Mirante: Prefeito de Caxias do Sul não acompanha decisão nacional partidária à Presidência - Notícias de Eleições - Política: deputados, prefeitos e mais - Pioneiro
 

Eleições 201810/09/2018 | 09h30Atualizada em 11/09/2018 | 13h31

Mirante: Prefeito de Caxias do Sul não acompanha decisão nacional partidária à Presidência

Daniel Guerra abriu voto para Jair Bolsonaro (PSL), enquanto o PRB, partido do chefe do Executivo está com Geraldo Alckmin (PSDB)

Mirante: Prefeito de Caxias do Sul não acompanha decisão nacional partidária à Presidência Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Prefeito da segunda maior cidade do Rio Grande do Sul, Daniel Guerra não acompanha a decisão nacional de seu partido, o PRB, que está aliado ao candidato à Presidência Geraldo Alckmin (PSDB). Guerra assumiu oficialmente o apoio a Jair Bolsonaro (PSL). A data escolhida foi simbólica: o Sete de Setembro. O candidato tem como slogan "Brasil acima de tudo, Deus acima de todos". 

A manifestação veio junto com a repercussão provocada pelo atentado sofrido pelo candidato em Juiz de Fora (MG) na quinta-feira. Boa parte do eleitorado de Guerra e Bolsonaro tem perfil semelhante.

O prefeito declarou que vota em Bolsonaro em uma postagem no Facebook na sexta-feira, junto ao santinho em que aparece com sua irmã, Dalva Guerra (PRB), candidata a deputada estadual.

"Meu apoio a Jair Bolsonaro. Vítima da intolerância. O Brasil precisa mudar de verdade. Meu voto para presidente é nele: Jair Messias Bolsonaro", escreveu, confirmando o previsível.

No mesmo dia, ao Pioneiro, Guerra sinalizou o apoio, dizendo que "existe a necessidade de uma nova forma de fazer política, que ele (Bolsonaro), se eleito, acredito que fará".

Em 2014, quando era vereador, Guerra votou contra uma moção de repúdio a Bolsonaro por manifestações consideradas preconceituosas, racistas e de caráter homofóbico.

No Estado, o PRB também apoia um tucano, Eduardo Leite. Em agosto, diante do anúncio da aliança com Alckmin e Leite, Guerra declarou:

– Quem escolheu foi o partido, eu não escolhi.

Guerra foi eleito vereador pelo PSDB em 2008 e 2012. Há cinco anos completados ontem, foi expulso do partido por sua postura oposicionista ao governo municipal e por manifestações de que não pertencia ao PSDB caxiense. 

Fica faltando agora Daniel Guerra abrir o voto para governador, deputado federal e senadores.

Fabris vota em Meirelles

O vice-prefeito Ricardo Fabris de Abreu (Avante) também abriu o voto para a Presidência. Será para Henrique Meirelles (MDB), no primeiro turno, e Geraldo Alckmin (PSDB), no segundo.

Fabris não está confiante que seu candidato chegue no segundo turno. 

– Meirelles e Alckmin são as minhas preferências. Se ele (Meirelles) não for para o segundo e o Alckmin for, votarei no Alckmin – disse o vice-prefeito.

Leia mais:
Palestra na Câmara de Vereadores de Caxias debaterá a segurança na urna eletrônica
Líderes caxienses repercutem o atentado sofrido pelo candidato ao Planalto Jair Bolsonaro

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros