PT de Caxias bombardeia vereador Beltrão, que está de saída da sigla - Colunas da seção Mirante - Política: deputados, prefeitos e mais - Pioneiro
 
 

Mirante28/12/2019 | 08h15Atualizada em 28/12/2019 | 08h15

PT de Caxias bombardeia vereador Beltrão, que está de saída da sigla

Partido elogiou Denise Pessôa pelo voto contra o impeachment de Daniel Guerra 

PT de Caxias bombardeia vereador Beltrão, que está de saída da sigla Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Rodrigo Beltrão e Denise Pessôa compõem a bancada na Câmara de Vereadores Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

O Diretório Municipal do PT de Caxias do Sul divulgou nota elogiando a postura da vereadora Denise Pessôa por ter votado contra o impeachment do então prefeito Daniel Guerra (Republicanos). O partido reforçou que deliberou, de forma unânime, posição contrária ao impeachment do então prefeito. 

"Na ausência de provas robustas de crime de responsabilidade, o impeachment é um desrespeito a democracia e a soberania do voto popular", diz a nota.

Na sequência, afirma:

"O PT de Caxias do Sul manifesta seu orgulho por ter em seus quadros uma vereadora da envergadura de Denise Pessôa".

Em compensação, apontou a artilharia para Rodrigo Beltrão, que já anunciou que sairá da sigla e votou a favor da cassação de Guerra.

"O vereador Beltrão através do seu voto desrespeitou o diretório municipal. É de conhecimento público que ele manifesta intenção de se desfiliar do PT. Beltrão teve inúmeras oportunidades delegadas pelo PT: foi coordenador da juventude no governo Municipal do PT; foi assessor da vereadora Ana Corso; foi assessor do deputado federal Pepe Vargas até eleger-se vereador; foi candidato a deputado estadual e federal pelo PT. Em 2016, foi eleito vereador com 2218 votos, porém o quociente eleitoral para eleger um vereador naquela eleição foi de 9724 votos, ou seja, precisou mais 7.500 votos obtidos pelo esforço coletivo da nossa nominata de vereadores para ocupar a cadeira na Câmara de Vereadores", diz a nota.

Pressão

O PT pressiona para que Beltrão deixe a sigla, o que o levaria a perder o mandato.

"Beltrão tem o direito de sair do PT, mas, por coerência, ao tomar tal decisão, deveria permitir que o suplente do PT ocupasse o mandato que não é seu, mas do partido."

O PT opta por bombardear o vereador, porém, não o expulsa, o que naturalmente facilitaria seu ingresso em uma nova sigla.

Vale lembrar que o partido já encaminhou vários pedidos de impeachment no país.

Assessor deixa cargo

O assessor político de Beltrão, Cláudio Teixeira, deixou o cargo nesta sexta-feira (27). O motivo foi a saída do vereador do PT. Teixeira era seu assessor desde a eleição de 2008, ou seja, ficou 10 anos com cargo na Câmara.

"Depois de 20 anos de caminhada política, sendo mais de 10 como assessor político, saio do mandato do vereador com a convicção de que não sou um cargo ou um salário, sou o que acredito! Acredito que a política está em tudo, mas, principalmente, está na luta pela melhoria da vida daqueles/as que mais precisam. Acredito na boa política que busca a construção de um mundo melhor, sem vaidades ou personalismos", escreveu nas redes sociais.

Teixeira é advogado. Ele chegou a se exonerar da prefeitura em 2017, onde era concursado, para seguir como assessor de Beltrão. À época, ele estava licenciado da prefeitura, sem ônus para o Executivo, para atuar na Câmara. Porém, o Governo Guerra requisitou seu retorno.

— Apoiei o vereador desde a primeira campanha em 2000 — disse.

Leia também  
Convocação de suplente do PDT é dúvida na Câmara de Caxias
Integrantes de administrações comandadas por grupo adversário de Daniel Guerra predominam em governo interino
Confira as regras para concorrer à eleição indireta à prefeitura de Caxias
Câmara de Vereadores de Caxias suspende Chico Guerra por 60 dias

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros