O que pensa Mateus Bandeira sobre a educação da Serra - Notícias de Eleições - Política: deputados, prefeitos e mais - Pioneiro
 

Eleições 201807/09/2018 | 06h45Atualizada em 08/09/2018 | 09h46

O que pensa Mateus Bandeira sobre a educação da Serra

Candidato do Novo ao Piratini responde a 11 demandas do Pioneiro

O que pensa Mateus Bandeira sobre a educação da Serra Lauro Alves/Agencia RBS
Foto: Lauro Alves / Agencia RBS
Pioneiro

No dia 29 de agosto, o Pioneiro publicou a primeira reportagem da série A Serra Precisa, com as principais demandas regionais para os candidatos a governador. O primeiro tema foi Educação.  

Leia mais
Novo registra candidatura de Mateus Bandeira ao Palácio Piratini
Mirante: candidato ao governo do Estado ficará 24 horas na internet para detalhar plano de governo

A partir do contato da reportagem com a realidade regional e o depoimento de fontes protagonistas e especializadas na área, foram listadas 11 demandas da região. Elas foram submetidas aos candidatos a governador, que enviaram ao Pioneiro a visão que têm sobre cada um dos itens e o que pode ser feito, caso eleito.

Até as 19h de ontem, o candidato Julio Flores (PSTU) foi o único que não enviou as respostas solicitadas. 

Confira o que pensa o candidato Mateus Bandeira (Novo).

As outras quatro reportagens da série A Serra Precisa abordam os temas Saúde, Segurança, Desenvolvimento e Infraestrutura.

1. Equiparar o salário básico do professor estadual ao piso nacional
Mateus Bandeira:
Em razão da grave crise financeira, não há condições no curto prazo para a equiparação do vencimento básico ao piso nacional. É preciso promover o equilíbrio das contas públicas para que a remuneração dos professores possa observar o piso nacional.

2. Manter programas de formação continuada na docência
Mateus Bandeira:
Somos plenamente favoráveis aos programas de formação. Eles são expressivos tanto na qualificação dos conteúdos que devem ser constantemente atualizados quanto na metodologia de ensino, estimulando cada vez mais tecnologia e os instrumentos que tornam as aulas mais atraentes e conectadas com a linguagem dos nossos jovens.

3. Fomentar a formação de novos professores
Mateus Bandeira:
A formação é um desafio permanente em vista das transformações pelas quais a educação passa no mundo inteiro e, especialmente, pelo fato de que é preciso não apenas atualizar os conteúdos, mas a forma de transmiti-los.

4. Abrir concurso público para preencher o quadro efetivo
Mateus Bandeira:
A proposta da nossa candidatura é atender a essa demanda de ensino com ações mais específicas. Primeiro, com a compra de vagas em escolas particulares de boa qualidade, o que chamamos de Prouni do ensino básico, visando permitir a igualdade de acesso e oportunidades para os filhos das famílias que não têm condições de arcar com os custos das boas escolas da rede privada.

5. Conter a evasão escolar
Mateus Bandeira:
Para enfrentar a evasão escolar, é preciso melhorar a qualidade e tornar atrativo o ensino oferecido, e isso será possível com a compra de vagas nas escolas privadas. 

6. Ampliar o turno integral
Mateus Bandeira:
Nossa estratégia é equiparar a qualidade, ampliando o acesso dos alunos que não podem pagar mediante a compra de vagas nas escolas particulares de boa qualidade. A ampliação do turno integral se insere nesse contexto, na medida em que essas iniciativas poderão contemplar o acesso a escolas que adotam o modelo.

7. Reduzir a distorção entre série e idade do aluno
Mateus Bandeira:
O ensino que nós acreditamos é baseado nas premissas da liberdade e da responsabilidade. Aos alunos devem ser oferecidas as melhores condições e também exigido o aproveitamento compatível com essa qualidade. Temos de elevar os índices do Ideb e só conseguiremos fazer isso reduzindo o apartheid que separa as escolas de boa qualidade das demais, incentivando o mérito. Isso levará ao menor número de reprovações.

8. Modernizar as escolas públicas (laboratórios, dinâmica da pedagogia, etc)
Mateus Bandeira:
Acreditamos que a solução mais eficiente é a que nós defendemos: o modelo de escolas comunitárias, no qual, em parceria com as entidades do 3º setor, a administração das escolas poderá rapidamente ser qualificada, viabilizando investimentos com maior flexibilidade e conectados com as transformações que ocorrem no mundo todo.

9. Construir escolas para inserir o jovem no Ensino Médio perto de casa
Mateus Bandeira:
Também é necessário remover obstáculos que impedem a frequência dos alunos, fazendo, por exemplo, um diagnóstico da demanda e um planejamento da localização das escolas para que elas estejam próximas da casa dos estudantes.

10. Manter planejamento padrão e contínuo para reforma, modernização e ampliação de prédios
Eduardo Leite:
O que precisamos é usar a tecnologia para agilizar, atualizar e dar transparência tanto aos processos e projetos educacionais quanto à manutenção, reforma e construção de escolas. Temos de integrar os sistemas gestores para obter mais rapidamente indicadores e diagnósticos que proporcionem o replanejamento das ações.

11. Formar gestores qualificados e padronizar a administração na rede
Mateus Bandeira:
A carência de recursos não pode ser um obstáculo intransponível para a qualificação das escolas. É preciso aproximar, no Ensino Fundamental, as ações de Estados e municípios de modo a tornar planejamento e ações mais eficientes. E, sobretudo, promover parcerias com entidades do terceiro setor para a criação de escolas comunitárias, com processo público de seleção de entidades para a gestão das escolas com repasses e fiscalização do governo.

Leia também
Mirante: ato condenável contra Bolsonaro e à democracia
Suplente do PSC assume como vereador na Câmara de Caxias
TSE aprova candidatura de Jair Bolsonaro à Presidência
Mirante: fundo partidário chega a candidatos a deputado de Caxias
Tá na Web: Em novo vídeo, Temer parte para cima de Haddad

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros