Acusado de matar a companheira grávida e a avó dela é julgado em Caxias do Sul - Polícia - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Justiça20/10/2020 | 14h19Atualizada em 20/10/2020 | 14h19

Acusado de matar a companheira grávida e a avó dela é julgado em Caxias do Sul

Júri acontece um ano e seis meses após o duplo feminicídio

Acusado de matar a companheira grávida e a avó dela é julgado em Caxias do Sul Raquel Fronza/agencia RBS
Homem teria atirado a esmo dentro da residência do casal no bairro Mariani Foto: Raquel Fronza / agencia RBS

Acusado de matar a companheira grávida e a avó dela, Rafael Souza dos Santos, 26 anos, será julgado pelo Tribunal do Júri de Caxias do Sul nesta quarta-feira (21). Ele está recolhido no sistema penitenciário desde o dia 30 de março do ano passado, quando foi preso em flagrante e confessou o ataque.

Leia mais
Preso por matar companheira em Caxias confessou ter agido por ciúme, diz delegada
Idosa baleada pelo companheiro da neta morre em Caxias após mais de um mês na UTI

O crime aconteceu durante a madrugada na residência do casal, na Rua Rachel Rousseau, no bairro Mariani. Tailine Correa, 22 anos, foi morta a tiros e golpes de faca. Ela estava grávida de seis meses. A avó Ana da Silva Correa, 81, e a filha da vítima, de quatro anos na época, também foram baleadas. A idosa morreu após 30 dias internada em um hospital. A criança, que não é filha do réu, sobreviveu.

Ana estava em Caxias do Sul há apenas alguns dias, pois tinha decidido morar com a neta e a bisneta.

Na ocasião da prisão, a Polícia Civil relatou que Santos estava alterado e com falas desconexas. A cena do crime indicava que o homem atirou a esmo pela casa, com marcas de tiros em diversos pontos.

Santos foi indiciado por duplo feminicídio, uma tentativa de homicídio (contra a criança) e porte ilegal de arma. O revólver utilizado no ataque tinha numeração raspada. Os policiais também encontraram porções de cocaína na moradia.

Por se tratar de um caso de violência doméstica, o processo tramitou em segredo de justiça. O júri está marcado para às 9h e não será aberto ao público em razão das medidas de prevenção contra a covid-19. Familiares das vítimas prometem se reunir em frente ao Fórum de Caxias do Sul para exigir justiça.

Leia também
Duas mulheres são presas por assassinato de idoso em Ibiraiaras
Polícia Civil prende cinco em ação para evitar disputa de facções em Caxias

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros