Vereadora indicou marido para ocupar cargo no governo estadual - Colunas da seção Mirante - Política: deputados, prefeitos e mais - Pioneiro
 
 

Mirante13/04/2019 | 09h15Atualizada em 13/04/2019 | 09h15

Vereadora indicou marido para ocupar cargo no governo estadual

Paula Ioris (PSDB), que é "porta-voz" de Eduardo Leite na Serra, minimiza e afirma que a vaga já está preenchida 

Vereadora indicou marido para ocupar cargo no governo estadual Facebook/Reprodução
Paula defende que marido detém os critérios técnico e político para ocupar cargo, mas diz que não houve a nomeação Foto: Facebook / Reprodução

O marido da vereadora Paula Ioris (PSDB), Rogério Alves de Oliveira, foi indicado para ocupar cargo de diretor administrativo no governo do Estado. Ele integrava uma lista que, segundo Paula, era composta por 32 nomes da região. De acordo com a vereadora, ele não foi nomeado e o cargo já foi preenchido. 

Leia mais
Vereadora de Caxias do Sul é a "porta-voz" de Governo Eduardo Leite na Serra

Paula defendeu o fato de o marido ter sido incluído na lista de possíveis ocupantes de um cargo em comissão por ser filiado ao PSDB, partido do governador Eduardo Leite, e por seu currículo. Ela é a "porta-voz" do governo Leite na Serra. 

— O cargo que ele poderia ocupar já foi ocupado. O Rogério estar numa plataforma (onde são colocados os nomes indicados), não vejo problema, ele poderia contribuir (com o governo) — declarou Paula. 

Para ela, o marido concorre com os critérios do governador, que é, em primeiro lugar, o técnico e, em segundo, o político. Paula era presidente do PSDB até as eleições do ano passado, quando tirou licença e o vice Ozório Rocha assumiu. Porém, ela reassumiu  internamente o comando. No site do TSE, Rocha continuava como o presidente. Foi eleito para o cargo no final de março. 

A informação inicial que chegou à coluna é de que a Executiva municipal havia indicado nove nomes e Paula incluiu mais um, seu marido.

Rogério foi CC do Governo José Ivo Sartori (MDB), como diretor administrativo e de negócios da Corag.

Primeiro nega, depois confirma

Ao ser questionada pelo Mirante sobre a indicação, Paula negou várias vezes, embora dissesse que não via problema caso ele estivesse na lista. Depois, procurou a coluna para informar que, sim, havia ocorrido a indicação. Ou seja, ela havia mentido.

Ela justificou que tinha dito inicialmente que era mentira porque se sentiu atingida, uma vez que sofre muita pressão. A tucana indignou-se por ter vindo à tona a informação. 

— Tem pessoas que não estão suportando a demora nas nomeações —afirmou, referindo-se aos companheiros do partido.

O clima interno no PSDB em Caxias, pelo jeito, segue não sendo nada amistoso.

Critérios

Questionada se acha ético indicar o marido, Paula Ioris disse que "se tiver formação para o cargo, é um critério".  Porém, quando analisa o Governo Daniel Guerra (PRB), a reação é outra:

— A proximidade (de familiares) não é bom, porque tem que pensar diferente, tem que ter mais pluralidade.

Sobre o chefe de Gabinete, Chico Guerra (PRB), irmão do prefeito, sua definição é:

— Chico é muito próximo, eu não escolheria um irmão. Prefeitura não é família. Não pode misturar família com governo municipal.

Quer dizer: se o governo ficar mais longe, aí pode misturar.

Leia também  
"Fiquei muito feliz com esse convite e aceitamos de bom coração", diz Washington sobre cargo no governo Bolsonaro
Deputado Neri, O Carteiro é eleito vice-presidente estadual do Solidariedade


 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros