Em nota, Guerra diz que Bolsonaro e Leite terão prefeito parceiro - Notícias de Eleições - Política: deputados, prefeitos e mais - Pioneiro
 

Eleições 201828/10/2018 | 20h51Atualizada em 29/10/2018 | 08h42

Em nota, Guerra diz que Bolsonaro e Leite terão prefeito parceiro

Os dois eleitos receberam apoio de Daniel Guerra durante a campanha eleitoral

Em nota, Guerra diz que Bolsonaro e Leite terão prefeito parceiro Felipe Nyland/Agencia RBS
Foto: Felipe Nyland / Agencia RBS
Pioneiro
Pioneiro

Logo após a confirmação da vitória de Jair Bolsonaro (PSL) para a Presidência da República e de Eduardo Leite (PSDB) para o Governo do Estado, o prefeito de Caxias do Sul, Daniel Guerra (PRB), emitiu nota avaliando o resultado. Nela, diz que o Brasil e o Rio Grande do Sul vivem um momento histórico, "uma era de respeito ao que é público, de responsabilidade com a população".

Leia mais
"Serão quatro anos de muita dificuldade", avalia prefeito de Farroupilha, sobre eleição de Bolsonaro
Festa de eleitores de Bolsonaro colore de verde e amarelo a Praça Dante Alighieri, em Caxias do Sul
Mirante: Bolsonaro jura que manterá democracia

No texto, Guerra exige que cargos estratégicos para Caxias e região, sejam eles federais ou estaduais, sejam preenchidos por pessoas técnicas e não por compensações políticas. O prefeito diz ainda ter certeza que Caxias será tratada com mais respeito por Brasília e pelo Piratini. 

Por fim, destaca que Bolsonaro e Leite terão em Caxias um "ferrenho fiscal dos interesses da população de Caxias do Sul e região", mas também um prefeito parceiro. 

Confira a nota na íntegra: 

O Brasil e o Rio Grande do Sul vivem um momento histórico. Novos tempos, novos ares, nova política. Uma era de respeito ao que é público, de responsabilidade com a população, onde cargos públicos sejam preenchidos por pessoas capacitadas tecnicamente para tal função, sem o nefasto aparelhamento político das instituições. Exigiremos que cargos estratégicos para Caxias e região, sejam eles federais ou estaduais, sejam preenchidos por pessoas técnicas e não por compensações políticas.

Tenho certeza de que, com esse resultado, Caxias do Sul será tratada com mais respeito por Brasília e pelo Estado do Rio Grande do Sul. Precisamos de um olhar mais cuidadoso do futuro governo federal na destinação e liberação de verbas públicas, sem atraso no repasse de recursos, principalmente para as áreas da educação e saúde. Já no Estado, o futuro governador Eduardo Leite assumiu compromissos com a população de Caxias, tais como os recursos para a desapropriação de terras para a viabilização do Aeroporto da Serra Gaúcha, no distrito de Vila Oliva. Além disso, deverá cumprir com aquilo que o atual governador não fez: pagar o que o Estado deve para Caxias nas áreas da saúde e educação; e que assuma as suas responsabilidades com os 49 municípios da região.

Jair Bolsonaro e Eduardo Leite terão em Caxias do Sul um ferrenho fiscal dos interesses da população de Caxias do Sul e região. Ao mesmo tempo, terão um prefeito parceiro para as mudanças que precisam ser feitas no estado e no país, acabando com a velha política para exterminar as "grandes, médias e minis Brasílias", pois este foi o recado que veio das urnas.

Bolsonaro e Leite receberam apoio de Daniel Guerra durante a campanha eleitoral. 

Leia também:
"Acredito que seja uma quebra de paradigma", diz prefeito de Bento Gonçalves
"O recado é bem claro, que é o de total mudança", afirma presidente do Legislativo de Caxias do Sul
"Todo histórico do Bolsonaro é contra a democracia", diz Pepe Vargas
Festa de eleitores de Bolsonaro colore de verde e amarelo a Praça Dante Alighieri, em Caxias do Sul 

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros