Escola de Caxias do Sul é invadida por ladrões três vezes em uma semana - Polícia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Dano ao patrimônio24/12/2019 | 09h27Atualizada em 24/12/2019 | 09h27

Escola de Caxias do Sul é invadida por ladrões três vezes em uma semana

Uma terceira tentativa de invasão foi frustrada pela Guarda Municipal na madrugada desta segunda-feira (23)

Escola de Caxias do Sul é invadida por ladrões três vezes em uma semana Porthus Junior/Agencia RBS
No sábado (21), criminosos arrombaram as portas do prédio que está sendo ocupado pela escola Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

A Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Arnaldo Ballvê sofreu uma tentativa de invasão na madrugada de segunda-feira (23). Ladrões chegaram a pular as grades e entrar no pátio da instituição, por volta da 1h30min, mas a Guarda Municipal que estava no local afugentou os criminosos. Um vizinho também chegou a ver a movimentação dos ladrões. Antes de fugir, eles arrancaram e levaram uma torneira e deixaram água jorrando. Esta foi a terceira invasão nas dependências do educandário em pouco mais de uma semana.

Há alguns dias, ladrões levaram um carrinho de mão e ferramentas do contêiner onde os operários da obra, que está sendo realizada no local, deixam os materiais. No sábado (21), criminosos arrombaram as portas do prédio que está sendo ocupado pela escola — enquanto o outro está sendo construído —, e furtaram duas televisões.

— Sábado de manhã, cheguei na escola e estava tudo aberto. Entraram pela construção, arrombaram portas e levaram duas televisões. Uma delas que nem tínhamos usado ainda — lamentou a diretora, Inês Friguetto.

Meses atrás, em outra ação, os bandidos danificaram uma das câmeras de monitoramento afixada nos fundos da escola e levaram um computador.

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 23/12/2019. Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Arnaldo Ballvê, no bairro Santa Lúcia, em Caxias, sofreu três invasões em pouco mais de uma semana. Em duas delas foram levados objetos da obra em andamento e da escola. (Porthus Junior/Agência RBS)
A maior preocupação é com possíveis atos de vandalismo porque o prédio abriga os dados dos alunos e documentos da escolaFoto: Porthus Junior / Agencia RBS

Por mais perdas que representem os objetos levados, a maior preocupação da professora é com possíveis atos de vandalismo porque o prédio abriga os dados dos alunos e documentos da escola. Ela diz que são muitos materiais e não há como tirar tudo da escola durante o período de férias escolares. Para tentar evitar novos acessos, as portas tiveram a estrutura reforçada. Além disso, uma equipe da Guarda Municipal fica no local à noite e faz rondas durante o dia, quando também há presença de trabalhadores da obra.

— Agradecimento à Guarda porque sei que estão com contingente muito pequeno, mas estão disponibilizando para a escola de noite — declarou a diretora.

O serviço que começou em setembro deve seguir até o início do ano letivo de 2020. A reabertura ao público está prevista para 20 de janeiro. Antes disso, o local deve voltar a ter movimento de funcionários, professores e alunos. É que haverá período de matrículas para o 1º ano de 3 a 20 de janeiro, das 8h30min às 11h30min, mas elas devem ocorrer no ginásio.

Inicialmente, seria feita uma reforma no telhado, forro, parte elétrica e assoalho em um dos prédios. Porém, quando o trabalho começou, foi constatado que havia problema na sustentação das paredes. Daí, foi feito um aditivo no contrato e praticamente todo o prédio foi demolido. Em função disso, todos os materiais da escola estão no primeiro prédio. A fase agora é de reconstrução das paredes. O valor do investimento passou de R$ 740 mil para cerca de R$ 1,1 milhão. 

Leia também
Bancos, shoppings e mercados: confira o que abre e fecha no feriado de Natal em Caxias do Sul

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros