Vereador quer suspensão do líder do governo por 60 dias no caso do "corretivo" - Colunas da seção Mirante - Política: deputados, prefeitos e mais - Pioneiro
 

Legislativo07/12/2018 | 06h12

Vereador quer suspensão do líder do governo por 60 dias no caso do "corretivo"

Subcomissão de Ética tem ainda pareceres pelo arquivamento e de advertência no processo contra Chico Guerra

Vereador quer suspensão do líder do governo por 60 dias no caso do "corretivo" Gabriela Bento Alves/Divulgação
Paulo Périco (MDB) defende que suspensão comece em 1º de fevereiro de 2019, devido ao recesso parlamentar Foto: Gabriela Bento Alves / Divulgação

Três integrantes, três posições distintas. Esse é o resultado da Subcomissão de Ética que analisa o processo administrativo contra o líder do governo na Câmara de Vereadores, Chico Guerra (PRB), no caso do "corretivo", conforme os áudios das conversas com o ex-coordenador de Relações Comunitárias Rafael Bado. 

Leia mais
Vereador quer advertência ao líder do governo na Câmara de Caxias no caso do "corretivo"
Ministério Público quer informações sobre processo referente ao líder do governo na Câmara de Caxias
"Corretivo" e "lista negra" indicam possível retaliação do governo Daniel Guerra  
"Se eu erro, tenho que pagar pelo erro", diz Chico Guerra. Confira a entrevista 

O vereador Paulo Périco (MDB), que já havia manifestado ser contra o parecer pelo arquivamento encaminhado pelo relator da subcomissão, Edi Carlos Pereira de Souza (PSB), agora protocolou sua posição. Ele pede que o líder de governo seja suspenso por 60 dias. 

Périco diz que a suspensão se iniciaria em 1º de fevereiro de 2019, quando o Legislativo retoma as atividades. A última sessão deste ano será no próximo dia 13. 

Já Ricardo Daneluz (PDT) defende uma advertência por escrito e sugere que Chico faça uma retratação pública pedindo desculpas. 

Nos áudios que vieram à tona no início de junho, foi revelado que o líder do governo sugeria que o presidente da Associação de Moradores do Bairro Cânyon, Marciano Correa da Silva, tivesse um "corretivo" por sua postura oposicionista ao governo Daniel Guerra (PRB).

Os três pareceres – arquivamento, advertência e suspensão – foram encaminhados ao presidente da Comissão de Ética, o governista Renato Nunes (PR). Além dos quatro vereadores, Chico integra a comissão, mas declarou-se impedido por ser parte no processo. 

Os encaminhamentos aguardam posicionamento da assessoria jurídica da comissão. Se o parecer pelo arquivamento passar na comissão, deverá seguir para o plenário.

Leia também
Aprovado orçamento de R$ 2 bilhões da prefeitura de Caxias do Sul para 2019
O que falta para Caxias ter um deputado federal
"Auxílio-mudança": Pepe Vargas vai receber, Mauro Pereira já ganhou

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros