MBL de Caxias do Sul está em campanha pelo impeachment de Daniel Guerra - Colunas da seção Mirante - Política: deputados, prefeitos e mais - Pioneiro
 
 

Mirante02/10/2019 | 14h57Atualizada em 02/10/2019 | 15h24

MBL de Caxias do Sul está em campanha pelo impeachment de Daniel Guerra

Movimento fez postagem apoiando manifestação do vereador Elói Frizzo (PSB)

MBL de Caxias do Sul está em campanha pelo impeachment de Daniel Guerra Lucas Amorelli/Agencia RBS
Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

 O Movimento Brasil Livre (MBL), de Caxias do Sul, está em campanha pelo impeachment do prefeito Daniel Guerra (Republicanos). Quando foi protocolado o pedido na Câmara de Vereadores, pelo ex-vice-prefeito Ricardo Fabris de Abreu, o movimento divulgou nota dizendo: "Não podemos compactuar com medidas que venham a cercear a liberdade de expressão, culto ou manifestação", e defendeu total e irrestrito apoio ao pedido de impeachment. 

Leia mais
Semana será de articulações na Câmara de Caxias sobre processo de impeachment de Daniel Guerra 
Câmara de Vereadores de Caxias adia votação de acolhimento de impeachment de Daniel Guerra  
De apoiadores a ex-aliados do prefeito de Caxias do Sul

Após o adiamento por cinco dias na Câmara para decidir pelo acolhimento ou não da denúncia contra o prefeito, na terça-feira (1º de outubro) o MBL faz pressão com publicações em suas redes sociais. O movimento se dirige aos vereadores e diz em uma postagem:

"Pressão pelo impeachment. É para votar sim, vereador!"

O que chamou atenção foi o apoio do MBL ao vereador Elói Frizzo (PSB), depois dele ter se manifestado na sessão de terça-feira (1º de outubro) pela admissibilidade da denúncia contra o prefeito.

Em uma publicação, com a frase "Um voto pela admissibilidade já foi declarado. Faltam apenas 15 votos", aparece a foto de Frizzo. Na postagem, o MBL escreveu:

E os outros vereadores? Por que não se posicionam? Faltam 7 dias para admissibilidade!"

Foto: Reprodução / Facebook

 Para aprovar a admissibilidade da denúncia pelo plenário, precisa de maioria simples (maioria dos vereadores presentes). Para a aprovação do impeachment, é necessário o voto de dois terços a favor da denúncia. 

Na eleição de 2016, alguns integrantes do movimento apoiaram Guerra à prefeitura e, com a vitória, passaram a integrar o governo, conforme declarou o diretor de Comunicação do MBL de Caxias, Jerônimo Molina, em agosto último. Desde o final de julho, o MBL tem publicado em sua conta no Facebook críticas à administração municipal.

Confira a nota do MBL

"O Movimento Brasil Livre se pauta pela liberdade. Não podemos compactuar com medidas que venham a cercear a liberdade de expressão, culto ou manifestação. Seria um desrespeito a qualquer cidadão caxiense ou brasileiro. Diante disso viemos manifestar total e irrestrito apoio ao pedido de impeachment protocolado hoje (sexta-feira, 27 de setembro) pelo ex-vice-prefeito Ricardo Fabris de Abreu. A sensatez se faz presente neste momento e ficar alheio aos anseios da população farta de escândalos, brigas, fuga de empregos e empresas, restrição de investimentos e gestão pública titubeante não faz parte de nossa cartilha.
Movimento Brasil Livre Núcleo Caxias do Sul"

Leia também  

Justiça nega ação da prefeitura de Caxias e mantém lei em homenagem à ex-vereadora Geni Peteffi
Prefeitura nega recomendação de MP e reitera proibição de Parada Livre no centro de Caxias
Prefeito de Caxias do Sul reaparece na abertura da Mercopar
Vereadora de Caxias protocola projeto para garantir poder de fiscalização 
"Esse pessoal acha que o Estado é propriedade da elite", avalia ex-governador Olívio Dutra


 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros