Nordeste Gaúcho contabilizou 199 homicídios em 2019 - Polícia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Balanço 24/01/2020 | 18h24Atualizada em 24/01/2020 | 18h24

Nordeste Gaúcho contabilizou 199 homicídios em 2019

Estatísticas dos 65 municípios mostram queda de 12,7% nas mortes

Nordeste Gaúcho contabilizou 199 homicídios em 2019 Marcelo Casagrande  / Agência RBS/Agência RBS
Foto: Marcelo Casagrande / Agência RBS / Agência RBS
Leonardo Lopes e Leticia Mendes

leonardo.lopes@pioneiro.com

O Nordeste Gaúcho teve uma queda de 12,7% nos homicídios. Foram 199 mortes nos 65 municípios da região em 2019, contra 228 no ano anterior. Os dados foram divulgados pela Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP) e acompanham a tendência em todo o Rio Grande do Sul, que registrou a menor taxa de homicídios da década: 15,8 para cada 100 mil habitantes.

Leia mais
Queda no número de assassinatos no RS está concentrada em um terço dos municípios
Caso raro: município de Montauri não tem assassinatos há mais de 30 anos
Trégua na violência: Bento Gonçalves chega a 31 dias sem assassinatos
Bento e Caxias aparecem entre as cidades mais violentas do RS

Na região de abrangência do Pioneiro, estes 199 homicídios ficaram concentradas em apenas 23 cidades (confira o mapa abaixo). Ou seja, dois terços dos municípios (42) do Nordeste Gaúcho não tiveram nenhuma execução.

O número de homicídios diminuiu em 15 cidades da região. A maior queda aconteceu em Caxias do Sul, onde foram 28 execuções a menos. Outra redução expressiva aconteceu em São Marcos, que teve um ano atípico em 2018 com 10 homicídios, e reduziu para apenas uma morte no ano passado.

Por outro lado, os homicídios cresceram em 11 municípios do Nordeste Gaúcho. O maior aumento aconteceu em Farroupilha, que teve 19 mortes a mais. A situação também preocupa em Bom Jesus, onde os homicídios triplicaram: foram dois em 2018, e oito no ano passado.

Este mapeamento foi feito com base nos dados de homicídio divulgados pela SSP, portanto não incluem casos de latrocínio e confrontos com a polícia. Historicamente, por critérios não esclarecidos, os números apresentam algumas divergências com o apurado pela reportagem do Pioneiro na cobertura diária da região.

Foco foi nas 18 cidades mais violentas

A principal aposta do governo estadual para inibir os homicídios foi o foco na territorialidade. Para o plano RS Seguro, foram selecionados 18 municípios mais violentos para aplicar estratégias como mapeamento da criminalidade e maior integração entre polícias. Também receberam reforço de efetivo e reuniões mensais são realizadas para analisar resultados e planejar alternativas. A maior parte delas puxou o indicador de assassinatos para baixo. Juntas, essas cidades foram responsáveis por 90% da queda. O único município do Nordeste Gaúcho neste grupo é Caxias do Sul.

— Na nossa análise não houve migração dos grandes municípios para os pequenos. Se tivesse havido, essa redução não aconteceria. Os homicídios que deixaram de acontecer em Porto Alegre não migraram para outras cidades. Não há relação direta — argumenta o vice-governador e secretário da Segurança Pública do Estado, Ranolfo Vieira Júnior.

Por outro lado, o Rio Grande do Sul viu os homicídios cresceram em 136 cidades. Para evitar que esse número cresça, o governo pretende expandir a forma de atuação implementada nas 18 cidades priorizadas pelo RS Seguro.

— Ainda estamos concluindo a análise, mas nos parece que em sua maioria esses homicídios têm relação com disputas entre facções que estão chegando nesses locais — reconhece Ranolfo.


 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros