As promessas iniciais da campanha em Caxias do Sul - Colunas da seção Mirante - Política: deputados, prefeitos e mais - Pioneiro
 
 

Mirante13/10/2020 | 13h17Atualizada em 13/10/2020 | 13h17

As promessas iniciais da campanha em Caxias do Sul

Confira os primeiros compromissos divulgados por alguns candidatos

As promessas iniciais da campanha em Caxias do Sul João Pedro Bressan/Divulgação
Onze candidatos querem governar Caxias do Sul Foto: João Pedro Bressan / Divulgação

Os primeiros dias de horário eleitoral tiveram como manifestação mais forte, em tom de embate, a fala do ex-prefeito Daniel Guerra (Republicanos), que ocupou o espaço dos candidatos Júlio Freitas e Chico Guerra. Ele falou do impeachment, que chamou de farsa. E a Câmara de Vereadores foi classificada como uma das mais improdutivas que Caxias já viu. 

No jingle de Adiló Didomenico e Paula Ioris (PSDB) percebe-se uma resposta ao que se imaginava que viria dos representantes do governo cassado. E Edson Néspolo (PDT) também mandou recado, dizendo que um prefeito não pode se fechar no gabinete.

Alguns candidatos já falam em propostas e assim vão surgindo os primeiros compromissos com o eleitor.

Pepe Vargas (PT), no horário eleitoral, garantiu vagas para todas as crianças perto de suas casas.

– Vamos garantir creche para crianças de famílias que não podem pagar escolas particulares e vamos garantir vagas para todas as crianças da educação infantil e do ensino fundamental próximo de suas residências – afirmou na segunda-feira (12).

Néspolo também falou em comprar vagas nas escolinhas particulares e ocupar prédios que podem ser aproveitados para creches. 

Freitas não abordou o assunto no programa eleitoral, mas diz nas redes sociais que uma das prioridades de seu governo é a educação. E  promete ampliar o atendimento em turno integral em escolas do município e implantar um sistema integrado de informações na rede municipal de ensino. Em 2016, Daniel Guerra prometeu escolas verticais para resolver o déficit nas vagas de educação infantil. Freitas não fala sobre isso, mas em "construir equipamentos escolares, especialmente de educação infantil".

Carlos Búrigo (MDB), em contato com eleitores, na segunda-feira, falou em descentralizar e ampliar o número de áreas de lazer pelos bairros da cidade.

Marcelo Slaviero (NOVO) afirma que vai cortar 25% das secretarias e 50% do imposto sobre serviços.

É importante ficar atento para cobrar depois.

Leia também
Caxias do Sul deve contar com cerca de 4 mil mesários para o pleito de novembro



 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros