Rigotto vota em Caxias do Sul e critica legislação eleitoral  - Notícias de Eleições - Política: deputados, prefeitos e mais - Pioneiro
 

 Eleições 201807/10/2018 | 10h18Atualizada em 07/10/2018 | 10h18

Rigotto vota em Caxias do Sul e critica legislação eleitoral 

Candidato à vice-presidência pelo MDB disse que lei é feita para reeleger os atuais detentores de mandato

Rigotto vota em Caxias do Sul e critica legislação eleitoral  Diogo Sallaberry/Agencia RBS
Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

O candidato à vice-presidência da República pelo MDB, Germano Rigotto votou por volta das 9h no Colégio Madre Imilda, em Caxias do Sul. Perguntado sobre a expectativa com o resultado da eleição considerando que o candidato à presidência da chapa, Henrique Meirelles, ficou para trás nas pesquisas ele disse que "sempre podem haver surpresas no processo eleitoral". Rigotto também criticou a legislação eleitoral e a forma como se deu a campanha.

— A lei foi Feita para reeleger os atuais detentores de mandato (...) é uma eleição que mostra a falência do sistema partidário, que tem que mudar a legislação para permitir debate de propostas e não abrir espaço para raiva — disparou.

Leia mais
Veja os números dos candidatos que concorrem nesta eleição

Rigotto disse que os partidos viraram um "saco de incoerências" e defendeu uma reforma política que diminua o número de partidos. Ele reclamou de falta de espaço para debater ideias na midia e Criticou o critério de utilizar a pesquisa eleitoral para definir quais candidatos serão entrevistados, — uma referência ao critério utilizado pela Rede Globo para entrevistas de candidatos no Jornal Nacional.

Rigotto também pediu que haja paz no processo eleitoral e que ele transcorra sem radicalismos.

— Compreendo o momento de indignação mas ela pode acabar não permitindo que se debata os problemas do país com profundidade.

O candidato à vice presidência pelo MDB evitou falar de possível apoio a algum candidato em eventual segundo turno. Ele disse que deve ser aguardado o fim do primeiro turno e criticou o "voto útil", dizendo que o momento de dá-lo é no segundo turno.

— Primeiro, você da o voto em quem você acredita que tenha as melhores propostas — disse.

Rigotto defendeu que Meirelles é o candidato Mais preparado por conta da bagagem dele, embora tenha reconhecido que algumas vezes ele não consiga comunicar bem o que irá fazer.

Germano Rigotto segue para Porto Alegre ainda nesta manhã, onde irá atender veículos de imprensa e deve voltar a Caxias do Sul para acompanhar a apuração. Ele disse que foi convidado por Meirelles para acompanhar a apuração na casa dele em São Paulo, mas que explicou ao candidato à presidência que tinha compromissos no RS, inclusive entrevistas, e que iria permanecer no estado. Ele deve ir a São Paulo na segunda.  

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros