros meses deste anoPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-governo-volta-a-enfileirar-uma-colecao-de-conflitos-nos-primeiros-meses-deste-ano-10370463Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24407872"Se eu erro, tenho que pagar pelo erro", diz Chico Guerra. Confira a entrevista"Sou franco, os áudios são do ano passado e, daqui a pouco, não tenho o WhatsApp do prefeito"2018-06-09T15:17:37-03:002018-06-09T15:17:37-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSDiogo Sallaberry / Agência RBS"Se eu erro, tenho que pagar pelo erro", diz Chico Guerra. Confira a entrevistaPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24407872Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-se-eu-erro-tenho-que-pagar-pelo-erro-diz-chico-guerra-confira-a-entrevista-10370459"Se eu erro, tenho que pagar pelo erro", diz Chico Guerra. Confira a entrevista"Sou franco, os áudios são do ano passado e, daqui a pouco, não tenho o WhatsApp do prefeito"2018-06-09T15:17:37-03:002018-06-09T15:17:37-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brNa semana em que foi o personagem central do cenário político caxiense, o vereador e líder do governo Chico Guerra (PRB) conversou com a reportagem do Pioneiro na quinta-feira sobre o áudio divulgado no dia anterior, em que admite a necessidade de aplicar um "corretivo" no líder comunitário Marciano Correa da Silva. Leia maisVereador Chico Guerra comprova ameaças de presidente da Amob CânyonUnião das Associações de Bairros de Caxias pede a cassação do vereador Chico GuerraConfira a entrevista:Pioneiro: Por que o senhor apresentou os vídeos que mostram Marciano lhe ameaçando na sessão? Chico Guerra: Algumas rádios e jornais pediram que eu provasse que o Marciano tinha cometido uma ameaça. Peguei as partes que interessavam, sem nenhuma alteração, e apresentei aqui (na sessão de quinta-feira da Câmara). Está provado que ele fez ameaça publicamente, fora as ameaças que fazia nas sessões. Por que somente agora apresentou essas ameaças? Entendo que o senhor Marciano é uma pessoa boa. Ele não é do mal. Ele é uma pessoa de bom coração. Ele e outras pessoas estão sendo usadas por um pequeno grupo de oposição para tentar denegrir. Essas pessoas do bem acabam caindo nesses contos de fada, para no futuro ter alguma moeda de troca. O senhor diz (no áudio divulgado) para o ex-coordenador de Relações Comunitárias (Rafael Bado) não atender aos pedidos do presidente do Cânyon, mas a prefeitura apresenta uma relação de demandas... O governo mostrou que (o bairro) está sendo atendido. Eu não tenho poder sobre o Executivo. Não tenho poder sobre os servidores. Não sou chefe de ninguém lá. Mas é o líder do governo. Mas aqui na casa legislativa. Não sou nada no Executivo. Mas orientou um integrante do Executivo. Foi uma forma de atingir somente o Marciano. Ele me ameaçava, e ninguém tem sangue de barata. A gente entende que o Marciano usa a função de presidente para ficar se promovendo. Ele, não conseguindo fazer as ações no bairro, era uma forma de sentir que estava sendo muito violento (na Câmara)... Foi essa a única intenção. Mas o governo em nenhum momento deixou de fazer as coisas porque faz, indiferente do bairro. Agora, coisas irregulares não vamos fazer até acontecer a regularidade da situação. Na conversa com Bado, o senhor diz que tem a autorização do prefeito para não realizar demandas solicitadas pelo presidente do bairro Cânyon. Sou bem franco, esses áudios são do ano passado e daqui a pouco não tenho o WhatsApp do prefeito. Mas cabe a mim passar o que acontece aqui dentro (da Câmara). Se uma pessoa está batendo, cabe ao líder de governo levar ao prefeito. Mas o senhor conversou com o prefeito Guerra sobre o assunto? Não lembro. Faz muito tempo. Agora, o Rafael Bado está sendo usado. Talvez estão prometendo alguma coisa para o futuro e ele está caindo nessa armadilha. O Rafael Bado também é uma pessoa boa de coração. Tenho ele como amigo. Por isso, jamais vou tomar uma postura contra ele. Essa decisão de não atender às obras no Cânyon era porque o presidente do bairro fazia ameaças? O áudio era para atingir o Marciano. As pessoas lá do Cânyon que pediam (obras) era para atender normal. O foco era...O foco era a atitude do Marciano. Existe uma "lista negra" no governo Guerra?Essa questão não existe. Ele (Marciano) tinha que receber uma represália porque estava extrapolando. Está até cometendo ato de crime. Tiveram outras pessoas que me encheram de nomes, eu e o prefeito. Nunca tomei postura nenhuma porque nenhum deles me ameaçou. Não é antidemocrático tratar as ameaças com represálias? Não. Se eu erro, tenho que pagar por aquele erro. Se outras pessoas fizerem críticas ao governo, haverá algum tipo de represália? Não. Tem um servidor do PA (Pronto-Atendimento 24 Horas) que em todas as sessões gritou e não fiz nada. Se fosse assim, iria sugerir ao Executivo o afastamento ou a abertura de uma sindicância. NO GOOGLE TRENDS> O Google Trends, ferramenta do Google que apresenta os termos mais populares, mostra que o interesse por Daniel Guerra vem caindo desde a sua eleição.> Em outubro de 2016, havia pico de busca pelo nome do atual prefeito.> Em 2017, as buscas caíram, com pico quando o vice-prefeito Ricardo Fabris de Abreu (Avante) anunciou sua renúncia e logo depois, entre março e abril.> Neste ano, o gráfico mostra que a curiosidade dos internautas sobre o prefeito Daniel Guerra é bem mais baixa.NA REDE SOCIALNo Facebook do Pioneiro*"Impressionante a importância que o excelentíssimo vereador (Rafael Bueno e outros) dá para intrigas. Quanta energia desperdiçada." Jussara Bolson"Lamentável! Independente da ideologia, um governo que governa para uns e não para todos está fadado ao fracasso." Mário Henrique da Rocha"Partindo do pressuposto que os presidentes de bairros na maioria das vezes só pedem o que eles querem para beneficiar quem eles querem, que moram em tal rua ou só a rua deles mesmo, e não para toda a população do bairro, não vejo nada de errado em negar os pedidos dessa pessoa, pois todos sabem que presidentes de bairro possuem interesses particulares." Fabiana Gomes"Revoltante saber que eles foram eleitos pela população e não querem ser cobrados. Eles estão lá para servir à população e não para serem servidos, afinal, o dinheiro que entra na prefeitura é de impostos que são cobrados, e muito caros." José Eduardo Moraes*Comentários postados na primeira matéria sobre o vazamento dos áudios da conversa entre Chico Guerra e Rafael Bado. Leia tambémPostão 24h volta a ter atendimento pediátrico neste final de semana em CaxiasAutismo é foco de ações em Caxias do SulCom pré-candidato ao Piratini, PSDB caxiense segue com CC no governo Sartori Campanha do agasalho: conheça iniciativas que arrecadam roupas para crianças de Caxias do SulPorto Alegre, RSPioneiro.com"Se eu erro, tenho que pagar pelo erro", diz Chico Guerra. Confira a entrevistaPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-se-eu-erro-tenho-que-pagar-pelo-erro-diz-chico-guerra-confira-a-entrevista-10370459Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24407102Com pré-candidato ao Piratini, PSDB caxiense segue com CC no governo Sartori Ozório Rocha, que ocupa cargo na Metroplan, assumiu presidência do partido até fim de outubro2018-06-09T09:00:03-03:002018-06-09T09:00:03-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSGreice TedescoCom pré-candidato ao Piratini, PSDB caxiense segue com CC no governo Sartori Pioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24407102Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-com-pre-candidato-ao-piratini-psdb-caxiense-segue-com-cc-no-governo-sartori-10369993Com pré-candidato ao Piratini, PSDB caxiense segue com CC no governo Sartori Ozório Rocha, que ocupa cargo na Metroplan, assumiu presidência do partido até fim de outubro2018-06-09T09:00:03-03:002018-06-09T09:00:03-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brO vice-presidente do PSDB de Caxias do Sul, Ozório Alcides Rocha, ficará como presidente em exercício do partido até o final de outubro, devido à licença da presidente, vereadora Paula Ioris. Ela é pré-candidata a deputada federal. Embora o partido tenha pré-candidato a governador, o ex-prefeito de Pelotas e presidente estadual da sigla, Eduardo Leite, Ozório segue ocupando o cargo em comissão como chefe de governança da Metroplan na Serra (salário bruto R$ 6.511). Ele diz que se trata de uma indicação pessoal do governador José Ivo Sartori (MDB).— Mesmo quando o PSDB se retirou do governo, Sartori disse que não alterava porque foi pessoal (a indicação).Leia mais Pré-candidato do PSDB ao Piratini, Eduardo Leite cumpre agenda na SerraOzório foi secretário municipal da Receita nas administrações de Sartori e não poupa elogios ao governador. Em visita ao Pioneiro, na quinta-feira, várias vezes Eduardo Leite frisou a alta rejeição de Sartori.— Para mim, é um dos maiores políticos do país, pela seriedade incontestável e pela coragem de ter enfrentado o Estado nesta situação (financeira). O PSDB está tirando uma candidatura e eu não vou afrontar nosso candidato, vou acolhê-lo. Mas sempre respeitando o governador, meu amigo – disse Ozório.Ele garante que vai trabalhar para Leite na campanha, mas acrescenta:— Jamais vou bater no governador Sartori.O presidente em exercício do PSDB, por sua vez, admite a rejeição ao governador por parte do funcionalismo estadual, mas diz que de modo geral há reconhecimento do que Sartori faz para salvar o Estado.Sobre o plebiscito para as privatizações da CEEE, Sulgás e CRM, que teve votos do PSDB para sua derrota, Ozório tem posicionamento contrário ao do pré-candidato de seu partido:– Eu entendia que devíamos votar com o governo. Eduardo entendeu que não. São posições pessoais. Tenho minha opinião. Não foi discutido dentro do partido.Leia tambémFecha o cerco contra o líder do governo Daniel Guerra, na Câmara de Vereadores de CaxiasPF investiga segundo empresário gaúcho por locaute durante a greve dos caminhoneirosPorto Alegre, RSPioneiro.comCom pré-candidato ao Piratini, PSDB caxiense segue com CC no governo Sartori Pioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-com-pre-candidato-ao-piratini-psdb-caxiense-segue-com-cc-no-governo-sartori-10369993Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24406160Charge do Iotti deste final de semana Chico Guerra mostra ameaças que sofreu no ano passado 2018-06-09T08:00:04-03:002018-06-09T08:00:04-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSIotti / Agência RBS Charge do Iotti deste final de semana Pioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24406160Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-charge-do-iotti-deste-final-de-semana-10369550Charge do Iotti deste final de semana Chico Guerra mostra ameaças que sofreu no ano passado 2018-06-09T08:00:04-03:002018-06-09T08:00:04-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brLeia também:Serviços públicos de Caxias e Nova Petrópolis terão mudanças de horário durante os jogos do BrasilEGR abre licitação para a construção de alça ligando a RS-122 à Rota do Sol, em CaxiasPorto Alegre, RSPioneiro.comCharge do Iotti deste final de semana Pioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-charge-do-iotti-deste-final-de-semana-10369550Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24401592Fecha o cerco contra o líder do governo Daniel Guerra, na Câmara de Vereadores de CaxiasVereador Rodrigo Beltrão defende ainda que seja investigado se o Executivo acatou "corretivo" divulgado pelo irmão do prefeito2018-06-08T07:20:17-03:002018-06-08T07:20:17-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSDaniel CorrêaFecha o cerco contra o líder do governo Daniel Guerra, na Câmara de Vereadores de CaxiasPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24401592Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-fecha-o-cerco-contra-o-lider-do-governo-daniel-guerra-na-camara-de-vereadores-de-caxias-10365810Fecha o cerco contra o líder do governo Daniel Guerra, na Câmara de Vereadores de CaxiasVereador Rodrigo Beltrão defende ainda que seja investigado se o Executivo acatou "corretivo" divulgado pelo irmão do prefeito2018-06-08T07:20:17-03:002018-06-08T07:20:17-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brO cerco se fechou na Câmara de Vereadores contra o líder do governo Chico Guerra (PRB). Pode recair sobre ele o "corretivo" defendido ao presidente da associação de moradores do bairro Cânyon, Marciano Correa da Silva, conforme áudio que vazou da conversa com o ex-coordenador de Relações Comunitárias, Rafael Bado. Foram protocolados três pedidos de processo disciplinar na Comissão de Ética Parlamentar (os encaminhamentos foram feitos pela UAB, pelo vereador Rafael Bueno, do PDT, e pelo vice-prefeito Ricardo Fabris de Abreu, do Avante), além de denúncias no Ministério Público.Leia mais Vereador Chico Guerra comprova ameaças de presidente da Amob Cânyon União das Associações de Bairros de Caxias pede a cassação do vereador Chico Guerra "Corretivo" e "lista negra" indicam possível retaliação do governo Daniel Guerra Prefeito de Caxias do Sul nega retaliação a presidente da Amob do CânyonLíder de governo de Caxias sugere dar "corretivo" a presidente de bairro com corte de verbas a comunidade Beltrão disse que Chico Guerra age como primeiro-ministroFoto: Franciele Masochi Lorenzett / DivulgaçãoEsta é a nova polêmica que envolve o governo Daniel Guerra (PRB), especialmente pelo fato de, no áudio, o líder dizer que havia a concordância do prefeito. E ainda anunciou: "É o número um da lista negra".Na sessão de ontem, o vereador Rodrigo Beltrão (PT) questionou qual é o poder de fato do irmão do prefeito.— Parecia que ele estava dando uma ordem (no áudio) como se primeiro-ministro fosse. O petista defendeu que não é Chico Guerra que a Câmara tem que investigar, mas, sim, o Poder Executivo, se de fato deu consequência à ordem do "primeiro-ministro".— Talvez, pegando o fio da meada, se descubra que, se há um líder comunitário sendo perseguido, imaginem os vereadores mais enfáticos em fazer oposição o que pode estar acontecendo. Ou não. Mas isso tem que vir a público.Chico tentou inverter a situação, mostrando um vídeo em que Marciano fala que iria erguê-los na “adaga” e no “pranchaço”. Porém, não apaga a represália anunciada em nome do prefeito. Imaginava-se que Chico pedisse desculpas pelo que disse no áudio. O que não aconteceu.Paula Ioris (PSDB) definiu: — Nada justifica o que a gente ouviu. Se o senhor Marciano se exaltou, acho que a gente não pode perder nunca, enquanto lideranças, a serenidade que precisamos ter no nosso mandato, seja no Executivo ou no Legislativo.Leia também Novo vereador assume na Câmara de Caxias do Sul na terça-feiraPré-candidato do PSDB ao Piratini, Eduardo Leite cumpre agenda na SerraPorto Alegre, RSPioneiro.comFecha o cerco contra o líder do governo Daniel Guerra, na Câmara de Vereadores de CaxiasPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-fecha-o-cerco-contra-o-lider-do-governo-daniel-guerra-na-camara-de-vereadores-de-caxias-10365810Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24401559Pré-candidato do PSDB ao Piratini, Eduardo Leite cumpre agenda na SerraAo lado do pré-candidato Ranolfo Vieira Júnior (PTB), ele esteve em Caxias nesta quinta-feira2018-06-07T21:11:31-03:002018-06-07T21:11:31-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSPorthus JuniorPré-candidato do PSDB ao Piratini, Eduardo Leite cumpre agenda na SerraPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24401559Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-pre-candidato-do-psdb-ao-piratini-eduardo-leite-cumpre-agenda-na-serra-10365808Pré-candidato do PSDB ao Piratini, Eduardo Leite cumpre agenda na SerraAo lado do pré-candidato Ranolfo Vieira Júnior (PTB), ele esteve em Caxias nesta quinta-feira2018-06-07T21:11:31-03:002018-06-07T21:11:31-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brO pré-candidato ao governo do Estado pelo PSDB, Eduardo Leite, cumpre roteiro em Gramado e Caxias do Sul ao lado do pré-candidato a vice, o petebista Ranolfo Vieira Júnior. Em visita ao Pioneiro com os pré-candidatos a deputado Paula Ioris (PSDB) para federal e Adiló Didomenico (PTB) para estadual, o tucano acredita que em breve terá novos anúncios de partidos que se integrem à coligação. E não descarta o PSD do vice-governador José Paulo Cairoli. — O deputado Danrlei (Hinterholz) é um defensor que a coligação seja fechada conosco. Como há esse cenário de fragmentação, os partidos do nosso campo estão conversando entre si, ou seja, com a candidatura do (José Ivo) Sartori (MDB), do (Luis Carlos) Heinze (PP) e com a nossa.No entendimento do pré-candidato ao governo, nesta eleição não cabe falar em terceira via, porque nem sequer tem duas primeiras.— Pela primeira vez, o PT não vem com Olívio (Dutra) nem Tarso (Genro). E do outro lado, o MDB, que tem o governo hoje e com alto nível de rejeição, o que limita nas pesquisas o alcance do atual governador — avalia. Embora o PSDB integrasse o governo Sartori, o pré-candidato não economiza ao falar da rejeição do provável adversário, que transita no mesmo eleitorado.— Não estou desprezando, mas como governador que é, conhecido por 98% da população, estar em situação de empate técnico com os outros todos que são bem menos conhecidos do que ele, é uma situação frágil. Afinidades Sobre a união de PSDB e PTB, Leite disse que entenderam ter afinidades no projeto para o Estado. Ele destacou a segurança pública, a visão do papel do Estado, as reformas estruturantes para recolocar o Rio Grande do Sul em condições de competitividade no cenário nacional, parcerias com a iniciativa privada para investimento na infraestrutura, redução da burocracia para agilizar investimento no Estado e redução de carga tributária a partir da diminuição do custo da própria máquina. As duas vagas para o Senado estão em aberto para outros partidos que possam integrar a coligação. Leite e Ranolfo estiveram nos hospitais Pompéia e Geral, CDL, Sindilojas e UCS.Ranolfo e Leite acompanhados dos vereadores Paula Ioris (PSDB) e Adiló Didomenico (PTB) Foto: Porthus Junior / Agencia RBSPrivatizaçõesEm relação às privatizações da CEEE, Sulgás e CRM, Eduardo Leite disse que é a favor para alavancar um novo projeto de desenvolvimento. Porém, na votação desta semana, o PSDB, do qual Leite é presidente estadual, ajudou a rejeitar a mudança do prazo para realização de plebiscito.A justificativa do tucano é de que seria feito às pressas, em um ambiente tumultuado politicamente e liderado por um governo com alta rejeição, que transferiria sua rejeição ao plebiscito, ou seja, à tese da privatização. — Acho que esse tema tem que ser discutido à parte, liderado por um governo forte, no início do seu mandato, e não no final, no apagar das luzes.Leia tambémNovo vereador assume na Câmara de Caxias do Sul na terça-feira Vereador Chico Guerra comprova ameaças de presidente da Amob CânyonUnião das Associações de Bairros de Caxias pede a cassação do vereador Chico GuerraPrefeito de Caxias do Sul nega retaliação a presidente da Amob CânyonPorto Alegre, RSPioneiro.comPré-candidato do PSDB ao Piratini, Eduardo Leite cumpre agenda na SerraPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-pre-candidato-do-psdb-ao-piratini-eduardo-leite-cumpre-agenda-na-serra-10365808Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24401545Novo vereador assume na Câmara de Caxias do Sul na terça-feiraSuplente Wagner Petrini (Muleke) substitui Elói Frizzo durante licença do parlamentar2018-06-07T21:04:26-03:002018-06-07T21:04:26-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSVania Marta EspeiorinNovo vereador assume na Câmara de Caxias do Sul na terça-feiraPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24401545Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-novo-vereador-assume-na-camara-de-caxias-do-sul-na-terca-feira-10365793Novo vereador assume na Câmara de Caxias do Sul na terça-feiraSuplente Wagner Petrini (Muleke) substitui Elói Frizzo durante licença do parlamentar2018-06-07T21:04:26-03:002018-06-07T21:04:26-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brFoi lido na sessão desta quinta-feira da Câmara de Caxias do Sul o pedido de licença do vereador Elói Frizzo (PSB) para ocupar cargo em comissão no governo do Estado. Ele será diretor-geral do Escritório de Desenvolvimento de Projetos. Não foi necessária votação, diferente do que ocorre quando se trata de licença para tratar de assuntos particulares. Leia maisVereador Elói Frizzo vai ocupar cargo no governo SartoriWagner Petrini (Muleke), também do PSB, suplente que assume na terça-feira, é promotor de eventos e cursa Gestão Pública. Ele tem 32 anos. O foco de seu trabalho legislativo será em favor da juventude, do esporte automotor e do desenvolvimento econômico local.Recado — Elói Frizzo, em sua despedida, aproveitou para mandar um recado para os que o criticam nas redes sociais.— Estou fazendo print de tudo e eu sou advogado. Para tudo tem seu tempo.Ele fez referência à recente notícia de que seria CC de Sartori. Sobre uma postagem de um ex-candidato a vereador e pré-candidato a deputado, espetou:— É o novo com discurso velho, empoeirado, da antiga UDN.Frizzo não citou nome, mas o alvo era Maurício Marcon (Novo).Leia tambémVereador Chico Guerra comprova ameaças de presidente da Amob CânyonUnião das Associações de Bairros de Caxias pede a cassação do vereador Chico GuerraPrefeito de Caxias do Sul nega retaliação a presidente da Amob CânyonPorto Alegre, RSPioneiro.comNovo vereador assume na Câmara de Caxias do Sul na terça-feiraPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-novo-vereador-assume-na-camara-de-caxias-do-sul-na-terca-feira-10365793Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24400172Vereador Chico Guerra comprova ameaças de presidente da Amob CânyonLíder do governo Guerra mostrou dois vídeos com ofensas de Marciano Correa da Silva2018-06-07T11:23:43-03:002018-06-07T11:23:43-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSAndré Tajes / Agencia RBSVereador Chico Guerra comprova ameaças de presidente da Amob CânyonPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24400172Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-vereador-chico-guerra-comprova-ameacas-de-presidente-da-amob-canyon-10365169Vereador Chico Guerra comprova ameaças de presidente da Amob CânyonLíder do governo Guerra mostrou dois vídeos com ofensas de Marciano Correa da Silva2018-06-07T11:23:43-03:002018-06-07T11:23:43-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brEm declaração de líder na sessão desta quinta-feira, o líder do governo na Câmara Municipal, Chico Guerra (PRB), apresentou dois vídeos com ameaças do presidente da Associação dos Moradores do Bairro Cânyon, Marciano Correa da Silva, contra ele.No primeiro registro, do dia 22 de novembro do ano passado, Marciano ocupou a tribuna do plenário e diz:- E você Chico (Guerra), eu quero que você e teu companheiro cabeludo (vereador Renato Nunes) ali, que vocês vão no (bairro) Vila Ipê fazer campanha que eu quero erguer vocês na adaga lá. Quero erguer vocês no pranchaço.Leia mais: União das Associações de Bairros de Caxias pede a cassação do vereador Chico GuerraPrefeito de Caxias do Sul nega retaliação a presidente da Amob do CânyonLíder de governo de Caxias sugere dar "corretivo" a presidente de bairro com corte de verbas a comunidadeNa sequência, Chico criticou a manifestação do vereador Rafael Bueno (PDT) que aplaudiu a fala de ameaça de agressão de Marciano. No vídeo, os vereadores Paulo Périco e Gladis Frizzo, ambos do MDB, também batem palmas à manifestação de Marciano. Em outro vídeo, o líder comunitário que estava na plateia de uma sessão grita e faz gestos em direção aos vereadores de situação, Chico e Nunes, mas não é possível ouvir à manifestação. Em seguida, Marciano é acalmado por um homem.Em seu pronunciamento, Chico afirma que trouxe os vídeos para provar as ameaças do presidente da Amob do Cânyon.— Que pena que os representantes da UAB não estão aqui. Chega a ser vergonhoso. Tinham (UAB) que tomar alguma postura contra o seu Marciano. Esse vídeo é a prova que ele me ameaçou. Vão perder a moral, vão perder a razão – disse Chico Guerra.>> AssistaMarciano diz que o vídeo apresentado é um meio que o vereador encontrou para tentar se defender do seu áudio. — Ele está inventando essas coisas de mim. Não tenho faculdade, mas tenho respeito.O líder comunitário diz ainda que todas suas cobranças à prefeitura tem protocolo.— Quero que o prefeito prove os benefícios que fez no Cânyon.Leia tambémVereador Elói Frizzo vai ocupar cargo no governo Sartori Vereadores de Bento entram com pedido de CPI para investigar suposto pagamento de propina>Porto Alegre, RSPioneiro.comVereador Chico Guerra comprova ameaças de presidente da Amob CânyonPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-vereador-chico-guerra-comprova-ameacas-de-presidente-da-amob-canyon-10365169Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24400051União das Associações de Bairros de Caxias pede a cassação do vereador Chico GuerraEntidade reage à sugestão do líder do governo de não priorizar demandas de presidente do bairro Cânyon 2018-06-07T10:04:07-03:002018-06-07T10:04:07-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSFranciele Lorenzett / DivulgaçãoUnião das Associações de Bairros de Caxias pede a cassação do vereador Chico GuerraPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24400051Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-uniao-das-associacoes-de-bairros-de-caxias-pede-a-cassacao-do-vereador-chico-guerra-10365108União das Associações de Bairros de Caxias pede a cassação do vereador Chico GuerraEntidade reage à sugestão do líder do governo de não priorizar demandas de presidente do bairro Cânyon 2018-06-07T10:04:07-03:002018-06-07T10:04:07-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brA União das Associações de Bairros (UAB) de Caxias do Sul entregou na manhã desta quinta-feira um ofício ao presidente da Câmara Municipal, vereador Alberto Meneguzzi (PSB) pedindo a abertura de um processo administrativo disciplinar contra o líder do governo no Legislativo, Chico Guerra (PRB). Na sessão de quarta-feira, o vereador Rafael Bueno (PDT) revelou uma conversa em que Chico Guerra sugere que as demandas do presidente da Associação de Moradores, Marciano Correa da Silva, não sejam atendidas como forma de “corretivo” devido à postura crítica do líder comunitário ao governo municipal. A troca de mensagens de áudio de Chico é com o ex-coordenador de Relações Constitucionais, Rafael Bado (PRB).Leia mais:Líder de governo de Caxias sugere dar "corretivo" a presidente de bairro com corte de verbas a comunidade "Corretivo" e "lista negra" indicam possível retaliação do governo Daniel GuerraPrefeito de Caxias do Sul nega retaliação a presidente da Amob do CânyonO documento da UAB repudia as declarações de Chico Guerra e aponta a quebra de decoro parlamentar e pede a censura, suspensão ou perda de mandato do vereador.O presidente da UAB, Valdir Walter, ocupou a tribuna no espaço de acordo de líderes de bancadas e criticou a postura do vereador e da administração municipal.— A situação com o nosso líder comunitário é constrangedora. O parlamentar vem constranger e a gente quer providências.Segundo Walter, a perseguição às entidades comunitárias está explícita desde o início da administração, quando Guerra se negou a receber a diretoria da UAB, e mais tarde quando pediu a desocupação das sedes dos centros comunitários.— A perseguição está explícita. Ele (prefeito) não recebe as entidades. No meu bairro estou tentando fechar dois buracos e não consigo. Ele não entende o que é liderança comunitária e queria os centros comunitários para esvaziar o movimento comunitário.Leia também:Aprovado projeto que flexibiliza distância a espaços de diversão noturna em CaxiasVereador Elói Frizzo vai ocupar cargo no governo SartoriPorto Alegre, RSPioneiro.comUnião das Associações de Bairros de Caxias pede a cassação do vereador Chico GuerraPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-uniao-das-associacoes-de-bairros-de-caxias-pede-a-cassacao-do-vereador-chico-guerra-10365108Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24398627Charge do Iotti desta quinta-feira Líder de governo de Caxias sugere dar "corretivo" a presidente de bairro com corte de verbas a comunidade2018-06-07T09:00:02-03:002018-06-07T09:00:02-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSIotti / Agência RBSCharge do Iotti desta quinta-feira Pioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24398627Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-charge-do-iotti-desta-quinta-feira-10364412Charge do Iotti desta quinta-feira Líder de governo de Caxias sugere dar "corretivo" a presidente de bairro com corte de verbas a comunidade2018-06-07T09:00:02-03:002018-06-07T09:00:02-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brLeia também: Líder de governo de Caxias sugere dar "corretivo" a presidente de bairro com corte de verbas a comunidade Concurso público para guardas civis deve ocorrer no segundo semestre em Bento GonçalvesPorto Alegre, RSPioneiro.comCharge do Iotti desta quinta-feira Pioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-charge-do-iotti-desta-quinta-feira-10364412Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24399090Prefeito de Caxias do Sul nega retaliação a presidente da Amob do CânyonDaniel Guerra (PRB) diz que mais de 80% das demandas solicitadas por meio do Alô, Caxias já foram atendidas2018-06-06T19:19:03-03:002018-06-06T19:19:03-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RS Adriano Chaves / DivulgaçãoPrefeito de Caxias do Sul nega retaliação a presidente da Amob do CânyonPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24399090Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-prefeito-de-caxias-do-sul-nega-retaliacao-a-presidente-da-amob-do-canyon-10364619Prefeito de Caxias do Sul nega retaliação a presidente da Amob do CânyonDaniel Guerra (PRB) diz que mais de 80% das demandas solicitadas por meio do Alô, Caxias já foram atendidas2018-06-06T19:19:03-03:002018-06-06T19:19:03-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brO prefeito Daniel Guerra (PRB) se manifestou no início da noite desta quarta-feira sobre a conversa entre o líder de governo na Câmara Municipal de Caxias do Sul, Chico Guerra (PRB), que também é seu irmão, em que sugere um "corretivo" ao presidente do bairro Cânyon, Marciano Correa da Silva. A conversa ocorreu entre o vereador e o ex-titular da Coordenadoria de Relações Comunitárias, Rafael Bado no final de novembro do ano passado.Em nota, Guerra diz que as ações da prefeitura são pautadas pela "transparência" e que "não há e nunca houve retaliação a qualquer comunidade do município".Guerra e Chico participaram de um almoço no 3º Grupo de Artilharia Antiaérea (3º GAAAe). O ato foi uma homenagem ao trabalho desempenhado pelo 3º GAAAe no período da paralisação dos caminhoneiros. Durante essa greve, o Exército auxiliou na escolta de insumos para o tratamento da água e também de combustíveis que mantiveram serviços essenciais em funcionamento neste período.Confira a nota na íntegra;"O prefeito Daniel Guerra esclarece que as ações da Prefeitura de Caxias do Sul são pautadas pela transparência. Nessa administração, não há e nunca houve retaliação a qualquer comunidade do município. Todo cidadão faz as suas solicitações de forma igualitária, seguindo a diretriz de governo de trabalhar de forma direta, sem intermediários. Prova disso é que, desde o início da atual gestão, em janeiro de 2017, até esta quarta-feira (6/6), foram recebidas 27.941 solicitações via Alô, Caxias. Desse total, mais de 75% (21.419) já foram atendidas e o restante está tramitando normalmente. No caso específico dos moradores do Loteamento Cânyon, foram 97 registros via Alô, Caxias desde o início da atual administração, sendo que 81 já foram atendidos e os outros 16 estão na fila normal para receberem o devido encaminhamento. Ou seja, mais de 80% das demandas já foram atendidas. Além disso, a comunidade da Zona Norte, da qual o Cânyon faz parte, está sendo atendida pelo governo Daniel Guerra em outras demandas históricas como o pleno funcionamento da UPA 24 Horas e a construção da nova rótula da Codeca, que dá acesso a diversos bairros e loteamentos, entre eles o próprio Cânyon."Porto Alegre, RSPioneiro.comPrefeito de Caxias do Sul nega retaliação a presidente da Amob do CânyonPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-prefeito-de-caxias-do-sul-nega-retaliacao-a-presidente-da-amob-do-canyon-10364619Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24399027"Corretivo" e "lista negra" indicam possível retaliação do governo Daniel Guerra  Áudio com conversa entre vereador Chico Guerra e ex-coordenador de Relações Comunitárias revela pensamento da administração municipal sobre quem a desagrada2018-06-06T18:49:44-03:002018-06-06T18:49:44-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSFranciele Masochi Lorenzett"Corretivo" e "lista negra" indicam possível retaliação do governo Daniel Guerra  Pioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24399027Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-corretivo-e-lista-negra-indicam-possivel-retaliacao-do-governo-daniel-guerra-10364586"Corretivo" e "lista negra" indicam possível retaliação do governo Daniel Guerra  Áudio com conversa entre vereador Chico Guerra e ex-coordenador de Relações Comunitárias revela pensamento da administração municipal sobre quem a desagrada2018-06-06T18:49:44-03:002018-06-06T18:49:44-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brO líder do governo Daniel Guerra (PRB) na Câmara de Vereadores, Chico Guerra (PRB), deixou bem claro, no áudio que vazou nesta quarta-feira, como pensa a atual administração em relação às pessoas que a desagradam: manda dar um corretivo, bota para correr, entra para a lista negra... É comprometedor para o prefeito o que diz seu irmão nas mensagens trocadas com o ex-coordenador de Relações Comunitárias, Rafael Bado. A conversa foi denunciada no Legislativo pelo vereador Rafael Bueno (PDT). Os métodos sugeridos são preocupantes, remetem a retaliação, vingança.Leia mais Líder de governo de Caxias sugere dar "corretivo" a presidente de bairro com corte de verbas a comunidadeTudo isso foi resultado da reação às manifestações oposicionistas de um cidadão com 84 anos de idade, Marciano Correa da Silva, presidente da associação de moradores do bairro Cânyon. Ele tem 59 anos de movimento comunitário. O argumento de Chico utilizado na sessão desta quarta, de que o idoso ameaçou a ele e ao prefeito de matá-los com um facão, caso fossem ao bairro, não justifica a forma como o governo reagiu. Deveriam ter procurado as autoridades de segurança, além de denunciar na tribuna. Aliás, no áudio que veio à tona, Chico não fala que havia temor com sua integridade física e a do prefeito. Diz apenas que em todas as sessões Marciano está "batendo que nem louco" no governo e de que a postura dele "está bem contra o prefeito e bem contra a gestão". Em síntese, é uma pedra no sapato de Guerra.Na manifestação de Chico, não dá para ignorar outro posicionamento quando ele se refere ao ex-coordenador: — A gente deu a chance para ele ser uma boa pessoa, optou para ir para a oposição.Significa que só é boa a pessoa que está com Daniel Guerra. Isso é arrogância. É a estratégia de dividir a cidade entre o bem e o mal, quando na verdade o que existe é situação e oposição. Deveriam ser adversários políticos e não inimigos.O gestor, que teve o pedido de impeachment rejeitado pelo plenário em 17 de abril, agora fica de cara com esta situação tensa. Inclusive, o líder de governo, sem traquejo, sequer tentou livrar o prefeito. O caminho, por óbvio, será a análise das declarações do vereador pela Comissão de Ética Parlamentar. Leia também Prefeitura de Bento encaminha currículos para vagas de emprego na construção de presídioPrimeiro passo para a beatificação do Frei Salvador Pinzetta é aceito pelo VaticanoPorto Alegre, RSPioneiro.com"Corretivo" e "lista negra" indicam possível retaliação do governo Daniel Guerra  Pioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-corretivo-e-lista-negra-indicam-possivel-retaliacao-do-governo-daniel-guerra-10364586Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24398207Líder de governo de Caxias sugere dar "corretivo" a presidente de bairro com corte de verbas a comunidadeNa gravação, Chico Guerra (PRB) diz que Marciano Correa da Silva precisa sentir o posicionamento contrário ao prefeito e irmão Daniel Guerra. Nesta manhã, o vereador reconheceu autenticidade de áudio2018-06-06T11:00:53-03:002018-06-06T11:00:53-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSDaniel Correa / DivulgaçãoLíder de governo de Caxias sugere dar "corretivo" a presidente de bairro com corte de verbas a comunidadePioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24398207Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-lider-de-governo-de-caxias-sugere-dar-corretivo-a-presidente-de-bairro-com-corte-de-verbas-a-comunidade-10364225Líder de governo de Caxias sugere dar "corretivo" a presidente de bairro com corte de verbas a comunidadeNa gravação, Chico Guerra (PRB) diz que Marciano Correa da Silva precisa sentir o posicionamento contrário ao prefeito e irmão Daniel Guerra. Nesta manhã, o vereador reconheceu autenticidade de áudio2018-06-06T11:00:53-03:002018-06-06T11:00:53-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brO líder de governo de Daniel Guerra (PRB) na Câmara de Caxias do Sul, Chico Guerra (PRB), que também é irmão do prefeito, admitiu na manhã desta terça-feira a autenticidade de um áudio (confira a íntegra abaixo) em que sugere um "corretivo" ao presidente do bairro Cânyon, Marciano Correa da Silva. A conversa ocorreu entre o vereador e o ex-titular da Coordenadoria de Relações Comunitárias, Rafael Bado. O áudio, conforme a nota encaminhada pela assessoria do parlamentar nesta manhã, seria do ano passado. Na troca de mensagens, Chico Guerra alega que Marciano precisava de "corretivo" por estar "batendo que nem louco no governo" e propõe o corte de "qualquer benfeitoria" para o bairro Cânyon para que o líder comunitário "sentisse na pele" que a insistência do posicionamento contrário ao governo acabaria o prejudicando. A conversa foi revelada na sessão ordinária desta quarta-feira pelo vereador Rafael Bueno (PDT). Ele divulgou um vídeo contendo a gravação. Em defesa, Chico Guerra alega que Marciano teria o ameaçado de morte durante uma das sessões da Câmara. No entanto, embora reconheça que tenha orientado o coordenador de Relações Comunitárias a não priorizar as demandas do bairro Cânyon, ele ressalta que a comunidade não ficou desassistida. Confira a nota na íntegra encaminhada pela assessoria do vereador ao Pioneiro:"O áudio é ainda do ano passado quando o senhor Marciano durante uma sessão da Câmara de Vereadores ameaçou de matar a mim e o prefeito com um facão. Posterior a isso, o coordenador de relações comunitárias Rafael Bado pediu uma posição se deveria continuar priorizando as demandas do Senhor Marciano, respondi o que está no áudio e pontuei que as demandas vindas por meio do Senhor Marciano não deveriam ser priorizadas. Isso não comprometeu as demandas levantadas pela própria população pelo Alô Caxias, prova disso são as milhares de demandas já atendidas em toda a cidade. Trata-se de uma estratégia da oposição para tentar ganhar visibilidade às vésperas da eleição, prova disso é a “indignação tardia” uma vez que o Senhor Rafael Bado tem estes áudios desde 2017."Ao Pioneiro, Marciano negou que tenha proferido ameaças contra Chico Guerra e relatou ter registrado boletim de ocorrência contra o prefeito e o líder de governo, Chico Guerra.— Dizer que vai "dar um corretivo, dar um basta" é uma ameaça de morte, é dizer que quer dar um fim na vida pessoa. Já registrei na polícia e vou colocar na Justiça — afirmou Marciano.A reportagem aguarda resposta da prefeitura sobre o fato.Confira a transcrição do áudio na íntegra:Chico Guerra: Oi, bom dia Bado, tudo bom? Eu acho só o seguinte, eu acho que tem que ter um corretivo no Marciano, presidente do Cânyon, tá? Ele tá todas as sessões batendo que nem louco no governo. Então acho que ou cortem qualquer benfeitoria, sei lá, ele tem que sentir na pele que se ele fica contra o governo ele acaba se prejudicando. Alguma coisa tem que ser feita. Não levei o assunto pro prefeito, mas vou acabar levando porque algum corretivo esse cara tem que levar, tá? Daqui a pouco para o povo sentir que por causa dele o Cânyon tá ficando desassistido.Rafael Bado: Chico, boa noite, tudo bem? Chegou a falar com o prefeito qual é a instrução que a gente tem a respeito do seu Marciano do Cânyon? O que é para ser feito ou alguma coisa assim? Eu tô só esperando norte de vocês.Chico Guerra: Boa noite Bado, beleza? Eu não consegui falar ainda hoje porque hoje tava um tumulto lá com aquela história da sessão, por causa do Périco, verador Périco, então eu perdi a tarde inteira nisso aí. Mas amanhã quero ter uma posição já do prefeito. Mas eu te falo, qualquer coisa, valeu meu, um abraço. Chico Guerra: Boa noite Bado. Acabei falando com ele, por whats, ele mandou recado e disse que realmente, tem que mudar a postura totalmente com o cara, não dar espaço mais nenhum e botar ele pra correr. Então ele tem que sentir na pele e ainda me pediu para eu levantar os anais do que ele colocou lá, do que ele comentou para ver se o Executivo faz alguma coisa contra a pessoa. Mas da tua postura ele passou isso aí: botar ele pra correr, não dar espaço e mudar radical para ele sentir mesmo o que ele tá fazendo. Então se ele pedir alguma coisa pode deixar bem claro: como a postura dele tá bem contra o prefeito e bem contra a gestão ele vai ter que pegar bastante para conseguir alguma coisa. Esse é o tipo... O número um da lista negra para qualquer providência. Essa é a postura. Valeu, tchau.Confira o vídeo:Porto Alegre, RSPioneiro.comLíder de governo de Caxias sugere dar "corretivo" a presidente de bairro com corte de verbas a comunidadePioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-lider-de-governo-de-caxias-sugere-dar-corretivo-a-presidente-de-bairro-com-corte-de-verbas-a-comunidade-10364225Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24398207Líder de governo de Caxias sugere dar "corretivo" a presidente de bairro com corte de verbas a comunidadeNa gravação, Chico Guerra (PRB) diz que Marciano Correa da Silva precisa sentir o posicionamento contrário ao prefeito e irmão Daniel Guerra. Nesta manhã, o vereador reconheceu autenticidade de áudio2018-06-06T10:45:58-03:002018-06-06T10:45:58-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSDaniel Correa / DivulgaçãoLíder de governo de Caxias sugere dar "corretivo" a presidente de bairro com corte de verbas a comunidadePioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24398207Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-lider-de-governo-de-caxias-sugere-dar-corretivo-a-presidente-de-bairro-com-corte-de-verbas-a-comunidade-10364210Líder de governo de Caxias sugere dar "corretivo" a presidente de bairro com corte de verbas a comunidadeNa gravação, Chico Guerra (PRB) diz que Marciano Correa da Silva precisa sentir o posicionamento contrário ao prefeito e irmão Daniel Guerra. Nesta manhã, o vereador reconheceu autenticidade de áudio2018-06-06T10:45:58-03:002018-06-06T10:45:58-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brO líder de governo de Daniel Guerra (PRB) na Câmara de Caxias do Sul, Chico Guerra (PRB), que também é irmão do prefeito, admitiu na manhã desta terça-feira a autenticidade de um áudio (confira a íntegra abaixo) em que sugere um "corretivo" ao presidente do bairro Cânyon, Marciano Correa da Silva. A conversa ocorreu entre o vereador e o ex-titular da Coordenadoria de Relações Comunitárias, Rafael Bado. O áudio, conforme a nota encaminhada pela assessoria do parlamentar nesta manhã, seria do ano passado. Na troca de mensagens, Chico Guerra alega que Marciano precisava de "corretivo" por estar "batendo que nem louco no governo" e propõe o corte de "qualquer benfeitoria" para o bairro Cânyon para que o líder comunitário "sentisse na pele" que a insistência do posicionamento contrário ao governo acabaria o prejudicando. A Coordenadoria de Relações Comunitárias é responsável por intermediar e encaminhar as demandas de bairros para avaliação do governo municipal. A conversa foi revelada na sessão ordinária desta quarta-feira pelo vereador Rafael Bueno (PDT). Ele divulgou um vídeo contendo a gravação. Em defesa, Chico Guerra alega que Marciano teria o ameaçado de morte durante uma das sessões da Câmara. No entanto, embora reconheça que tenha orientado o coordenador de Relações Comunitárias a não priorizar as demandas do bairro Cânyon trazidas por Marciano, ele ressalta que a comunidade não ficou desassistida. Confira a nota na íntegra encaminhada pela assessoria do vereador ao Pioneiro:"O áudio é ainda do ano passado quando o senhor Marciano durante uma sessão da Câmara de Vereadores ameaçou de matar a mim e o prefeito com um facão. Posterior a isso, o coordenador de relações comunitárias Rafael Bado pediu uma posição se deveria continuar priorizando as demandas do Senhor Marciano, respondi o que está no áudio e pontuei que as demandas vindas por meio do Senhor Marciano não deveriam ser priorizadas. Isso não comprometeu as demandas levantadas pela própria população pelo Alô Caxias, prova disso são as milhares de demandas já atendidas em toda a cidade. Trata-se de uma estratégia da oposição para tentar ganhar visibilidade às vésperas da eleição, prova disso é a “indignação tardia” uma vez que o Senhor Rafael Bado tem estes áudios desde 2017."Ao Pioneiro, Marciano negou que tenha proferido ameaças contra Chico Guerra e relatou ter registrado boletim de ocorrência contra o prefeito e o líder de governo, Chico Guerra.— Dizer que vai "dar um corretivo, dar um basta" é uma ameaça de morte, é dizer que quer dar um fim na vida pessoa. Já registrei na polícia e vou colocar na Justiça — afirmou Marciano.A reportagem aguarda resposta da prefeitura sobre o fato.Confira a transcrição do áudio na íntegra:Chico Guerra: Oi, bom dia Bado, tudo bom? Eu acho só o seguinte, eu acho que tem que ter um corretivo no Marciano, presidente do Cânyon, tá? Ele tá todas as sessões batendo que nem louco no governo. Então acho que ou cortem qualquer benfeitoria, sei lá, ele tem que sentir na pele que se ele fica contra o governo ele acaba se prejudicando. Alguma coisa tem que ser feita. Não levei o assunto pro prefeito, mas vou acabar levando porque algum corretivo esse cara tem que levar, tá? Daqui a pouco para o povo sentir que por causa dele o Cânyon tá ficando desassistido.Rafael Bado: Chico, boa noite, tudo bem? Chegou a falar com o prefeito qual é a instrução que a gente tem a respeito do seu Marciano do Cânyon? O que é para ser feito ou alguma coisa assim? Eu tô só esperando norte de vocês.Chico Guerra: Boa noite Bado, beleza? Eu não consegui falar ainda hoje porque hoje tava um tumulto lá com aquela história da sessão, por causa do Périco, verador Périco, então eu perdi a tarde inteira nisso aí. Mas amanhã quero ter uma posição já do prefeito. Mas eu te falo, qualquer coisa, valeu meu, um abraço. Chico Guerra: Boa noite Bado. Acabei falando com ele, por whats, ele mandou recado e disse que realmente, tem que mudar a postura totalmente com o cara, não dar espaço mais nenhum e botar ele pra correr. Então ele tem que sentir na pele e ainda me pediu para eu levantar os anais do que ele colocou lá, do que ele comentou para ver se o Executivo faz alguma coisa contra a pessoa. Mas da tua postura ele passou isso aí: botar ele pra correr, não dar espaço e mudar radical para ele sentir mesmo o que ele tá fazendo. Então se ele pedir alguma coisa pode deixar bem claro: como a postura dele tá bem contra o prefeito e bem contra a gestão ele vai ter que pegar bastante para conseguir alguma coisa. Esse é o tipo... O número um da lista negra para qualquer providência. Essa é a postura. Valeu, tchau.Confira o vídeo: Leia também:Vereador Elói Frizzo vai ocupar cargo no governo Sartori Vereadores de Bento entram com pedido de CPI para investigar suposto pagamento de propina Aprovado projeto que flexibiliza distância a espaços de diversão noturna em CaxiasPorto Alegre, RSPioneiro.comLíder de governo de Caxias sugere dar "corretivo" a presidente de bairro com corte de verbas a comunidadePioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-lider-de-governo-de-caxias-sugere-dar-corretivo-a-presidente-de-bairro-com-corte-de-verbas-a-comunidade-10364210Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24397296Aprovado projeto que flexibiliza distância a espaços de diversão noturna em CaxiasLegislação atual determina que estabelecimentos devem estar a mais de 200 metros de hospitais e escolas2018-06-05T20:41:06-03:002018-06-05T20:41:06-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSAnselmo CunhaAprovado projeto que flexibiliza distância a espaços de diversão noturna em CaxiasPioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24397296Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-aprovado-projeto-que-flexibiliza-distancia-a-espacos-de-diversao-noturna-em-caxias-10363726Aprovado projeto que flexibiliza distância a espaços de diversão noturna em CaxiasLegislação atual determina que estabelecimentos devem estar a mais de 200 metros de hospitais e escolas2018-06-05T20:41:06-03:002018-06-05T20:41:06-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brO complexo Fabbrica, situado no bairro Nossa Senhora de Lourdes, tornou-se nos últimos tempos uma nova opção de lazer para os caxienses. Mas, conforme a legislação atual, estabelecimentos de diversão noturna devem "localizar-se a mais de 200 metros de estabelecimentos de ensino, hospitais, bibliotecas, templos, quartéis e entidades congêneres", o que não é o caso da Fabbrica, que está colada na igreja da comunidade. Um projeto de lei complementar aprovado nesta terça-feira pela Câmara de Vereadores de Caxias busca regularizar essa situação, permitindo as atividades do complexo. A proposta altera o Código de Posturas do Município, que já excetua da exigência dos 200 metros os estabelecimentos na região do Moinho da Estação. >> Veja como votaram os vereadores clicando na imagemConforme o texto do projeto, o local tornou-se uma opção de divertimento não só para os moradores de Caxias, mas para os turistas, além da gerar trabalho e renda, movimentando a economia do município.— A lei hoje coloca que não pode ter bares e restaurantes perto de igrejas e escolas. A Fabbrica está colada na igreja de Lourdes e próximo ao Colégio Madre Imilda. O que queremos é transformar essa área de lazer, de turismo, para que possa ter essas atividades. A gente não pode inviabilizar aquele espaço — destaca Paulo Périco (PMDB), um dos autores da iniciativa. Para virar lei, o projeto precisa ser sancionado pelo prefeito. Autoria — Além de Périco, são autores do projeto os vereadores Adiló Didomenico (PTB), Alceu Thomé (PTB), Edi Carlos (PSB), Edson da Rosa (PMDB), Elói Frizzo (PSB), Felipe Gremelmaier (PMDB), Flavio Cassina (PTB), Gládis Frizzo (PMDB), Gustavo Toigo (PDT), Paula Ioris (PSDB), Rafael Bueno (PDT), Ricardo Daneluz (PDT) e Velocino Uez (PDT).A PROPOSTA DE NOVA REDAÇÃO DA LEIArt. 1º O inciso I do art. 42 da Lei Complementar n° 377, de 22 de dezembro de 2010, passa a vigorar com a seguinte redação:"Art. 42. ... (regulamenta exigências para instalação de empreendimento)I - localizar-se a mais de 200 m (duzentos metros) de estabelecimentos de ensino, hospitais, bibliotecas, templos, quartéis e entidades congêneres, excetuando-se dessa exigência as casas e locais de espetáculos e de diversão noturna que estiverem inseridos no Setor Especial da Ferrovia, de acordo com a Lei Complementar nº 290, de 24 de setembro de 2007, bem como os situados no entorno compreendido pela Rua Augusto Pestana, entre as ruas Feijó Júnior e Marechal Floriano, a Rua Coronel Flores, entre as ruas Augusto Pestana e Os Dezoito do Forte e o complexo gastronômico e cultural denominado Fabbrica, localizado na Rua Nelson Dimas de Oliveira.Leia tambémVereador Elói Frizzo vai ocupar cargo no governo Sartori Vereadores de Bento entram com pedido de CPI para investigar suposto pagamento de propinaSituação do HG deve ser anunciada nesta terça-feiraPorto Alegre, RSPioneiro.comAprovado projeto que flexibiliza distância a espaços de diversão noturna em CaxiasPioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-aprovado-projeto-que-flexibiliza-distancia-a-espacos-de-diversao-noturna-em-caxias-10363726Change0Usableurn:publicid:clicrbs.com.br:24396662Vereador Elói Frizzo vai ocupar cargo no governo Sartori Ele será diretor-geral do Escritório de Desenvolvimento de Projetos e assume na segunda-feira2018-06-05T16:15:51-03:002018-06-05T16:15:51-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brPorto Alegre, RSFranciele Masochi LorenzettVereador Elói Frizzo vai ocupar cargo no governo Sartori Pioneiro.comurn:publicid:clicrbs.com.br:24396662Change0Usableurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-vereador-eloi-frizzo-vai-ocupar-cargo-no-governo-sartori-10363522Vereador Elói Frizzo vai ocupar cargo no governo Sartori Ele será diretor-geral do Escritório de Desenvolvimento de Projetos e assume na segunda-feira2018-06-05T16:15:51-03:002018-06-05T16:15:51-03:00© 2011-2018 clicrbs.com.brO vereador Elói Frizzo (PSB) passa a ocupar a partir de segunda-feira o cargo de diretor-geral do Escritório de Desenvolvimento de Projetos (EDP), em Porto Alegre. Ele encaminha nesta quarta-feira o pedido de licença da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul, que será votada na quinta, para o exercício de Cargo em Comissão no governo do Estado.Com a ida de Frizzo para o governo de José Ivo Sartori (MDB), a vaga passa a ser ocupada por Wagner Petrini (Muleke), primeiro suplente. Ele fez 1,7 mil votos na eleição de 2016.O Escritório de Desenvolvimento de Projetos é uma autarquia do Estado, vinculado à Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão. Frizzo substitui Álvaro Rodrigo Woiciechoski, que irá trabalhar na campanha de Beto Albuquerque ao Senado, uma vez que o cargo de diretor é do PSB.— Estou cumprindo uma tarefa política. Vou dar continuidade ao trabalho. O escritório é responsável pelos projetos de desenvolvimento do Rio Grande do Sul.O salário bruto é de R$ 18 mil.Leia também Vereadores de Bento entram com pedido de CPI para investigar suposto pagamento de propinaDaer prevê começar obras de novo acesso a Forqueta, em Caxias, na próxima semanaPorto Alegre, RSPioneiro.comVereador Elói Frizzo vai ocupar cargo no governo Sartori Pioneiro.comurn:publicid:pioneiro-clicrbs-com-br-rs-politica-vereador-eloi-frizzo-vai-ocupar-cargo-no-governo-sartori-10363522Change0Usable