Mirante: propaganda gratuita encerra com ataques e clima tenso - Notícias de Eleições - Política: deputados, prefeitos e mais - Pioneiro
 

Eleições 201805/10/2018 | 09h34Atualizada em 05/10/2018 | 09h46

Mirante: propaganda gratuita encerra com ataques e clima tenso

Bolsonaro e Haddad, que podem se enfrentar no segundo turno, centralizam olhares dos eleitores

Mirante: propaganda gratuita encerra com ataques e clima tenso Montagem sobre fotos de Anselmo Cunha e Ricardo Stuckert / Agência RBS/Agência RBS
Foto: Montagem sobre fotos de Anselmo Cunha e Ricardo Stuckert / Agência RBS / Agência RBS

O encerramento do horário eleitoral à Presidência da República, na quinta-feira (4), veio com o retrato do clima pesado que se vê nesta disputa, com a polarização entre o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) e o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT), segundo as pesquisas.

O programa de Bolsonaro, em seu curto tempo, disse que o candidato é alvo de mentiras, calúnias e perseguição. E que tentaram tirar a vida dele. "O sistema não quer Bolsonaro, mas o povo quer. E quem decide é o povo", constava na apresentação.

O programa de Haddad subiu o tom contra o adversário direto diante da possibilidade de estarem no segundo turno, embora defendendo que "urna não é lugar de depositar ódio, é lugar de depositar esperança". 

Mostrando a foto de Bolsonaro, o programa encerrou com os dizeres: "Não vote em quem sempre votou contra você . Bolsonaro, não".

Na quarta-feira (3), em uma transmissão ao vivo no Facebook, após as críticas por ter dito que não aceita outro resultado se não for o vencedor, Bolsonaro deu uma amenizada, afirmando que vai respeitar "o que acontecer".

Mas desconsidera o adversário:

"Eu não vou ligar para o Haddad, caso ele venha a vencer. Se bem que eu não acredito nisso", afirmou.

Bolsonaro também aproveita para pregar o voto útil. Aliás, o sentimento de uma possível vitória do capitão no primeiro turno tem crescido, provocando debandada e racha em partidos.

A divulgação da pesquisa Datafolha, na quinta-feira (4), com Bolsonaro subindo de 32% para 35% e Haddad de 21% para 22%, em comparação ao último levantamento,  faz aumentar a expectativa em torno do cenário eleitoral. 

Leia também
O que pensam os candidatos ao governo do Estado sobre infraestrutura e logística na Serra
Jair Bolsonaro pede a empresários que não façam campanha interna
Regime de Recuperação Fiscal no centro do debate eleitoral
Mirante: manifesto propõe "Alcirina", união em prol de Ciro Gomes

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros