O governador Eduardo Leite deveria visitar o Cristóvão - Colunas da seção Mirante - Política: deputados, prefeitos e mais - Pioneiro
 
 

Mirante18/02/2019 | 20h22Atualizada em 18/02/2019 | 20h22

O governador Eduardo Leite deveria visitar o Cristóvão

Secretário da Educação, Faisal Karam, esteve na escola e confirmou a inevitável perda de mais de R$ 29 milhões do empréstimo obtido com o Bird

O governador Eduardo Leite deveria visitar o Cristóvão Lucas Amorelli/Agencia RBS
Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

As comunidades caxiense e do Instituto Estadual de Educação Cristóvão de Mendoza sofreram nesta segunda-feira (18) um duro revés: a confirmação pelo secretário da Educação do Estado, Faisal Karam, em visita à escola, sobre a inevitável perda de mais de R$ 29 milhões do empréstimo obtido com o Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (Bird, o Banco Mundial). A perda inexorável é efeito da demora nos procedimentos burocráticos para a licitação, que só recentemente foi aberta, e dos decretos de contenção de gastos assinados pelo governador Eduardo Leite no início de seu mandato, em janeiro.

Leia mais
Projeto de obras no Instituto Cristóvão de Mendoza, em Caxias do Sul, será revisto

Karam diz que o Estado não terá mais recursos neste montante do empréstimo do Bird para investir e que, "dentro da realidade do governo", será discutido internamente o que é prioridade. Sabemos bem qual é a realidade do governo. Acenou com a busca de recursos via Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, o FNDE. Quer dizer: este é o caminho habitual — e demorado demais — a ser percorrido.

O empréstimo obtido é caminho perdido. Nem o próprio secretário acredita em uma prorrogação de prazo para obter os recursos do Bird. O Cristóvão sofre com rachaduras, goteiras, deterioração da pintura, da estrutura física. O auditório está interditado. A comunidade reivindica obras desde 2012. Já houve ocupação, promessas, novas promessas e até um acordo com o Ministério Público, que envolve o Estado. Prestes a vencer o prazo, o governo vem dizer que não fará mais as obras de recuperação esperadas, como elas estavam previstas e com a profundidade que foi acenada. É indigno com o Cristóvão e sua comunidade. O Estado deveria lutar até o fim pela verba de R$ 29 milhões ou oferecer alternativas. Era o que se esperava da visita do secretário da Educação. 

A comunidade deve cobrar fortemente do Estado pelas obras de recuperação do Cristóvão. O governador Eduardo Leite vem a Caxias do Sul nesta sexta-feira (22). Participa de um café da manhã na CIC e da abertura oficial da Festa da Uva. Ele deve ser convencido a abrir espaço na agenda e visitar a escola. Nem que seja por respeito e uma satisfação oficial às comunidades escolar e de Caxias do Sul.

Poucos vereadores

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL. 18/02/2019Secretário da educação Faisal Karam, visita a escola Cristovão nesta mannhã.
Vereadores e deputados acompanharam visita do secretário da Educação ao CristóvãoFoto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

Os três deputados estaduais caxienses — Neri, O Carteiro (Solidariedade), Pepe Vargas (PT) e Carlos Búrigo (MDB) — acompanharam a visita do secretário da Educação, Faisal Karam, ao Cristóvão. Alguns vereadores também participaram, pelo menos três: Paula Ioris (PSDB), Paulo Périco (MDB), Tatiane Frizzo (Solidariedade). Foi numericamente muito fraca a presença de vereadores. Tinha de haver mais parlamentares para cobrar do secretário da Educação uma obra que está se perdendo.

Pepe ainda destacou que é fundamental "que o Bird renove os prazos". Cobra uma última cartada, mas o governo pouco acredita.

Lembrar o secretário

Karam repassou os caminhos possíveis e bastou. Sentiu-se falta de quem fizesse uma contextualização a ele sobre o caminho já percorrido pela comunidade escolar. 

Não surtiu muito efeito a presença dos representantes políticos. O secretário foi embora e ficaram a sensação e a tendência de que as obras de restauração do Cristóvão ainda vão demorar, se enredar na burocracia e — voltando muitas casas atrás — na falta de recursos.

Apropriação e efetividade

O presidente da Comissão de Educação da Câmara, Edson da Rosa (MDB), conversou com o secretário Faisal Kairam pela tarde, em reunião na Câmara da qual também participaram a secretária municipal de Educação, Marina Matiello, e as vereadoras Paula Ioris (PSDB) e Gládis Frizzo (MDB).

Sobre o Cristóvão, Edson destacou ao secretário que a escola caxiense "tem uma estrutura física maior que o Julinho (Colégio Estadual Júlio de Castilhos, de Porto Alegre): 

— Enfatizei que ele tenha a apropriação da situação do Cristóvão. E também que nós precisamos ter efetividade.

Leia também
UAB de Caxias se posiciona sobre projeto que retira passe-livre dos ônibus
"Projeto se reelegeu", aponta deputado estadual Carlos Búrigo
Presidente do PDT em Caxias pede que vereador repense projeto que propõe revogar passe livre


 
 
 
 
Pioneiro
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros