Funcionários da coleta e capina da Codeca encerram paralisação, em Caxias do Sul - Colunas da seção Mirante - Política: deputados, prefeitos e mais - Pioneiro
 
 

Mirante15/06/2020 | 20h17Atualizada em 15/06/2020 | 20h22

Funcionários da coleta e capina da Codeca encerram paralisação, em Caxias do Sul

Mobilização foi durante a tarde desta segunda-feira

Funcionários da coleta e capina da Codeca encerram paralisação, em Caxias do Sul Especial/Divulgação
Foto: Especial / Divulgação

Depois de uma reunião com a direção da Companha de Desenvolvimento de Caxias do Sul (Codeca), Sindicato dos Trabalhadores em Limpeza e Conservação (Sindilimp) e representantes dos trabalhadores, no final da tarde desta segunda-feira (15) foi encerrada paralisação dos funcionários dos setores de coleta e de capina. O motivo para a mobilização ocorrida durante a tarde desta segunda foi o desconto no vale alimentação de sábados, feriados e troca de turno. 

Não houve mudança em relação aos descontos.  O que alterou foi a data de pagamento do tíquete, que passará para o dia 30 do mês. 

Leia mais
Setores de coleta e capina da Codeca, em Caxias, estão paralisados

– Fechamos o acordo com a empresa no final do dia, mudamos a data do formato do pagamento. Tudo que estava dentro da questão legal,  foi encaminhado e acordado com a empresa. Foi feita a votação com os trabalhadores no final do dia e a grande maioria votou pelo aceite do acordo – declarou o presidente do Sindilimp, Henrique Silva.

Pagamento não tinha base legal, diz sindicato

O presidente do Sindilimp, Henrique Silva, acrescentou que "a questão dos feriados está vinculada à legislação, porque o valor do auxílio alimentação é pago correspondente ao dia trabalhado. Feriado não é trabalhado, então não tem a base legal de pagamento do auxílio alimentação.

Disse ainda que da mesma forma a questão das trocas (de turno), não têm base legal. 

– Tinha uma prática usada pelas chefias dentro da Codeca, que usavam essa questão da troca setorial, mas dentro do aspecto legal não tem uma base constituída. Então não tem como continuar permanecendo por uma questão legal e jurídica – afirmou.

Os descontos foram acordados ainda no dissídio assinado em 13 de abril, que diz que o tíquete não será devido nas férias, feriados e descanso remunerado.

Leia também
"Punição muito severa para Caxias", diz pré-candidato a prefeito pelo PSDB de Eduardo Leite

"Qual vida não é importante?", reage vereadora diante de declaração do prefeito de Caxias do Sul

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros