Sartori dá a entender que não concorre a prefeito de Caxias do Sul - Colunas da seção Mirante - Política: deputados, prefeitos e mais - Pioneiro
 
 

Mirante02/12/2019 | 18h51Atualizada em 02/12/2019 | 19h05

Sartori dá a entender que não concorre a prefeito de Caxias do Sul

"Posso não participar do processo político-eleitoral, mas vou ajudar", afirmou o ex-governador na CIC

Sartori dá a entender que não concorre a prefeito de Caxias do Sul Lucas Amorelli/Agencia RBS
Na CIC, o ex-governador Sartori e o deputado estadual Carlos Búrigo, o provável candidato do MDB Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

A fala mais esperada do ex-governador José Ivo Sartori (MDB), sobre a possibilidade de ser candidato a prefeito de Caxias do Sul em 2020, veio na declaração ao final de sua palestra na Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC), nesta segunda-feira (02). E ele praticamente descartou a candidatura:

— Posso não participar ativamente do processo político-eleitoral, mas vou ajudar. Não vou me eximir da minha responsabilidade de participar, de olhar o quadro, ver como é que é, mas com tranquilidade e serenidade.

Leia mais  
"Deixamos um legado de transformação", diz Sartori
MDB consolida nome de Carlos Búrigo à prefeitura de Caxias


À imprensa, pediu desculpas e voltou a dizer que não daria declarações.

— Vou ficar devendo para o ano que vem. Não vou usar a expressão aquela, que eu só falo depois da Festa da Uva, porque aí não ia mais ter conversa — aproveitando para alfinetar o Governo Daniel Guerra.

Mas a imprensa o procurou, claro, e, ao ser questionado se ele não iria concorrer, como deixou subentendido, respondeu:

— Eu já disse publicamente, já disse tudo lá (no púlpito).

Encerrada a palestra, alguns emedebistas admitiram que Sartori não quer concorrer. Mas afirmaram que seguirão insistindo. Por sua vez, o presidente do MDB de Caxias do Sul, Ari Dallegrave, optou por manter a expectativa em torno do nome do ex-governador na disputa, dizendo que não havia escutado Sartori afirmar que não concorrerá.

O MDB mantém os demais partidos à espera da decisão de Sartori e acaba atrasando a formação de alianças partidárias em torno de outros possíveis candidatos.

Novas lideranças

Durante a manifestação na entidade empresarial, Sartori insistiu na necessidade de formação de novas lideranças, destacando que é um problema que não é só dos partidos políticos. Também ressaltou que o recado das urnas nas duas últimas eleições foi "mudança". Disse que espírito público é uma coisa escassa e afirmou:

— Essa falta de conteúdo está muito ligada às redes sociais.

O ex-governador enfatizou que todos os partidos ficaram iguais (nas coisas piores), criticou o radicalismo e afirmou que novamente está se evidenciando "o nós contra eles".

Esquece
u

Sartori havia esquecido de saudar a ex-primeira-dama do Estado, Maria Helena. Lembrou lá pela metade da palestra. Fez elogios à atuação da esposa, em revide às críticas de nepotismo. Situação essa que complica para os emedebistas e demais partidos integrantes do Governo Sartori, críticos à presença do irmão do prefeito, o vereador licenciado Chico Guerra, como ocupante de cargo do primeiro escalão.

Participações

A presença de Sartori na CIC foi acompanhada por um público de 320 pessoas. Todos os vereadores de seu partido — Felipe Gremelmaier, Paulo Périco, Gladis Frizzo e Edson da Rosa —estavam presentes. De outras siglas, foram vistos Adiló Didomenico (PTB), Ricardo Daneluz (PDT) e Gustavo Toigo (PDT), além do presidente da Câmara, Flavio Cassina (PTB), integrante da mesa principal. Também participou o presidente do MDB caxiense, Ari Dallegrave, e do DEM, Milton Corlatti, bem como o ex-vereador e ex-vice-prefeito Francisco Spiandorello (DEM).

O provável candidato do MDB à prefeitura, confirmando-se que Sartori não participe da disputa eleitoral, o deputado estadual Carlos Búrigo, estava na mesa principal representando a Assembleia Legislativa. O prefeito de Antônio Prado, Juarez Santinon, e seu vice, Carlos de Nardi, ambos do MDB, também participaram.

Prefeitura não prestigia

Não havia representante da prefeitura. Ou seja, o prefeito Daniel Guerra (Republicanos) não deu palco para o adversário. O ex-vice-prefeito Ricardo Fabris de Abreu (sem partido) estava na reunião-almoço.

Aliás, na semana passada, quando ocorreu a entrega da premiação da Associação Rio-grandense de Imprensa da Serra Gaúcha aos profissionais de veículos da região, também não houve representação da prefeitura de Caxias do Sul.

A última reunião-almoço da CIC com representante do Executivo municipal foi em 18 de novembro com a secretária de Gestão e Finanças, Magda Wormann. A ausência é reflexo do endurecimento das críticas do presidente da CIC, Ivanir Gasparin, ao Governo Daniel Guerra.

Leia também  
Bento Gonçalves recebe presidentes para a Cúpula do Mercosul nesta semana 

Presidentes farão plantio de vinhas do Mercosul em Bento Gonçalves
Câmara de Caxias vota projeto que transforma bancas de revistas e jornais em patrimônio cultural imaterial 
Declaração expõe mal-estar entre governos Daniel Guerra e Eduardo Leite
Ex-vice-prefeito de Caxias deve denunciar procuradora-geral do município no MP e na OAB
Vereador pede demissão de procuradora-geral do município de Caxias 

 


 
 
 
 
Pioneiro
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros