Ex-procuradora-geral do município será assessora na Câmara de Vereadores de Caxias do Sul - Colunas da seção Mirante - Política: deputados, prefeitos e mais - Pioneiro
 
 

Mirante21/01/2020 | 17h44Atualizada em 21/01/2020 | 17h49

Ex-procuradora-geral do município será assessora na Câmara de Vereadores de Caxias do Sul

Cássia Kuhn confirma ida para bancada do Republicanos

Ex-procuradora-geral do município será assessora na Câmara de Vereadores de Caxias do Sul Lucas Amorelli/Agencia RBS
Cássia Kuhn atuou na defesa do prefeito cassado Daniel Guerra no processo de impeachment Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

A ex-procuradora-geral do município de Caxias do Sul e advogada do prefeito cassado Daniel Guerra no processo de impeachment, Cássia Andrea Azevedo Kuhn, será assessora da bancada do Republicanos na Câmara de Vereadores. Ela disse ao Mirante que assume no primeiro dia útil de fevereiro, portanto, no dia 3. 

O cargo de assessor de bancada é um CC8, R$ 8.590,50, mais auxílio alimentação de R$ 648,56.

Questionado sobre a ida da ex-procuradora para a função, o vereador Elisandro Fiuza, que é líder da bancada, respondeu:

— Não tenho a informação, há possibilidade. 

A declaração de Fiuza soa estranha, diante da confirmação de Cássia. Ou foi uma decisão de cima para baixo ou o vereador está querendo evitar publicidade à nomeação.

Na semana passada, Fiuza soube pelo Pioneiro que havia sido retirado do cargo de segundo vice-presidente da comissão provisória do Republicanos, que é presidido pelo ex-secretário municipal da Saúde, Júlio César Freitas da Rosa. Após o constrangimento, como ele mesmo definiu, o vereador esteve com o presidente estadual do partido, deputado federal Carlos Gomes, e disse que estava "tudo sanado".

Cássia ingressa na Casa no início do ano legislativo. As sessões ordinárias começam no dia 4, data em que os vereadores terão que decidir sobre a admissibilidade do pedido de impeachment do prefeito Flavio Cassina (PTB) e do vice-prefeito Elói Frizzo (PSB). O motivo é ambos não terem renunciado aos mandatos de vereador após a eleição indireta, ocorrida em 9 de janeiro, data em que também tomaram posse no Executivo. A renúncia acabou ocorrendo somente no dia 13.

Leia também  
Vice-prefeito de Caxias define não-renúncia ao mandato de vereador como "factoide"
Discurso de independência se amplia na Câmara de Vereadores de Caxias
Ex-vereador anuncia que é pré-candidato a prefeito de Caxias do Sul
Os rumos de MDB, PDT e PSB na eleição à prefeitura de Caxias



 
 
 
 
Pioneiro
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros