Assassino confesso de avó e neta em São Marcos é espancado em cadeia de Caxias do Sul - Polícia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Polícia02/07/2020 | 11h09Atualizada em 02/07/2020 | 11h09

Assassino confesso de avó e neta em São Marcos é espancado em cadeia de Caxias do Sul

Sete detentos são suspeitos das agressões. Leandro Daniel Hoffmann será transferido para outro presídio, segundo a Susepe

Assassino confesso de avó e neta em São Marcos é espancado em cadeia de Caxias do Sul Polícia Civil / Divulgação/Divulgação
Leandro Daniel Hoffmann confessou, em depoimento à Polícia Civil, o assassinato de avó e neta Foto: Polícia Civil / Divulgação / Divulgação

Dois dias após ser capturado pela Polícia Civil, Leandro Daniel Hoffmann, 31 anos, foi espancado por outros detentos na Penitenciária Estadual de Caxias do Sul. O detento é o assassino confesso de Irene da Fonseca, 67 anos, e da neta dela Kauana Santos, 16, no interior de São Marcos. A Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) informa que Hoffmann teve escoriações leves, recebeu atendimento médico e está em isolamento aguardando por transferência para outra casa prisional da região.

Leia mais
Homem confessa assassinato de avó e neta e alega desavença com o pai da adolescente em São Marcos
Corpo de adolescente que estava desaparecida é encontrado em riacho de São Marcos
Buscas terminam e adolescente segue desaparecida após homicídio e incêndio em São Marcos

As agressões aconteceram por volta das 2h desta quinta-feira (2) e sete detentos são suspeitos. Eles devem responder a Procedimento Administrativo Disciplinar (PAD). Hoffmann estava em um setor destinado apenas a detentos que cumprem prisão temporária. Um vídeo do espancamento circula em redes sociais. A Susepe afirma ter apreendido este celular.

Hoffmann foi preso em Vila Oliva, no interior de Caxias do Sul, no final da tarde de terça-feira (30), cerca de 96 horas após a sequência de crimes em uma chácara de São Marcos. Ele era vizinho das vítimas e confessou ter invadido a casa, atirado em Irene e Kauana, enterrado o corpo da adolescente em um riacho e voltado para incendiar a casa da família, com o corpo da idosa dentro.

No depoimento, Hoffman alegou que havia bebido naquela tarde, expulsado a esposa de casa, um galinheiro improvisado na mesma chácara, e foi até o vizinho para "tirar satisfações". 

— Ele disse que ingeriu bastante bebida alcoólica. A versão dele é que já havia um atrito com o vizinho (pai de Kauana), algo sobre ter “olhado torto". Por isso, foi tirar satisfações. Mas nunca houve uma desavença entre eles. Tanto que o pai não relatou nada no seu depoimento — apontou o delegado Edinei  Márcio Albarello, em entrevista coletiva na manhã quarta-feira (1). 

O assassino confesso será indiciado por duplo homicídio qualificado, ocultação de cadáver e incêndio criminoso. A Polícia Civil também aguarda perícias para determinar se o investigado estuprou a adolescente. Hoffmann nega qualquer crime sexual. 

Suspeito era procurado no Paraná desde 2015

Natural de São Leopoldo (RS), Hoffmann já possuía um mandado de prisão preventiva expedido pela comarca de Capanema, município paranaense de 18 mil habitantes. O suspeito era procurado desde 6 de julho de 2015 pelos assassinatos dos irmãos Marcos Floriano e Marcelo Floriano. O duplo homicídio aconteceu no interior de Capanema, no dia 19 de junho de 2015. 

Na época, a investigação paranaense apreendeu uma espingarda de pressão adaptada calibre .22 — semelhante a utilizada no crime em São Marcos — na casa do tio de Hoffmann, que lhe dava abrigo em Capanema. O homem confirmou, em depoimento ao delegado da cidade paranaense, que o sobrinho havia deixado o município logo após o cometimento dos crimes.

Leia também
Quinta amanhece gelada na Serra, mas expectativa de neve não se confirma
O futuro da economia: como serão as novas formas de trabalhar após a pandemia
Estragos no bairro São Francisco, em Vacaria, resumem a passagem do ciclone pela região


 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros