Mulher morta em Nova Petrópolis tinha medida protetiva contra o ex-marido - Polícia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Feminicídio20/01/2020 | 16h40Atualizada em 20/01/2020 | 18h38

Mulher morta em Nova Petrópolis tinha medida protetiva contra o ex-marido

Ela havia procurado a Polícia Civil em outubro, após ser agredida

Mulher morta em Nova Petrópolis tinha medida protetiva contra o ex-marido Brigada Militar / Divulgação/Divulgação
Ela havia procurado a Polícia Civil em outubro, após ser agredida Foto: Brigada Militar / Divulgação / Divulgação

A Polícia Civil acredita que o assassinato de Rosane Marlise Birk Groth, 37 anos, foi premeditado em Nova Petrópolis. O suspeito é o ex-marido, que sabia o horário que a vítima sairia de casa, e deixou seu carro, celular e documentos no local do crime. Rosane possuía uma medida protetiva contra o homem desde o dia 22 de outubro do ano passado, quando procurou a Polícia Civil e relatou uma agressão.

Leia mais
Mulher morta em Nova Petrópolis tinha medida protetiva contra o ex-marido

O homem foi intimado da medida protetiva no dia 25 de outubro e compareceu na audiência realizada, onde novamente foi advertido. Conforme a ordem judicial, o homem deveria se manter afastado 150 metros da residência do casal, da ex-esposa e do filho do casal.

O feminicídio aconteceu na manhã desta segunda-feira (20), quando Rosane saiu de casa dirigindo um Fox prata no distrito de Pinhal Alto. Segundo a Polícia Civil, o veículo foi atingido por um Fiesta vermelho, conduzido pelo ex-marido. Como a vítima se recusou a sair do carro, o homem usou uma marreta para quebrar o vidro da porta. Rosane foi esfaqueada e morreu ainda no banco do motorista.

A hipótese dos policiais é que o assassino preparou a emboscada para Rosane, mas não esperava que ela estivesse acompanhada. No Fox, também estava uma amiga de Rosane. Ao perceber a testemunha, o assassino fugiu correndo e levou apenas a faca do crime. O Fiesta, seus documentos e a marreta foram abandonados no local. Foi esta amiga, que  testemunhou o crime, que acionou a polícia.

Até as 16h desta segunda-feira, a Polícia Civil e a Brigada Militar (BM) continuavam mobilizadas na localidade de Pinhal Alto nas buscas pelo assassino. Em razão da legislação sobre abuso de autoridade, o delegado Camilo Pereira Cardoso não revela detalhes sobre o suspeito e sua relação com a vítima, mas confirma que a principal linha de investigação é feminicídio.

O processo para medida protetiva teve audiência realizada em 13 de novembro de 2019. A última movimentação aconteceu em 18 de novembro  e é aguardada uma manifestação do Ministério Público. O processo por lesões corporais leves (violência doméstica) está para conclusão do juiz desde 27 de novembro.

Último feminicídio aconteceu em 2016

O último feminicídio registrado em Nova Petrópolis aconteceu em julho de 2016, quando a frentista Viviane Bueno de Oliveira, 27 anos,  foi encontrada morta dentro de casa, no bairro Vale Verde. O laudo pericial apontou que ela teve o pescoço quebrado. O autor foi o namorado dela, Amaury Borges da Silva, preso em Santa Catarina no dia 1º de agosto daquele ano. Este feminicídio foi julgado em 11 de outubro do ano passado, quando Silva foi condenado a 17 anos de reclusão.

Leia também
Mulher é ferida com golpes de faca nas costas e na mão em Caxias
Alimentos orgânicos tiveram crescimento de 20% em Caxias do Sul
Os rumos de MDB, PDT e PSB na eleição à prefeitura de Caxias 



 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros