Cordialidade entre políticos caxienses em Brasília precisa ser estendida para o município - Colunas da seção Mirante - Política: deputados, prefeitos e mais - Pioneiro
 
 

Análise01/04/2019 | 08h52Atualizada em 01/04/2019 | 08h52

Cordialidade entre políticos caxienses em Brasília precisa ser estendida para o município

Apesar dos enfrentamentos sistemáticos e contundentes até agora entre governo e oposição, todos conversaram com civilidade em Brasília

Cordialidade entre políticos caxienses em Brasília precisa ser estendida para o município Gianfrancesco Zucchetti/Divulgação
Foto: Gianfrancesco Zucchetti / Divulgação

A presença de uma comitiva caxiense em Brasília para acompanhar a decisão do Superior Tribunal de Justiça, o STJ, sobre o chamado Caso Magnabosco, semana passada, reuniu o prefeito Daniel Guerra e representantes de oposição. 

Apesar dos enfrentamentos sistemáticos e contundentes até agora entre governo e oposição, todos conversaram com civilidade em Brasília. Foi quando o ex-prefeito Alceu Barbosa Velho (PDT) cunhou uma frase importante para traduzir aquele encontro raro:

— Cordialidade exemplar por Caxias — sentenciou.

Outro representante da oposição, o líder do PMDB na Câmara, vereador Paulo Périco, complementou:

— Todos juntos pela cidade.

Importante convergência naquele momento. Mas que precisa ser estendida para a atuação política em Caxias do Sul. Todos os que estiveram no STJ retornaram à cidade, e as rusgas afloram outra vez. Por aqui, se fala em "mentira" a todo momento, com desembaraço, e o prefeito não atua com cuidado, deixando de fazer reconhecimentos importantes, chamando méritos para si, como se viu no caso do projeto do Executivo de distribuição de uniformes e kits de material escola para alunos da rede pública municipal. Ele disse desconhecer projeto semelhante do vereador Rodrigo Beltrão (PT), que provou que o prefeito conhecia, sim.

Precisa de maturidade política dos representantes para construir um ambiente que facilite o diálogo, a soma de esforços e a busca por soluções de interesse dos caxienses. A cordialidade não pode ficar só em Brasília.

Uez é cético

O assuntou da "cordialidade" voltou ao debate na sessão de quinta-feira da Câmara, trazido pelo vereador Velocino Uez (PDT). Ele concorda que seria importante construir um ambiente político bem melhor na cidade. Mas é bastante cético. Ele lembra, por exemplo, suas participações no Gabinete Itinerante na gruta de Nossa Senhora de Lourdes, na 3ª Légua, quando participou por ser essa a sua base geográfica e eleitoral. Também lembrou da abertura oficial da colheita da uva, em São Braz, em que também esteve presente.

Nas duas vezes, lamenta Uez, sua presença foi ignorada pelo Executivo.

Leia também
Constrange a falta de posicionamento de políticos de Caxias sobre ordem de Bolsonaro 
Prefeito de Flores da Cunha defende candidatura única para a eleição de 2020
Número de CCs de Daniel Guerra já passou do teto previsto

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros