Câmara de Vereadores de Caxias avalia cortes de cargos e verba de representação - Colunas da seção Mirante - Política: deputados, prefeitos e mais - Pioneiro
 
 

Mirante22/05/2020 | 19h37Atualizada em 22/05/2020 | 19h37

Câmara de Vereadores de Caxias avalia cortes de cargos e verba de representação

Ideia é protocolar projeto até início de junho, para vigorar em 2021

Câmara de Vereadores de Caxias avalia cortes de cargos e verba de representação Vania Marta Espeiorin/Divulgação
Daneluz diz que na próxima semana discute com a Mesa Diretora Foto: Vania Marta Espeiorin / Divulgação

O presidente da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul, Ricardo Daneluz (PDT), acredita que ainda neste mês ou no máximo no início de junho estará sendo protocolado o projeto da Mesa Diretora para uma reforma administrativa no Legislativo. Segundo Daneluz, em uma primeira etapa entrarão questões envolvendo cargos, bancadas e verbas de representação. 

O presidente disse que, em reunião na quinta-feira (21), os líderes  de bancadas colocaram suas opiniões e na próxima semana vão reunir a Mesa Diretora e propor essa etapa da reforma. Havendo aprovação, as mudanças entram em vigor em janeiro de 2021.

– Queremos protocolar ainda no mês de maio ou, no máximo, início de junho, pois como estamos em ano eleitoral temos prazo para aprovar esse projeto – afirma o presidente.

 Em janeiro deste ano, o vereador Rafael Bueno (PDT) encaminhou ofício ao presidente sugerindo a extinção da verba de representação para os cargos de direção-geral (80% sobre o salário-base) e chefia de comunicação (50% sobre o salário-base) e corte dos cargos de assessores e auxiliares de bancada dos partidos que têm um vereador apenas. A tendência é de que essas duas proposições passem, embora tenha quem seja contra a retirada da verba de representação. 

Atualmente, o salário de diretor-geral é de R$ 9.847,60, mais 80%, R$ 7.878,08. De chefe da Comunicação, 8.849,13, mais 50%, 4.424,57. Some-se ainda o auxílio-alimentação de R$ 668,14.

Além desses cortes, está em análise a extinção do cargo de assessor de comissões, o que estaria enfrentando mais resistências. Mexer nos cargos políticos é indigesto para os vereadores, pois abrigam apoiadores, filiados, cabos eleitorais. Somente uma pandemia para provocar uma atitude nesse sentido.

Servidores 

Mudanças envolvendo servidores do Legislativo de Caxias do Sul ficariam para uma outra etapa, segundo Ricardo Daneluz, em função de questões jurídicas.

– Estamos trabalhando em paralelo também com isso, mas nesse primeiro momento nós vamos protocolar essa parte que já está mais amadurecida – diz o presidente da Câmara.

Leia também
Prefeitura de Caxias protocola projeto de repasse de R$ 1,5 milhão do pré-sal para o HG

Vereadora de Caxias do Sul aponta aumentos na direção da Codeca


 
 
 
 
Pioneiro
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros