Mirante: ausência de Sartori em painel em Farroupilha nesta quinta chama atenção - Notícias de Eleições - Política: deputados, prefeitos e mais - Pioneiro
 

Eleições 201830/08/2018 | 07h00Atualizada em 11/09/2018 | 13h39

Mirante: ausência de Sartori em painel em Farroupilha nesta quinta chama atenção

Além dele, Miguel Rossetto (PT) e Mateus Bandeira (Novo) têm outras agendas

Mirante: ausência de Sartori em painel em Farroupilha nesta quinta chama atenção Luiz Chaves / Divulgação/Divulgação
Na quarta-feira, governador foi à Expointer e nesta quinta vai a Santa Cruz, Santa Maria e Cruz Alta Foto: Luiz Chaves / Divulgação / Divulgação

CORREÇÃO: Diferentemente do que foi publicado nesta coluna, o candidato Mateus Bandeira (Novo) não participará do painel. O texto já foi corrigido. A informação errada permaneceu publicada das 7h às 14h20min desta quinta-feira.

A presença dos candidatos a governador do Estado no painel promovido pelo Parlamento Regional, nesta quinta-feira, em Farroupilha, proporciona uma oportunidade importante para arrancar posicionamentos para o RS e, em especial, para a Serra. Lamentável que o governador e candidato à reeleição José Ivo Sartori (MDB) não compareça justamente em um evento desse porte na região de seu berço político. 

Leia mais
Tá na Web: "Tem gente brincando que poderíamos ter 5 Marinas fazendo campanha"
Mirante: MDB nacional e gaúcho juntos e misturados

A assessoria informa que ele estará em Santa Cruz, Santa Maria e Cruz Alta. Miguel Rossetto (PT) e Mateus Bandeira (Novo) também não participarão.

O Painel dos Candidatos se inicia às 19h e reunirá representantes de 19 Câmaras de Vereadores de municípios da região, na UCS, em Farroupilha. A ideia da realização foi levada ao Parlamento Regional pelo presidente da Câmara de Vereadores de Caxias do sul, Alberto Meneguzzi (PSB).

Os confirmados – Eduardo Leite (PSDB), Jairo Jorge (PDT), Júlio Flores (PSTU) e Roberto Robaina (PSOL) – demonstram estar dispostos a ouvir as reivindicações da região. 

No caso específico de Sartori, a impressão é de que teme ser pressionado por não ter correspondido às demandas de sua região nestes quatro anos de governo. Naturalmente, ele ficaria numa situação constrangedora. 

O caminho preferido é evitar o desgaste e não ficar mal em terras em que sempre teve apoio. Como aqui ele é bem conhecido, Sartori optou a ir em busca de votos numa região que não é seu reduto.

Leia também
Dê sua opinião e ajude a mudar o RS: "Do que a Serra precisa?"
O modelo de escola de Flores da Cunha que deveria ser regra
Diminuir diferenças entre escolas é dever do próximo governo

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros