Registros de ocorrências diminuem 70% em Caxias do Sul - Polícia - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Isolamento social08/04/2020 | 17h30Atualizada em 08/04/2020 | 17h30

Registros de ocorrências diminuem 70% em Caxias do Sul

Redução acontece na delegacia de plantão, que atende apenas casos graves

Registros de ocorrências diminuem 70% em Caxias do Sul Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

O número de ocorrências registradas na Polícia Civil de Caxias do Sul reduziu em 70% neste período de isolamento social, adotado como forma de controle da pandemia de coronavírus. No início de março, a média era de 80 registros por dia na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA). Na última semana do mês, a média caiu para 24 boletins de ocorrência por dia. A redução é explicada pela menor circulação de pessoas nas ruas e também pela orientação de que a comunidade utilize a delegacia online para relatar ocorrências de menor violência, como furtos, ameaças e perdas de documento.

Leia mais
Polícia amplia possibilidade de registros pela internet para evitar aglomeração
Para evitar aglomeração, Polícia Civil pede que comunidade utilize a delegacia online

Para evitar aglomerações nas delegacias, no dia 20 de março, a Polícia Civil ampliou as ocorrências que podem ser registradas pela internet. A orientação é que só sejam registrados presencialmente crimes que demandam uma intervenção policial imediata, como homicídio, estupro e violência doméstica.

— A equipe (da DPPA) atua com uma certa discricionariedade, mas em casos não urgentes as pessoas são orientadas a fazer o registro pela delegacia online. Até atendimentos de casos lesão corporal estão restritos pois, em razão da pandemia, exames de corpo delito também estão limitados. Por isso, estamos aceitando fotos e laudos de hospital — explica o delegado Vítor Carnaúba.

Apesar dos registros online, o chefe da DPPA afirma que é perceptível a redução dos crimes em razão do menor fluxo de pessoas nas ruas — uma das principais medidas restritivas para tentar frear o avanço da covid-19. Os índices de roubos a pedestre e furtos aparentam estão em quedas, mas as estatísticas ainda não foram contabilizadas. Já os roubos a comércios mantêm um patamar semelhante de antes da pandemia.

— São pouco mais de 15 dias, então é cedo para notar diferenças. No roubo a comércio acredito estar igual das últimas semanas, mas já temos alguns autores identificados. Com o isolamento, há menos população nas ruas, mas há comércios que continuam abertos. Aqueles usuários que para saciar o vício em drogas praticavam outros delitos, agora só encontram farmácias, mercearias e açougues abertos. Tiveram de migrar para os assaltos — analisa Carnaúba.

O momento de crise e isolamento em casa provocou a circulação de boatos em redes sociais sobre arrastões e assaltos praticados por bandidos que fingiam ser fiscais da saúde. Estes crimes seriam atribuídos a detentos que foram liberados de presídios por serem do grupo de risco da covid-19 — na Serra, 217 apenados com comprovação médica foram beneficiados com prisão domiciliar. A Polícia Civil desmente estes relatos. No final de semana, a Brigada Militar (BM) também já havia emitido um comunicado sobre estas falsas informações.

— A cidade, na visão ampla de segurança pública, está tranquila. A maioria dos índices está menor. E o número de prisões continua parecido, pois os policiais estão trabalhando normalmente. Os roubos a comércio chamaram atenção justamente por estarem em um nível semelhante ao de antes da crise.

Delegado alerta sobre novos golpes pela internet

Sobre os registros online, as DPPAs de Caxias do Sul e Bento Gonçalves relatam um crescimento considerável diante da pandemia. No entanto, a central fica em Porto Alegre e a Polícia Civil não possui um levantamento de quantas ocorrências são enviadas para cada cidade.

— Em um panorama geral, diria que o aumento gira em torno de 50%. O registro online é exatamente igual ao registro presencial, justamente com a vantagem do cidadão não precisar ir até a delegacia. O trâmite é exatamente o mesmo. Os fatos são homologados e inseridos no sistema, e depois serão despachados pelo delegado responsável (pela investigação daquele tipo de delito) na manhã seguinte — aponta o delegado Arthur Reguse, de Bento Gonçalves.

Sobre os registros presenciais e os índices de crimes, os delegados relatam uma situação semelhante a de Caxias do Sul. O que tem preocupado o delegado Álvaro Becker, da 2ª Delegacia de Polícia de Bento Gonçalves, são golpes pela internet:

— Nos assaltos não percebemos mudança, apenas a diminuição normal pela redução do movimento nas ruas. O que venho alertando sãos os estelionatos, estes golpes via internet e telefone com violência psicológica. Agora, principalmente, estamos alertando sobre o tal coronavoucher (benefício que será concedido pelo Governo Federal durante a pandemia), porque criminosos já estão criando mensagens, sites e cadastros falsos. As pessoas que precisam de informação tem de buscar o site oficial e evitar clicar em links de redes sociais. Sempre é preciso cautela para não repassar informações pessoais na internet.

OCORRÊNCIAS REGISTRADAS NA DPPA DE CAXIAS DO SUL
2 de março - 80
9 de março - 84
16 de março - 49
23 de março - 17
30 de março - 23
3 de abril - 24

Leia também
Vacinação contra a gripe recomeça em municípios da Serra Gaúcha
Corsan e Samae descartam contaminação por coronavírus e garantem qualidade da água em Farroupilha e Caxias do Sul
O que caxienses têm feito para driblar o ócio durante o isolamento social

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros