Polícia prende sete e buscas seguem a oitavo integrante de quadrilha que assaltou empresário em Gramado - Polícia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Cerco04/11/2019 | 09h47Atualizada em 04/11/2019 | 10h14

Polícia prende sete e buscas seguem a oitavo integrante de quadrilha que assaltou empresário em Gramado

Um dos fugitivos segue em matagal no interior do município

Polícia prende sete e buscas seguem a oitavo integrante de quadrilha que assaltou empresário em Gramado Tales Armiliato/Agência RBS
Após atropelarem dois policiais e troca de tiros ainda na sexta, bandidos abandonaram caminhonete com reféns dentro Foto: Tales Armiliato / Agência RBS

A Polícia Civil e a Brigada Militar fazem buscas em Gramado na manhã desta segunda-feira (4) a um oitavo integrante da quadrilha que assaltou e fez reféns um empresário de 70 anos e dois funcionários dele em um sítio no interior do município por volta das 15h da sexta-feira (1º). O trabalho da polícia já dura mais de 63 horas, desde às 19h de sexta. Desde então, houve pelo menos três confrontos com a polícia, dois policiais foram atropelados, um dos quais está em estado grave em um hospital de Caxias do Sul, sete criminosos foram presos e um oitavo integrante da quadrilha é procurado.

Dos presos, cinco foram detidos ainda no sábado e dois no domingo. Além do trio que invadiu o sítio em Gramado, outras cinco pessoas foram presas por darem apoio ao trio. Um dos assaltantes que invadiram a propriedade é o fugitivo que está sendo procurado pelos policiais.

Leia mais
"A caminhonete chegava a tremer", relata refém de sequestro em Gramado
Criminoso que tentava fugir de cerco em Gramado sequestra hóspedes de pousada

No primeiro confronto com a polícia, às 19h da sexta-feira, os assaltantes foram abordados quando saíam do sítio na caminhonete do proprietário com quatro reféns - o empresário, os dois funcionários dele e a esposa de um dos funcionários. Os criminosos atropelaram dois policiais que estavam a pé, fora da viatura. Na sequência, colidiram a caminhonete com uma viatura da Polícia Civil, houve tiroteio, e os criminosos abandonaram o veículo com os reféns dentro, fugindo a pé para um matagal. Nenhum dos reféns se feriu.

Na manhã de sábado, ocorreram as primeiras prisões. Em Taquara, um casal foi abordado pela Políca Civil. No momento da abordagem, o motorista tentou atropelar os policiais, que reagiram, atirando contra o veículo. O homem foi baleado em um dos braços e levado ao hospital. A mulher que estava com ele foi presa.

Também no sábado, foi preso um outro criminoso em Gramado, na localidade de Várzea Grande, com duas pistolas de calibre 9 milímetros. Na mesma localidade, duas mulheres foram presas.

No domingo, novo confronto no fim da tarde com a Polícia Civil e novo sequestro de reféns. Por volta das 17h30min, um homem que iria resgatar os fugitivos no matagal foi preso após confronto com a polícia, que não divulgou o local do fato. Dois delegados que participam da investigação estavam presentes, mas não se feriram. Ainda no domingo, um dos bandidos rendeu um casal em uma pousada em Gramado, no bairro Planalto, e fugiu com eles em um carro. Ao se deparar com viaturas da Brigada Militar quando estava próximo à Estrada do Caracol, ele abandonou o carro com as vítimas dentro, fugindo a pé por um matagal. Este é o fugitivo que ainda está sendo procurado. Um outro integrante da quadrilha, que participou do ataque ao sítio, foi preso também no domingo. 

Conforme o chefe do Departamento de Polícia do Interior da Polícia Civil, Joeberth Pinto Nunes, entrevista ao programa Gaúcha Atualidade, da rádio Gaúcha, o grupo já havia cometido um outro roubo em Gramado.

— Toda essa investigação iniciou-se há duas semanas, em Gramado, após o roubo à residência de uma empresária que possui negócios na Serra Gaúcha. A partir daí, começamos a monitorar essa quadrilha, que fez esse outro sequestro deste outro empresário da Serra. Foi aí que houve o atropelamento a dois policiais civis — afirma.

Confira a entrevista completa

O delegado destaca que chama atenção o fato de que a maioria dos integrantes da quadrilha não tinha histórico de registro de crimes.

— O fato que me chama atenção é que os indivíduos que integram essa quadrilha, grande parte deles, não têm sequer um registro policial. Dois deles, que são irmãos, são empresários e possuem um grande negócio na Região Metropolitana de Porto Alegre. Ainda estão sendo feitas diligências a esse respeito. Outro integrante da quadrilha, que foi tentar resgatá-los, também é empresário e possui negócios na região da Serra — afirma.

A polícia ainda vai aprofundar as investigações, para verificar se os negócios de integrantes da quadrilha se tratavam de empresas de fachada. Conforme o delegado, foi apreendida neste domingo uma grande quantidade de explosivos da quadrilha, que a polícia investiga se tem ligação com ataques a estabelecimentos bancários. Em princípio, a motivação dos criminosos para os roubos em Gramado é patrimonial -  o roubo em si, sem outras razões associadas. 

Ainda conforme Nunes, entre os integrantes da quadrilha, estão moradores de Sapucaia do Sul e Taquara. Os crimes pelos quais serão enquadrados de acordo com a participação de cada um, são tentativa de homicídio, associação criminosa, roubo majorado e porte ilegal de arma.

Leia também
Pioneiro comemora 71 anos ao teu lado
Buscas a homem desaparecido em Arroio Forromeco, entre São Vendelino e Bom Princípio, são retomadas
Chuva deve permanecer na Serra em pontos isolados nesta segunda

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros