Tá na Web: Em vídeos no Twitter, Temer ataca Alckmin - Notícias de Eleições - Política: deputados, prefeitos e mais - Pioneiro
 

Eleições 201806/09/2018 | 11h43Atualizada em 06/09/2018 | 11h43

Tá na Web: Em vídeos no Twitter, Temer ataca Alckmin

Presidente da República pede que candidato do PSDB "fale a verdade"

Tá na Web: Em vídeos no Twitter, Temer ataca Alckmin Twitter / Reprodução /Reprodução
Foto: Twitter / Reprodução / Reprodução
Pioneiro
Pioneiro

O presidente da República, Michel Temer (MDB), publicou dois vídeos em sua conta no Twitter, entre esta quarta e quinta-feira, pedindo que o candidato Geraldo Alckmin reconheça que o PSDB apoiou seu governo.

Leia mais
Ministério Público apresenta ação contra Alckmin por caixa 2

No primeiro vídeo, publicado na noite desta quarta-feira, Temer relembra partidos que estão ou estiveram no governo do emedebista e apoiam Alckmin. 

— Você diz que a educação foi um desastre. Você sabe quem foi o meu ministro da Educação? É o Mendonça Filho, que é do DEM, partido que apoia a sua candidatura, e o Mendonça fez um belíssimo trabalho — diz em um trecho. 

No segundo, publicado na manhã desta quinta-feira, o presidente procura destacar como o PSDB esteve presente em seu governo:

— Você se lembra quando nomeei o José Serra para o Ministério das Relações Exteriores, que fez um belíssimo trabalho Geraldo e depois nomeei, aliás, ao mesmo tempo, o Bruno Araújo para o Ministério das Cidades, que foi um ministério gerador de muitos empregos e lá, o Bruno Araújo, PSDB, fez um belíssimo trabalho. Mais tarde eu levei o PSDB para dentro do Palácio do Planalto por meio do nosso prezadíssimo (Antonio) Imbassahy que fez também um adequadíssimo, belíssimo trabalho de natureza política no governo.  

Alckmin respondeu na manhã desta quinta que não elegeu Temer e que sempre teve "responsabilidades para com o Brasil e os brasileiros". 

— Votamos no que acreditamos, independentemente de fazer parte do governo — escreveu em sua conta no Twitter. 

Veja o que disse o presidente no primeiro vídeo: 

"Geraldo Alckmin, candidato a presidente da República, me dirijo a você. A você pelas falsidades que você tem colocado em seu programa eleitoral e eu não posso silenciar em homenagem ao povo brasileiro. Você diz que a educação foi um desastre. Você sabe quem foi o meu ministro da Educação? É o Mendonça Filho, que é do DEM, partido que apoia a sua candidatura, e o Mendonça fez um belíssimo trabalho. Primeiro ponto. Segundo ponto: você fala mal da saúde, como se a saúde fosse um desastre. A saúde melhorou muito no nosso governo e está com o PP, um partido que apoia a sua candidatura, teve três ministérios, continua com três ministérios e ele, Ricardo Barros, que foi ministro, também fez um extraordinário trabalho e você critica. Critica indevidamente. Você critica a área de indústria, comércio. Você sabe quem foi o ministro? Foi o Marcos Pereira, que é candidato a deputado federal do PRB que apoia a sua candidatura, estava no meu governo e continua no meu governo e agora é base de apoio da sua candidatura. Se você fala em desemprego, você sabe quem conduziu o Ministério do Trabalho e outros órgãos conexos, ô Geraldo? Foi exata e precisamente o PTB, que apoia a sua candidatura, está na base do meu governo. E se você vier a ganhar a eleição, essa base será a sua base governamental e eu me lembro, Geraldo, quando você, candidato a governador, candidato a presidente, nas vezes que eu te apoiei, precisamente para esses cargos, acho que você era diferente. Não atenda o que dizem os seus marqueteiros. Atenda apenas à verdade e a verdade significa que nós fizemos muito por essas áreas, conduzidas por aqueles que hoje apoiam a sua candidatura". 

Veja o que disse o presidente no segundo vídeo: 

"Candidato Geraldo Alckmin, eu volto a falar com você. Já gravei um vídeo anterior mostrando que vários daqueles que apoiam a sua candidatura foram e são da base do meu governo e agora eu volto a falar com você para dizer como o PSDB me ajudou no governo e como foi base do governo. Você se lembra quando nomeei o José Serra para o Ministério das Relações Exteriores, que fez um belíssimo trabalho Geraldo e depois nomeei, aliás, ao mesmo tempo, o Bruno Araújo para o Ministério das Cidades, que foi um ministério gerador de muitos empregos e lá, o Bruno Araújo, PSDB, fez um belíssimo trabalho. Mais tarde eu levei o PSDB para dentro do Palácio do Planalto por meio do nosso prezadíssimo (Antonio) Imbassahy que fez também um adequadíssimo, belíssimo trabalho de natureza política no governo. Ajudou tanto meu governo, que pode hoje vir a apoiar você invocando exata e precisamente aquilo que fizeram no meu governo. Portanto, o PSDB, Geraldo, apoiou o meu governo. Não faça como aqueles que falseiam, que mentem para conseguir votos, influenciado pelo marqueteiro. Seja realista. Conte exatamente a verdade".  

Veja a resposta de Alckmin: 

"Eu não votei no Temer, ele era da chapa da Dilma. Eles se escolheram duas vezes. Houve um impeachment, acompanhado de perto pelo STF, e nós temos responsabilidades para com o Brasil e os brasileiros. Votamos no que acreditamos, independentemente de fazer parte do governo". 

Leia também
Conheça as propostas de Ciro Gomes, candidato a presidente pelo PDT
Tá no ar: Sartori aborda parcelamento de salários dos servidores
Iotti: a dúvida na eleição 


 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros