Polícia de Garibaldi divulga imagens de estelionatários que aplicavam golpes no município - Polícia - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Crime25/07/2020 | 12h52Atualizada em 25/07/2020 | 13h01

Polícia de Garibaldi divulga imagens de estelionatários que aplicavam golpes no município

Intenção é encontrar outras vítimas dos golpistas para que registrem ocorrência

Polícia de Garibaldi divulga imagens de estelionatários que aplicavam golpes no município Polícia Ciivil/Divulgação
Foto: Polícia Ciivil / Divulgação

 A Polícia Civil de Garibaldi divulgou a identificação de dois jovens presos na cidade por crime de estelionato durante esta semana. A divulgação dos documentos com fotos de Victor Hugo Miranda Souza, 22 anos, e de Fábio Israel Borges Fonseca, 22, pretende estimular outras vítimas da Serra para que procurem a delegacia e registrem ocorrência, caso reconheçam a dupla como autores do crime. Eles são naturais de São Paulo e estão envolvidos em diversos golpes praticados no município. Atentos ao aumento no número de casos a Polícia Civil e a Brigada Militar uniram esforços para identificar os estelionatários. Pelo menos dois deles foram presos com diferença de menos de 24h entre cada prisão. Em Bento Gonçalves, Carlos Barbosa e Caxias do Sul também foram registrados golpes deste tipo. A polícia investiga se é o mesmo grupo criminoso que tem agido na Serra. 

De acordo com a polícia, diversos moradores foram enganados pelos golpistas. O golpe é conhecido no meio policial e na imprensa: do funcionário do banco que liga para alertar que o cartão da vítima foi clonado e que compras foram feitas em nome do titular da conta. Os alvos geralmente são pessoas mais velhas e que estão sozinhas em casa.

Segundo a polícia, tudo começava quando um dos criminosos contava por telefone idosos, que possuem contas correntes em agências bancárias, e os comunicam que o cartão deles foi clonado, e que golpistas teriam feito compras com o nome das vítimas. Em seguida, ele convencia a vítima a cortar o cartão, explicando como fazer e que era preciso colocar em um envelope lacrado, e neste mesmo papel também colocar a senha pessoal do titular da conta. A orientação seguinte era para que entregassem o envelope lacrado a um pessoa que seria funcionária do banco e que se identificaria com uma senha e CPF quando fosse recebida pela vítima. Com os cartões em mãos os criminosos sacavam valores expressivos das vítimas, contratavam empréstimos em nome dos idosos, pagavam conta e faziam compras com os cartões.

ALERTA

A Polícia Civil reforça o alerta para que a comunidade não passe informações pessoais, e senhas, por telefone. Para confirmar se o cartão foi clonado o titular deve ligar para a agência bancária onde tem conta.

AS PRISÕES

Ainda na noite da última segunda-feira (20), a Brigada Militar prendeu Victor Hugo Miranda Souza no interior de agência bancária de Garibaldi. Ele estava com uma quantia alta em dinheiro, e cartões de vítimas de golpes de estelionato. O jovem foi autuado em flagrante. A polícia foi até a casa das vítimas para que prestassem depoimento, e segundo os policiais, a maioria tem idade avançada e problemas de saúde.  A prisão preventiva do autuado foi decretada, e a polícia seguiu na ocorrência até a madrugada da terça-feira (21).

À tarde, na terça, a BM foi acionada para ir até o bairro Santa Terezinha, onde um outro golpista, Fábio Israel Borges Fonseca, que estava com cartões de uma outra vítima havia sido imobilizado por uma familiar. Com ele a polícia apreendeu-se uma passagem aérea, que mostrava que ele havia saído de São Paulo às 6h daquele dia, com destino a Porto Alegre. De acordo com a polícia, da capital ele foi levado por outra pessoa ainda não identificada até Garibaldi. Ele foi autuado em flagrante por prática de crime de estelionato, na forma tentada, e teve a prisão preventiva decretada. A prisão dos dois, no entanto, não parou ações do grupo criminoso, uma vez que depois de serem presos ainda foram registradas ocorrências de vítimas do mesmo golpe. 

Leia também
Alunos de escola agrícola de Caxias poderão utilizar centro de pesquisa
Casa da família Rigotto, em Caxias do Sul, tem perda total após incêndio
Região de Caxias é uma das seis do Estado com alta taxa de ocupação de UTIs




 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros