Formar comunidades engajadas contra a violência é dever do futuro governo do Estado - Notícias de Eleições - Política: deputados, prefeitos e mais - Pioneiro
 

Eleições 201812/09/2018 | 08h30Atualizada em 12/09/2018 | 08h30

Formar comunidades engajadas contra a violência é dever do futuro governo do Estado

Em Caxias do Sul, moradores investem em câmeras e rede de informações

Formar comunidades engajadas contra a violência é dever do futuro governo do Estado Diogo Sallaberry/Agencia RBS
Elton Gausamnn, do Cinquentenário, diz que ocorrências reduziram com a participação da comunidade e apoio do poder público Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

Uma maior participação das comunidades na segurança pública dependerá do interesse e estímulo do próximo governo gaúcho. Como parâmetro, autoridades locais citam o trabalho realizado por 800 moradores do bairro Cinquentenário, em Caxias do Sul, que se esforçam para preencher as brechas deixadas pelo poder público. 

Leia mais
Nova face da criminalidade exigirá investimento em tecnologia, mais policiais e inteligência na Serra  
Projetos de penas alternativas são fundamentais para aliviar lotação em presídios
Mais 260 PMs e 50 policiais civis seriam suficientes para amenizar o baixo efetivo na Serra
Por que o monitoramento inteligente de Bento Gonçalves precisa ser expandido 

O projeto Cinquentenário em Alerta, criado em 2015, consiste na troca de informações entre vizinhos, no monitoramento eletrônico e na organização de lideranças para evitar crimes. A mobilização começou após uma sequência de assaltos a residência com reféns. Numa pesquisa, os voluntários identificaram que 60% dos moradores entrevistados já haviam sofrido algum tipo de delito. A vizinhança percebeu, então, que união, a informação e a prevenção eram as principais armas contra a insegurança.

O bairro foi dividido em 11 setores, cada um responsável pela gestão das informações. O trabalho consiste em alertas emitidos por meio de WhatsApp. Se um suspeito está rondando a rua, a informação de um "olheiro" é colocada no grupo. Caso necessário, a Brigada Militar e uma empresa de segurança são acionados para abordagens.

 Leia mais
Saiba por que a metodologia da Escola São Rafael, de Flores da Cunha, deveria ser regra na Serra
Fim da "ambulancioterapia" na Serra precisa ser prioridade da próxima gestão do Estado  

Quem possui câmeras de monitoramento e faz parte do projeto, cede as imagens para o controle de uma empresa de segurança. É um minicercamento eletrônico. Os coordenadores do Cinquentenário em Alerta podem ver as imagens de um celular. Moradias também já contam cerca eletrônica: se alguém estacionar na frente da moradia, por exemplo, um alarme dispara na tela da empresa de vigilância. A outra ponta do processo compete ao Estado, com a participação de soldados do Policiamento Comunitário da BM. Os brigadianos se comprometem a fazer rondas, barreiras e outras atividades.

A mobilização é gerida por um comitê sob a coordenação do consultor empresarial Elton Gausmann. O principal objetivo é ter 100 câmeras ativas no bairro, incluindo equipamentos públicos, nas principais ruas.

— Estamos fazendo esse projeto com a empresa de segurança para disponibilizar as imagens a todos os moradores. Daqui a pouco, poderíamos disponibilizar para os órgãos de segurança. Nosso pleito atual é colocar placas na entrada do bairro para mostrar que estamos monitorando as nossas casas — diz Gausmann.

O trabalho, que ampliou a sensação de segurança e o número de assaltos, tem chamado a atenção de outras comunidades de Caxias, que já receberam informações do modelo. Assim como o Cinquentenário, o Colina Sorriso é outro bairro que consolida a segurança cidadã. São mil moradores integrados em quatro grupos para troca de informações e seis câmeras nas entradas e saídas da comunidade. 

— É um somatório: comunidade unida, câmeras e policiamento comunitário. O próximo governo vai ter que manter e ampliar o Policiamento Comunitário e nos ajudar a manter esse trabalho — diz o presidente da Associação de Moradores do Colina Sorriso, Élvio Gianni. 

Foto: Arte / Agência RBS


QUER SABER MAIS SOBRE AS DEMANDA DA SERRA?

:: Confira aqui as sugestões para a alavancar a educação estadual

:: Confira aqui as sugestões para alavancar a saúde pública na Serra


 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros