Ex-vice-prefeito de Caxias vai lançar livro sobre bastidores no Governo Daniel Guerra - Colunas da seção Mirante - Política: deputados, prefeitos e mais - Pioneiro
 
 

Mirante09/09/2020 | 11h26Atualizada em 09/09/2020 | 11h44

Ex-vice-prefeito de Caxias vai lançar livro sobre bastidores no Governo Daniel Guerra

"O vice improvável" é o livro digital que Ricardo Fabris pretende publicar no dia 27 deste mês

Ex-vice-prefeito de Caxias vai lançar livro sobre bastidores no Governo Daniel Guerra Henrique Caetano/Divulgação
Foto da chapa para a prefeitura de 2016 acabou virando "meme" no Dia do Amigo Foto: Henrique Caetano / Divulgação

O ex-vice-prefeito Ricardo Fabris de Abreu está escrevendo um livro digital contando bastidores e retomando alguns fatos já conhecidos do período em que esteve com Daniel Guerra, desde seu ingresso no partido (à época, PRB) e na campanha eleitoral e, com a vitória, os embates na prefeitura de Caxias do Sul. Será uma narrativa em primeira pessoa, quase um diário relacionando as noticias com os bastidores.

– Tenho bastante material guardado, além das cópias de tudo que protocolei – diz Fabris, autor do pedido de impeachment que culminou na cassação de Guerra.

Ele pretende publicar na Amazon Books, o que deve ocorrer até o dia 27 deste mês, data de aniversário do protocolo do pedido de impeachment. 

Em um dos trechos, conforme antecipado ao Mirante, Fabris se refere à foto acima, que marca o anúncio da chapa e que acabou ganhando mais ênfase depois que eles romperam. O convite para ser vice foi em 20 de julho de 2016. 

"Uma das imagens, que mostra os candidatos lado a lado e serviu também para os 'santinhos', virou meme e anualmente circula editada na cidade, como que rasgada ao meio, separando ambos os fotografados e desejando 'Feliz Dia do Amigo'. Curiosamente, 20 de julho, Dia do Amigo, foi a data que recebi o convite", escreve o ex-vice-prefeito.

"O vice improvável"

O nome do livro de Fabris, em princípio, será "O vice improvável".

Em outro momento, Fabris diz: "Não compreendi imediatamente e não questionei os motivos que conduziram à minha seleção [...] Hoje, refletindo melhor, concluo que o verdadeiro motivo era o fato de eu ser um inexperiente (politicamente) útil, trazendo vantagens a uma campanha que tinha como mote o combate à 'velha política', sem oferecer risco de interferir na futura administração municipal, ou seja, um modelo perfeito de 'vice decorativo'". 

Ele acrescenta que Guerra ignorou a advertência que havia feito quando foi convidado para ser vice. Segundo Fabris, ele teria dito ao então pré-candidato a prefeito: "Nós nos conhecemos há pouco tempo, e se ganharmos, já imaginou? Vai ter que dividir o poder comigo, que tenho um temperamento que pode ser pior que o seu ... É arriscado, pensou bem?"

Leia também
Patriota de Caxias faz convenção em formato drive-thru nesta quarta-feira

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros