Homem que sequestrou empresário da Serra é preso durante culto religioso - Polícia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Encontrado13/03/2020 | 10h48Atualizada em 14/03/2020 | 08h16

Homem que sequestrou empresário da Serra é preso durante culto religioso

Policiais entraram em cerimônia como fiéis para deter o foragido, localizado em Gravataí

Homem que sequestrou empresário da Serra é preso durante culto religioso Divulgação/Polícia Civil
Casa em Gravataí que serviu de cativeiro para empresário Foto: Divulgação / Polícia Civil

Um jovem de 24 anos, apontado pela polícia como o líder de um grupo que sequestrou um empresário da Serra em dezembro do ano passado, foi localizado e preso na noite desta quinta-feira (12) em um culto religioso em Gravataí, na Região Metropolitana de Porto Alegre. O crime aconteceu em 12 de dezembro, quando um empresário de 58 anos foi sequestrado em Gravataí e ficou mantido em cativeiro por cerca de oito horas. O nome do empresário não é divulgado e nem a cidade da Serra Gaúcha onde reside.

Por volta das 22h desta quinta-feira (12), a Polícia Civil localizou o procurado, que não teve a identificação divulgada, em uma casa do bairro Padre Réus, onde ocorria o culto. Policiais entraram na cerimônia de forma discreta como participantes do encontro religioso até reconhecerem o criminoso e darem voz de prisão.

— Soubemos que ele frequentava um evento religioso todas as quintas à noite e, então, passamos a vigiar o local. Os policiais entraram como frequentadores do culto e fizeram a prisão discretamente para não causar temor aos demais — diz o titular da 1ª Delegacia de Polícia de Gravataí, Marcio Zachello.

A ação foi necessária porque a casa do jovem era desconhecida pela polícia. Desde que houve o sequestro, ele saiu do local onde residia. Ainda quando o sequestro ocorreu, em dezembro do ano passado, dois homens foram presos em flagrante, mas outros dois haviam fugido. Um deles é o jovem apontado como líder do sequestro preso nesta quinta; o outro envolvido segue foragido.

Segundo a Polícia Civil, a vítima  havia marcado um encontro com uma mulher de 20 anos por rede social. Conforme Zachello, a mulher não foi identificada e a suspeita é de que o perfil era falso. Os criminosos o renderam em um posto de combustíveis da RS-020 e o colocaram dentro do porta-malas do próprio carro. Em dois veículos, foram até uma casa, também em Gravataí, onde o homem foi preso em um quarto. A polícia chegou a estimar prejuízo de R$ 8 mil pelo uso de cartões de crédito dele, mas neste sábado (14) confirmou que o valor chegou a R$ 32 mil.

Leia também
Investigação não aponta legítima defesa no caso de mulher que matou ex-marido em Nova Prata
Mulher morta em acidente na RS-446 iria comemorar 50 anos de vida religiosa em Garibaldi

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros