Daniel Guerra cita imprensa para tentar reverter cassação - Colunas da seção Mirante - Política: deputados, prefeitos e mais - Pioneiro
 
 

Mirante07/01/2020 | 06h30

Daniel Guerra cita imprensa para tentar reverter cassação

Após críticas, defesa usa publicações na ação para anular impeachment

Daniel Guerra cita imprensa para tentar reverter cassação Gabriela Bento Alves/Divulgação
Daniel Guerra foi cassado e Flavio Cassina é o candidato para ocupar sua cadeira no Executivo Foto: Gabriela Bento Alves / Divulgação

Era medida esperada a ação impetrada na Justiça pela defesa do prefeito cassado Daniel Guerra (Republicanos) com pedido de liminar para anular o impeachment e lhe restituir o cargo, bem como, suspender a eleição indireta. "Buscaremos o que é de direito da população nos diversos remédios judiciais", anunciou Guerra logo após a aprovação do impeachment pela Câmara de Vereadores, no dia 22 de dezembro.

Depois, compartilhou a série de postagens no Twitter feitas pelo seu ex-advogado e ex-assessor na Câmara de Vereadores, Heron Fagundes, em que ele defendeu que não existiu embasamento legal para o impeachment, podendo a cassação ser revertida na Justiça. 

Leia mais  
"Levaremos até o STF se for necessário", afirma advogada de Daniel Guerra sobre tentativa de reverter cassação
Prefeito cassado de Caxias entra na Justiça para solicitar anulação do processo de impeachment e recondução ao cargo

Mas o que chama atenção é que Daniel Guerra, crítico da imprensa — prática seguida por alguns dos membros de sua equipe e de apoiadores, inclusive com ofensas —, se ampara justamente em publicações de veículos de comunicação para tentar reaver o mandato e suspender a eleição indireta de quinta-feira. A defesa do ex-prefeito se utiliza de matérias da Rádio Gaúcha e do jornal Pioneiro (coluna Mirante). 

E ainda é mais curioso que, na sequência, a defesa se refere ao aditamento feito à denúncia de impeachment pelo ex-vice-prefeito Ricardo Fabris de Abreu e aí minimiza o uso de publicações da imprensa.

"O denunciante incluiu nas suas manifestações supostas irregularidades na licitação para a reforma do Posto de Saúde 24h. Não juntou nenhuma prova, salvo matérias de jornal e o andamento de um processo inconclusivo e natural no Tribunal de Contas do Estado", diz a ação.

Um aspecto que causa estranheza no documento é que Flavio Cassina (PTB) é mencionado como prefeito interino duas vezes. A ação foi protocolada no dia 3. A posse de Ricardo Daneluz (PDT) como presidente da Câmara, passando a chefiar interinamente o Executivo caxiense, foi no dia 2.

Leia também  
Secretário do governo interino de Caxias e presidente do PTB tem ação contra a Codeca
Definido novo diretor-presidente da Codeca em Caxias do Sul
Licitação para concessão do transporte coletivo de Caxias é suspensa Eleição indireta para prefeitura de Caxias será realizada na Casa da Cultura 

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros