Cinco partidos de Caxias do Sul pedem ao prefeito manutenção de medidas de isolamento social - Colunas da seção Mirante - Política: deputados, prefeitos e mais - Pioneiro
 
 

Mirante30/03/2020 | 11h34Atualizada em 30/03/2020 | 11h34

Cinco partidos de Caxias do Sul pedem ao prefeito manutenção de medidas de isolamento social

PCdoB, PT, PDT, PCB e PSOL defendem que saúde deve estar acima do lucro

Cinco partidos de Caxias do Sul pedem ao prefeito manutenção de medidas de isolamento social Antonio Valiente/Agencia RBS
Isolamento social é defendido como forma de evitar a proliferação do coronavírus Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

Cinco partidos políticos de Caxoas do Sul divulgaram uma carta aberta devido à pandemia provocada pelo coronavírus, que foi encaminhada ao prefeito Flávio Cassina (PTB). PCdoB, PT, PDT, PCB e PSOL assinam o texto em que ressaltam: "Diante do coronavírus, é hora de cuidar da saúde e salvar vidas". Eles pedem que a prefeitura mantenha o decreto com as medidas adotadas, sem flexibilizar nenhuma, em defesa da saúde e da vida dos caxienses.

"É preciso colocar o povo acima da economia e a saúde acima do lucro", diz o manifesto.

Leia mais
Grupo de vereadores de Caxias divulga nota "O que está em jogo é a vida"

A carta aberta, assinada por Paulo Freitas, presidente do PCdoB; Joceli Veadrigo, presidente do PT; Maurício Flores, presidente do PDT; Raimundo Bertuleza, secretário político do PCB; e Lucas Souza, presidente do PSOL, ressalta que nos últimos dias, o presidente Jair Bolsonaro e alguns empresários têm insistido na necessidade de restabelecer o funcionamento do comércio e de outros serviços não essenciais. O argumento é de que os danos econômicos serão irreversíveis caso o país continue parado por muito tempo.

Porém, os partidos ressaltam que o consenso entre cientistas da área é de que é fundamental manter medidas de isolamento social, por enquanto, inclusive para ganhar tempo a fim de trabalhar em alternativas.

"A crise da covid-19 vai coincidir com o período onde tradicionalmente faltam leitos até para enfrentar as doenças respiratórias inerentes a essa época do ano. Nos meses de outono e inverno, os leitos hospitalares e de UTI normalmente estão com suas taxas de ocupação operando no limite, ao que se somará uma média mensal adicional de 1.533 leitos clínicos e 70 leitos de UTI para pacientes com covid-19", diz a nota.

Os partidos ainda argumentam que, com a alta das infecções por covid-19, e Caxias sendo o centro regional para atender a esses casos, as medidas de isolamento social, caso revogadas ou relaxadas pela prefeitura, acarretarão um colapso do sistema de saúde, que exigirá medidas de isolamento ainda mais restritivas, levando a um colapso da economia local, a exemplo do que ocorreu na Itália.

"Sim ao isolamento social. Não à flexibilização que leva à morte", definem.

No sábado, os vereadores  Alberto Meneguzzi (PSB), Denise Pessôa (PT), Paula Ioris (PSDB), Rafael Bueno (PDT) e Renato Oliveira (PCdoB) divulgaram nota conjunta em defesa do isolamento social.

O que defendem 

:: A manutenção das medidas de isolamento social até que exista um Plano de Contingência, apresentado com a transparência que o momento exige, para que o sistema local de saúde dê conta de absorver a brutal demanda dos próximos meses e que permita a mitigação da curva exponencial de novos casos;

::  A definição de um plano de retomada gradativa das atividades econômicas, com a adoção de práticas de proteção adequadas a cada ramo de atividade, na medida que as ações do Plano de Contingência acima referido sejam efetivamente implementadas;

:: O pedido ao governo estadual para que, nas regiões metropolitanas da Serra Gaúcha, de Porto Alegre, do Sul e do Litoral Norte, seja editado decreto disciplinando as medidas de isolamento mínimas a serem seguidas por cada município.

Leia também
Ministério Público recomenda fiscalizar carreatas em Caxias do Sul
Sistema possibilita voto fora da Câmara em Nova Petrópolis por causa do coronavírus


 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros