Após perícia, mulher confessa ter matado o marido em Bento Gonçalves - Polícia - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Homicídio07/04/2020 | 14h42Atualizada em 07/04/2020 | 14h46

Após perícia, mulher confessa ter matado o marido em Bento Gonçalves

Caso havia sido registrado como suicídio. Esposa alega que agiu em legítima defesa, pois era vítima de violência doméstica

Pioneiro
Pioneiro

Em interrogatório na Polícia Civil de Bento Gonçalves, a esposa de Sérgio Szczepanik, 51 anos, confessou ter esfaqueado o marido e alegou legítima defesa. Segundo o depoimento, o homem possuía histórico de violência doméstica e, no dia 1º de abril, a atacou com uma enxada. Inicialmente, o caso foi relatado como um suicídio. No entanto, peritos apontaram que o ferimento não era compatível com a versão. A investigada não teve a identidade divulgada pela Polícia Civil.

O caso aconteceu na residência do casal, na Rua Arcindo Garbin, no bairro Fátima, na quarta-feira passada. Quando a Brigada Militar (BM) foi acionada, Szczepanik foi encontrado caído e com um ferimento no peito. A mulher estava em estado de choque e precisou ser atendida na Unidade de Pronto Atendimento (UPA). A versão inicial foi de suicídio.

— O próprio médico legista, ao fazer a necropsia, alertou sobre a possibilidade de não ser um suicídio. Com isso, pedimos para conversar com a mulher e, ontem (segunda-feira), ela confessou a autoria da facada. A versão dela é que o homem tinha uma enxada nas mãos para agredi-la e, por isso, ela deu este único golpe de faca para cessar a agressão — relata o delegado Álvaro Becker.

A Polícia Civil confirma que Szczepanik possuía diversas ocorrências de violência doméstica e já havia sido preso. No entanto, a esposa nunca solicitou medidas protetivas contra o marido.

— A mulher fazia o registro (das agressões), mas não dava prosseguimento — explica o delegado Becker.

A 2ª DP investiga o caso como um homicídio simples. A análise sobre a tese de legítima defesa caberá ao Poder Judiciário. Como a mulher possui endereço fixo, não tinha antecedentes e existe um histórico de violência doméstica, o delegado Becker entende que não é necessária uma prisão cautelar.

Este é o oitavo assassinato registrado em Bento Gonçalves em 2020.

Leia também
Custeio de testes de coronavírus na UCS dependerá de parcerias
Projeto que reduz salários de prefeito, vice e secretários será arquivado em Vacaria
Trabalhadores autônomos podem se cadastrar a partir desta terça-feira para receber benefício

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros