"Eu não vivo dessas contradições", diz Sartori ao subir no palanque com Meirelles, em Caxias - Notícias de Eleições - Política: deputados, prefeitos e mais - Pioneiro
 

Eleições 201824/08/2018 | 22h48Atualizada em 24/08/2018 | 22h49

"Eu não vivo dessas contradições", diz Sartori ao subir no palanque com Meirelles, em Caxias

Postulantes ao Piratini e à Presidência participaram de lançamento das candidaturas majoritárias na noite desta sexta-feira

"Eu não vivo dessas contradições", diz Sartori ao subir no palanque com Meirelles, em Caxias Juliana Bevilaqua/Agência RBS
Foto: Juliana Bevilaqua / Agência RBS

O candidato à reeleição ao Piratini, José Ivo Sartori (MDB), recebeu os candidatos a presidente e vice, Henrique Meirelles e Germano Rigotto, também do MDB, no salão paroquial da igreja de Santa Catarina, na noite desta sexta-feira. O evento reuniu lideranças regionais para o lançamento das candidaturas majoritárias.

Ao final dos discursos, Sartori que na eleição de 2014 apoiou a candidata Marina Silva, então no PSB, respondeu sobre estar no palanque com Meirelles. O MDB caxiense e gaúcho eram críticos das lideranças nacionais do partido. Agora estão alinhados com Meirelles, candidato do presidente Michel Temer e da cúpula nacional.

Sartori ficou visivilmente irritado:

- Eu não vivo dessas contradições e nem dessas especulações. Cada situação é uma situação. Pela primeira vez o MDB está apresentando um candidato e um técnico muito reconhecido. Pode não ter a abrangência política, mas está acompanhado pelo Germano Rigotto, que sempre trabalhou para que o MDB tivesse um candidato à presidência. Ambos são ficha limpa.

Sartori ressaltou que a maioria dos partidos que formaram a coligação na eleição passada estão apoiando sua reeleição. Para recuperar as contas do Estado, Sartori aposta na assinatura do regime de recuperação fiscal para manter R$ 11,3 bilhões pelos próximos três anos para investimentos no Rio Grande do Sul.

Aeroporto de Vila Oliva

Questionado se irá pagar as indenizações para a desapropriação dos terrenos para a construção do Aeroporto de Vila Oliva, Sartori admitiu que sua administração não cumprirá o compromisso assinado pelo ex-governador Tarso Genro (PT). A desapropriação é estimada em R$ 20 milhões.

- O Estado não tem condições (financeiras). Hoje temos que cuidar de um centavo. Sou o único governador que não pôde fazer nenhum empréstimo. 

Sartori disse que o governo entregou a outorga do Aeroporto de Vila Oliva à prefeitura de Caxias do Sul, medida que autoriza o Executivo municipal a realizar licitação.

- Adotamos uma simples atitude. Entregamos o direito de outorga ao município que pode fazer a licitação que desejar, com empreendedores locais, nacionais e organizações internacionais. É o caminho mais seguro.


 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros