Baleado quatro vezes, motorista de aplicativo não corre risco de morte em Caxias do Sul - Polícia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Tentativa de latrocínio19/11/2019 | 11h32Atualizada em 19/11/2019 | 17h00

Baleado quatro vezes, motorista de aplicativo não corre risco de morte em Caxias do Sul

Familiares informam que ferimentos foram superficiais

Baleado quatro vezes, motorista de aplicativo não corre risco de morte em Caxias do Sul Antonio Valiente/Agencia RBS
Após o crime, dezenas de motoristas de aplicativo se mobilizam, nesta manhã, em frente à Polícia Civil Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

Baleado quatro vezes durante um assalto nesta terça-feira (19) em  Caxias do Sul, o motorista de aplicativo Juliano de Matos Jornada, 31 anos, não corre risco de morte. Os ferimentos foram superficiais, de acordo com familiares. Ainda segundo a família, os médicos retiraram duas balas que ficaram alojadas na cabeça de Jornada, mas decidiram não remover as duas cápsulas que estão nos músculos do braço e das costas da vítima.

— Foram quatro tiros. Graças a Deus, foi tudo de raspão. (Juliano) está consciente e tranquilo. Ele falou que os criminosos pareciam estar drogados, talvez por isso tenham errado a mira — conta Maira Gabriela Jorge, casada com a vítima há oito anos.

Leia mais
Motorista de aplicativo é baleado durante assalto em Caxias do Sul

Jornada trabalha como motorista de aplicativo há um ano e essa era a primeira corrida que ele atendia nesta terça. 

— Ele começou às 6h30min e foi chamado às 6h40min. Era um assalto, porque chamaram pelo aplicativo. Durante todo tempo o ameaçaram e deixaram bem claro que iriam matá-lo. Foi muita sorte não terem conseguido — conta a esposa.

 O veículo da vítima foi recuperado pela Brigada Militar (BM) graças ao rastreador que possuía. O GPS apontou para a Rua Artur Rodolfo Rosarola, no bairro Planalto, onde dois suspeitos foram detidos: Deiviti Anderson Paim Seben, 25, e Fernando Noronha Farias, 27.

_ Eles foram autuados em flagrante por roubo majorado por lesão. Ambos possuíam antecedentes criminais e foram reconhecidos pela vítima (que estava no hospital) por foto. A mulher (de 25 anos, que também foi detida) foi autuada por receptação (do carro roubado) — esclarece a delegada plantonista Thalita Andrich, apontando que os flagrados optaram por permanecer em silêncio.

Deiviti Anderson Paim Seben, 25, e Fernando Noronha Farias, 27, foram presos pela tentativa de latrocínio contra o motorista de aplicativo Juliano de Matos Jornada, 31 anos, em Caxias do Sul.
Foto: Brigada Militar / Divulgação

De acordo com a BM, ambos os presos deveriam estar cumprindo prisão domiciliar. Seben progrediu de regime em abril e possui antecedentes por tráfico de drogas, furtos e ameaças. Já Farias estava em prisão domiciliar desde outubro de 2018 e possui antecedentes por homicídio, roubo de veículo e porte ilegal de arma de fogo.

Após o crime, dezenas de motoristas de aplicativo se mobilizaram em frente à Central de Polícia, no bairro Jardim Margarida, e buscaram apoio na Câmara de Vereadores. A intenção é pedir mudanças na legislação municipal, possibilitando mais segurança aos profissionais.

— Queremos que as plataformas ofereçam ferramentas de proteção, como mostrar a foto do passageiro e o destino da viagem, antes de aceitarmos a corrida. É algo que já acontece em Porto Alegre e queremos para a nossa região. Precisamos destas ações preventivas — argumenta o motorista Maiquel Borba. 

Leia também
Moradora de Caxias tem casa no Litoral vendida por casal que alugou imóvel
Morador de Nova Petrópolis vence reality de cutelaria do History Channel
Sol predomina na maior parte da Serra nesta terça-feira

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros