VÍDEO: confira o momento do assassinato no estacionamento da Codeca, em Caxias do Sul - Polícia - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Execução22/06/2020 | 16h58Atualizada em 23/06/2020 | 08h36

VÍDEO: confira o momento do assassinato no estacionamento da Codeca, em Caxias do Sul

Funcionário foi baleado no estacionamento da empresa, quando chegava para trabalhar

VÍDEO: confira o momento do assassinato no estacionamento da Codeca, em Caxias do Sul Câmera de segurança / Divulgação/Divulgação
Confira o momento do assassinato no estacionamento da Codeca, em Caxias do Sul Foto: Câmera de segurança / Divulgação / Divulgação
Pioneiro
Pioneiro

Um HB20 roubado em Tramandaí foi utilizado para matar Samuel Santos, 31 anos. O funcionário da Companhia de Desenvolvimento de Caxias do Sul (Codeca) foi alvejado no estacionamento da empresa na manhã desta segunda-feira (22). A execução foi flagrada por câmeras de monitoramento (vídeo abaixo) e a Polícia Civil busca identificar o assassino que está vestido com um uniforme da Codeca.

Leia mais
Homem é morto no estacionamento da Codeca em Caxias do Sul
Em junho, Caxias do Sul registra uma morte por violência a cada 40 horas 

As imagens mostram o Peugeot 206, em que estava Santos, entrando e estacionando às 6h11min. Quatro segundos depois, um carro de cor escura se aproxima e para logo atrás do automóvel de Santos. É possível ver o carona desembarcar. O homem está com um uniforme da Codeca, dá a volta no veículo e segue em direção ao carro da vítima. Não é possível ver o encontro entre o assassino e Santos, nem o momento dos tiros.

Quando Santos é atingido, ele está no lado do carona do Peugeot 206. O assassino retorna e embarca novamente no carro escuro. O automóvel arranca e os suspeitos fogem.

De acordo com a Polícia Civil, o automóvel utilizado no crime é um HB20 que foi encontrado carbonizado em São Virgílio pouco antes das 7h. O veículo havia sido roubado no dia 12 de junho em Tramandaí, no Litoral Norte.

— Estamos trabalhando. Não é possível dizer muita coisa (pelas imagens), mas de qualquer forma buscaríamos outros elementos para dar resultado. (O uniforme) foi uma estratégia para facilitar a empreitada criminosa, reduzir o risco e pegar a vítima desapercebida — afirma o delegado Adriano Linhares.

A Codeca confirma que aquele era o horário que Santos chegava para trabalhar. Ele era funcionário do setor de capina e estava em prisão domiciliar. Ele trabalhava há cerca de dois anos na empresa, sem qualquer registro de contratempo ou indisciplina.

A Delegacia de Homicídios aguarda o laudo do Instituto Geral de Perícias para determinar quantidade de tiros e o calibre da arma utilizada no crime. Com este caso, Caxias do Sul contabiliza 55  assassinatos neste ano.

Leia também
Suspeito de ser matador do crime organizado é capturado em Veranópolis
Apenado com tornozeleira é preso por realizar telentrega de drogas em Bento Gonçalves
Procura por auxílio jurídico gratuito dobra durante a pandemia na Serra

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros