Jovem de Nova Bassano é alvo de operação federal contra hackers - Polícia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Operação Capture the Flag26/06/2020 | 10h34Atualizada em 26/06/2020 | 10h34

Jovem de Nova Bassano é alvo de operação federal contra hackers

Grupo invadiria sistemas de órgãos públicos para expor dados de servidores e autoridades, inclusive do presidente Jair Bolsonaro

Jovem de Nova Bassano é alvo de operação federal contra hackers Polícia Federal / Divulgação/Divulgação
Jovem de Nova Bassano é alvo de operação federal contra hackers Foto: Polícia Federal / Divulgação / Divulgação

Um rapaz de 19 anos, morador de Nova Bassano, foi um dos alvos de uma ação deflagrada pela Polícia Federal (PF) na manhã desta sexta-feira (26). A Operação Capture the Flag mira uma organização criminosa hacker especializada na invasão de sistemas informatizados de órgãos públicos para fins de exposição indevida de dados privados de servidores e autoridades. Um dos alvos seria o presidente Jair Bolsonaro. Além da Serra, também foram cumpridos mandados em Porto Alegre e Fortaleza (CE). 

Cerca de 20 agentes cumprem três mandados de busca e a apreensão. A PF não divulga a identidade dos investigados. O alvo em Nova Bassano não foi preso.  Em Porto Alegre, a busca aconteceu na casa de um adolescente de 17 anos.

O alvo da Operação Capture the Flag é um grupo de hackers que se intitula "Digital Sp4c3". A PF já contabilizou pelo menos 200 mil vítimas do grupo em todo o país, entre pessoas e instituições. No Estado, são 90 entidades vítimas — incluindo 45 prefeituras e 31 câmaras de vereadores, sendo a maioria pequenos municípios no norte e noroeste gaúcho. Os crimes ocorreram também no Rio de Janeiro e em Goiás.

Os alvos da operação estão tendo computadores, celulares, diversas mídias e documentos apreendidos. Há indícios, ainda, da prática de outros crimes cibernéticos por parte dos hackers, como compras fraudulentas pela internet e fraudes bancárias. Também são apurados os crimes de invasão de dispositivo informático, corrupção de menores, estelionato e organização criminosa.

O nome da operação se dá em razão de uma competição na área de pentest (testes de invasão). Os participantes precisam encontrar vulnerabilidades em sistemas e redes de comunicação,  que são as "bandeiras" que eles precisam capturar.

Leia também
Temperaturas despencam e amanhecer é gelado na Serra
Drive-thru recolhe doações para Campanha do Agasalho de Bento Gonçalves neste sábado
Secretaria da Cultura de Caxias terá programação alusiva ao Dia do Orgulho LGBT

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros