"Punição muito severa para Caxias", diz pré-candidato a prefeito pelo PSDB de Eduardo Leite - Colunas da seção Mirante - Política: deputados, prefeitos e mais - Pioneiro
 
 

Mirante15/06/2020 | 17h46Atualizada em 15/06/2020 | 18h13

"Punição muito severa para Caxias", diz pré-candidato a prefeito pelo PSDB de Eduardo Leite

Vereador Adiló Didomenico foi ao Piratini com Velocino Uez e Neri, O Carteiro para pedir reversão na bandeira

"Punição muito severa para Caxias", diz pré-candidato a prefeito pelo PSDB de Eduardo Leite Juliane Ribas/Divulgação
Márcio Amaral (presidente do SD de Caxias); Adiló Didomenico; Neri, O Carteiro; Frederico Antunes; Velocino Uez e Eriton Talarico Foto: Juliane Ribas / Divulgação

O vereador e pré-candidato a prefeito pelo PSDB, partido do governador Eduardo Leite, Adiló Didomenico, disse, nestas segunda-feira (15), que a troca da bandeira amarela para vermelha "é uma punição muito severa para Caxias do Sul". Ele foi ao Palácio Piratini, em Porto Alegre, conversar com Leite, junto com o líder do governo, Velocino Uez (PTB), e o deputado estadual Neri, O Carteiro (Solidariedade).

Porém, o governador não recebeu o grupo de Caxias, porque estava em videoconferência com os prefeitos das regiões que tiveram troca de bandeira. Eles entregaram ao assessor da Casa Civil, Eriton Talarico, e ao líder do governo, Frederico Antunes (PP), o documento do prefeito Flávio Cassina (PTB) falando das medidas adotadas para diminuir ao máximo o contágio pelo coronavírus e pedindo a reversão da medida. 

Também foi solicitado que, na impossibilidade de rever a bandeira, reduza para sete dias a mudança, em vez de 15 dias. Talarico disse que ainda nesta segunda-feira o documento chegaria ao governador.

Adiló não foi representando a Câmara. Uez estava pelo governo. 

Posição pessoal

Adiló diz que o seu posicionamento sobre a punição a Caxias, em contraponto ao que prevê o Governo do Estado, é individual.

_ Caxias vem bancando praticamente sozinha a conta da região. Caxias tem feito o dever de casa. Considerando o número de habitantes, infectados e internados, Caxias está muito bem. As cidades em volta é que estão com problemas _ diz Adiló.

Ele destaca que sempre defendeu a retomada gradual da economia com todos os cuidados.

_ É uma punição muito severa para uma cidade que vem fazendo o esforço de Caxias, com hospital de campanha, adquirindo leitos... É preciso também cuidar da vida econômica da cidade  _ define o pré-candidato.

Leia também
Setores de coleta e capina da Codeca, em Caxias, estão paralisados
Presidente da Câmara de Caxias diz que decisão do governador é "irresponsável"


 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros