O que pensa Miguel Rossetto sobre a educação da Serra - Notícias de Eleições - Política: deputados, prefeitos e mais - Pioneiro
 

Eleições 201807/09/2018 | 07h00Atualizada em 08/09/2018 | 09h45

O que pensa Miguel Rossetto sobre a educação da Serra

Candidato do PT ao Piratini responde a 11 demandas do Pioneiro

O que pensa Miguel Rossetto sobre a educação da Serra Tadeu Vilani/Agencia RBS
Foto: Tadeu Vilani / Agencia RBS
Pioneiro

No dia 29 de agosto, o Pioneiro publicou a primeira reportagem da série A Serra Precisa, com as principais demandas regionais para os candidatos a governador. O primeiro tema foi Educação.  

Leia mais
"A primeira medida é pagar em dia", promete Miguel Rossetto, pré-candidato do PT ao governo do RS

A partir do contato da reportagem com a realidade regional e o depoimento de fontes protagonistas e especializadas na área, foram listadas 11 demandas da região. Elas foram submetidas aos candidatos a governador, que enviaram ao Pioneiro a visão que têm sobre cada um dos itens e o que pode ser feito, caso eleito.

Até as 19h de ontem, o candidato Julio Flores (PSTU) foi o único que não enviou as respostas solicitadas.

Confira o que pensa o candidato Miguel Rossetto (PT).

As outras quatro reportagens da série A Serra Precisa abordam os temas Saúde, Segurança, Desenvolvimento e Infraestrutura. 

1. Equiparar o salário básico do professor estadual ao piso nacional
Miguel Rossetto:
O primeiro compromisso que assumimos na campanha foi o de priorizar pagamento dos salários em dia. Uma educação de qualidade requer profissionais valorizados e qualificados. Respeitar os trabalhadores e trabalhadoras é respeitar a população que precisa da educação.

2. Manter programas de formação continuada na docência
Miguel Rossetto:
A formação permanente de professores, abandonada por Sartori, merece uma especial atenção. Para isso, iremos garantir espaços de formação na escola para construir, aprofundar, propor novas ações, socializar práticas de ensino. A política de formação será desenvolvida em parceria com as instituições de ensino superior e articulada com as demandas da rede.

3. Fomentar a formação de novos professores
Miguel Rossetto:
Atualmente, muitos professores não possuem licenciatura específica para as disciplinas que lecionam. Essa realidade precisa ser superada. A política de formação será desenvolvida em parcerias com as instituições de ensino superior que se disponibilizem para o ensino e pesquisa.

4. Abrir concurso público para preencher o quadro efetivo
Miguel Rossetto:
Defendemos a contratação de servidores por concurso, mas também que os profissionais que hoje prestam serviço através de contratos emergenciais sejam respeitados. Hoje, das 84 mil matrículas de servidores ativos na educação, 26 mil são contratos emergenciais e temporários. Vamos discutir com a categoria a melhor maneira de encaminhar soluções para a questão.

5. Conter a evasão escolar
Miguel Rossetto:
De 2012 a 2014, iniciou-se uma tendência de queda da evasão no ensino médio. No governo Sartori, houve o retorno à tendência do aumento. O ensino médio precisa da pesquisa como organizadora do processo de estudo e aprendizagem, associada a uma política de formação de professores em cooperação com universidades, além de outras ações da política educacional.

6. Ampliar o turno integral
Miguel Rossetto:
Trabalharemos conjuntamente com Lula presidente (a candidatura do ex-presidente foi barrada pelo TSE, mas o PT ainda recorre), que assumiu o compromisso de investir na ampliação e fortalecimento da oferta de educação de tempo integral sobretudo nas regiões mais vulneráveis, trazendo aos estudantes benefícios como esporte, artes e lazer.

7. Reduzir a distorção entre série e idade do aluno
Miguel Rossetto:
A educação no Rio Grande do Sul vem sofrendo com o aumento na distorção entre a série e idade das alunas e alunos. Hoje, são cerca de 70 mil fora de suas séries. Nós iremos agir e reverter isso. Iremos fortalecer toda a rede de ensino com qualidade desde as séries iniciais, professores qualificados e uma infraestrutura que potencialize o aprendizado.

8. Modernizar as escolas públicas (laboratórios, dinâmica da pedagogia, etc)
Miguel Rossetto:
Vemos hoje pelo Estado escolas sem teto, sem luz, sem biblioteca. Iremos fazer as reformas emergenciais e modernizar as escolas. Trabalhando com Lula presidente iremos promover a inclusão digital e tecnológica das crianças brasileiras, introduzindo desde o primeiro ano do ensino fundamental, com a estrutura necessária, o trabalho com linguagens digitais.

9. Construir escolas para inserir o jovem no Ensino Médio perto de casa
Miguel Rossetto:
O governo atual comemora o fechamento de turmas e escolas. Isso é errado. Nós iremos suspender imediatamente essas medidas e vamos integrar as escolas ao seu território através do fortalecimento dos vínculos com as forças vivas das comunidades onde a escola está situada.

10. Manter planejamento padrão e contínuo para reforma, modernização e ampliação de prédios
Miguel Rossetto:
A falta de uma infraestrutura de qualidade nas escolas do Rio Grande do Sul é um fator decisivo na qualidade do ensino e do aprendizado das alunas e alunos. Iremos trabalhar para recuperar e modernizar mais de 2,5 mil escolas no Estado. Um ambiente qualificado é essencial para a melhora da educação no Rio Grande.

11. Formar gestores qualificados e padronizar a administração na rede
Miguel Rossetto:
Para garantir um ensino de qualidade, é necessário que tenhamos gestores qualificados e, para isso, haverá cursos de formação inicial, antes da posse do gestor e permanente, durante sua gestão. É importante valorizar a autonomia e a gestão democrática para a formação de um sistema integrado e acompanhado pela comunidade escolar.

Leia também
Mirante: ato condenável contra Bolsonaro e à democracia
Suplente do PSC assume como vereador na Câmara de Caxias
TSE aprova candidatura de Jair Bolsonaro à Presidência
Mirante: fundo partidário chega a candidatos a deputado de Caxias
Tá na Web: Em novo vídeo, Temer parte para cima de Haddad

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros