Os posicionamentos dos deputados de Caxias junto ao governo do Estado diante da pandemia de coronavírus - Colunas da seção Mirante - Política: deputados, prefeitos e mais - Pioneiro
 
 

Mirante01/04/2020 | 18h42

Os posicionamentos dos deputados de Caxias junto ao governo do Estado diante da pandemia de coronavírus

Pepe, Búrigo e Neri estiveram com Cassina e Frizzo avaliando medidas

Os posicionamentos dos deputados de Caxias junto ao governo do Estado diante da pandemia de coronavírus Fabiana de Lucena/Divulgação
Deputados estiveram na prefeitura na terça-feira conversando com prefeito, vice e secretários Foto: Fabiana de Lucena / Divulgação

A convite do prefeito Flávio Cassina (PTB), os três deputados estaduais de Caxias do Sul reuniram-se na terça-feira (31) com ele e o vice-prefeito Elói Frizzo (PSB). Os parlamentares defenderam que o município decrete estado de calamidade pública diante da pandemia de coronavírus. A medida possibilita a flexibilização para gerenciar o orçamento. Nesta quinta-feira (2) na Assembleia Legislativa cerca de 150 decretos de estado de calamidade de municípios serão votados e aprovados.

Pepe Vargas (PT), Carlos Búrigo (MDB) e Neri, O Carteiro (Solidariedade) buscam atendimento junto ao governo do Estado de ampliação do número de leitos de UTI e de respiradores, EPIs (equipamentos de proteção individual) e recursos financeiros. 

Pepe disse que conversou com o líder do governo, Frederico Antunes (PP), e sugeriu que seja feito um contato político com Cassina, por tratar-se da segunda cidade do Estado e que recebe pacientes de 49 municípios, cerca de 800 mil. Ele destaca que pelo tamanho da crise e de verbas necessárias, só o governo federal tem instrumentos macroeconômicos para ajuda financeira, porém, entende que ele está sendo muito tímido e não dá segurança.

Búrigo ressaltou que esse período de isolamento social é fundamental para ampliar a capacidade do sistema de saúde nos municípios. Também destacou que dependem do governo federal, onde está concentrada a maioria da arrecadação.

– Precisamos de mais leitos de UTI e de mais respiradores.Os 17 equipamentos que foram enviados pela secretaria estadual são insuficientes.Também abordamos a questão social. Embora boas, as medidas precisam ser colocadas em prática o mais rápido possível. As pessoas precisam ficar em casa, mas para tanto precisam de renda básica no bolso, para comprar alimentos. As ações não estão chegando na ponta – afirmou.

Neri lembrou a necessidade de união, independentemente de sigla partidária e ideologia. Ele falou da preocupação do prefeito com o custo de R$ 720 mil mensais com o hospital de campanha e de mais leitos de UTI. Ainda terça conversaram virtualmente com líderes de partidos e o governador Eduardo Leite, contou Neri:

– Temos que bater na "tecla Caxias" junto ao governo do Estado, pois a cidade representa mais de 800 mil pessoas. Caxias precisa de uma boa estrutura para atender essas pessoas.

Leia também
Projetos mantêm salários sem reajuste aos eleitos em Caxias do Sul neste ano

Mauro Pereira volta a aparecer com Bolsonaro


 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros