Mais 15 detentos testam positivo para covid-19 na maior cadeia de Caxias do Sul - Polícia - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Surto no Apanhador04/08/2020 | 15h07Atualizada em 04/08/2020 | 16h13

Mais 15 detentos testam positivo para covid-19 na maior cadeia de Caxias do Sul

Nesta primeira rodada, foram 100 testes rápidos em apenados da Galeria A da Penitenciária Estadual

Mais 15 detentos testam positivo para covid-19 na maior cadeia de Caxias do Sul Antonio Valiente/Agencia RBS
Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

A primeira rodada de testes rápidos apontou que mais 15 detentos da Penitenciária Estadual de Caxias do Sul estão infectados com a covid-19. Segundo o relatório entregue à Vara de Execuções Criminais (VEC), todos os apenados estão assintomáticos e foram isolados após os resultados. No total, 100 exames foram aplicados nesta segunda-feira (3). Outros 200 testes estão previstos para a quarta-feira (5), alcançando todos os apenados recolhidos na Galeria A. A casa prisional, que fica na localidade do Apanhador, na RS-453, limite com São Francisco de Paula, é a maior da Serra, com cerca de 1,1 mil detentos.

Leia mais
Presídio do Apanhador, em Caxias do Sul, tem surto de coronavírus
Susepe confirma que dois servidores penitenciários contraíram coronavírus em Caxias 

Os testes foram fornecidos pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) após dois apenados terem sido diagnosticados com coronavírus na semana passada. Um dos presos já teve alta médica e retornou para a galeria A. O outro, que estava em um hospital, teve melhora no estado de saúde e retornou para a cela da Unidade Básica de Saúde (UBS) que existe dentro da cadeia. No total, a penitenciária tem 17 presos contaminados.

Um terceiro detento que apresentava sintomas respiratórios e estava isolado por precaução teve resultado negativo no teste para covid-19. Este é o primeiro surto de coronavírus em cadeias da Serra.

Na quinta-feira passada (30), a juíza Joseline Mirele Pinson de Vargas determinou a suspensão da movimentação dos presos por 14 dias. Desta forma, não são realizadas videoconferências, visitas ou contato com os advogados, exceto para situações emergenciais ou de assinatura de instrumentos de mandados. A medida cautelar antes mesmo dos testes segue o modelo que já foi adotado em outras casas prisionais diante de surtos.

O Ministério Público (MP) também acompanha a situação da casa prisional. A promotora Alessandra Moura Bastian da Cunha acredita que não houve uma mudança de panorama para justificar "solturas indevidas".

— Chamo de solturas indevidas porque os apenados que estão no Apanhador estão em regime fechado e cumprem pena, em enorme maioria, por delitos graves. Não existe justificativa para a soltura desses apenados uma vez que todo o atendimento em relação à situação de eventual diagnóstico de covid-19 está sendo proporcionada, por vezes até de forma mais célere do que se estivessem em liberdade, pois sabemos que nesta situação de pandemia há uma sobrecarga do sistema de saúde — manifestou na semana passada.

Procurada pela reportagem, a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) afirma que os dados sobre coronavírus em casas prisionais gaúchas são divulgados em um boletim diário e que não irá se manifestar sobre o surto na Penitenciária do Apanhador.

Leia também
Especialista de Caxias explica como funciona processo judicial para obter a cidadania italiana
Moradora mais velha de Nova Roma do Sul, que contraiu covid-19 aos 99 anos, está recuperada

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros