"Ele dizia para eu ficar quieta", relata refém de homem que matou jovem em Caxias do Sul - Polícia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Assassinato20/10/2019 | 21h38Atualizada em 20/10/2019 | 21h38

"Ele dizia para eu ficar quieta", relata refém de homem que matou jovem em Caxias do Sul

Exame preliminar indica que Nayara Mello, 20 anos, foi asfixiada

"Ele dizia para eu ficar quieta", relata refém de homem que matou jovem em Caxias do Sul Rosane Neitzke / Divulgação/Divulgação
Corpo foi encontrado no quarto de uma casa na rua Vinte de Setembro, no centro de Caxias do Sul Foto: Rosane Neitzke / Divulgação / Divulgação
Pioneiro
Pioneiro

Nayara Medeiros de Mello, 20 anos, morreu asfixiada na tarde da última sexta-feira (18), segundo conclusão preliminar do exame de necropsia. O corpo da jovem foi encontrado no quarto de uma residência na Rua Vinte de Setembro, no Centro, momentos depois do crime, sem sinais visíveis de violência. O autor fugiu do local e ainda não foi identificado pela polícia.

Conforme o delegado plantonista Ives Trindade, Nayara morava em Santa Maria e chegou a Caxias do Sul na sexta-feira, quando se hospedou na casa, localizada a duas quadras da rodoviária.

Leia mais
Homem mata mulher de 20 anos dentro de casa no centro de Caxias do Sul
"Foi a hora mais longa da minha vida", conta bombeiro que teve a filha levada por ladrão durante assalto
Disputa entre índios envolveria uso de drone para planejar ataque com tiros de fuzil em tribo no noroeste do RS

Trindade afirma que o autor do crime chegou no local por volta das 17h e foi recebido por Nayara. Em seguida, os dois foram para um quarto. Uma hora mais tarde, o homem saiu do cômodo e perguntou às três mulheres que estavam na cozinha onde ficava o banheiro. No caminho, ele sacou uma faca e rendeu uma das mulheres e a levou até o quarto onde estava o corpo.

— Quando cheguei lá, vi que a menina já estava morta. Ele dizia fica quieta, se não vou te matar —  relata a vítima, de 40 anos, que solicitou à reportagem para não ser identificada.

A testemunha relata que, quando viu o corpo, começou a brigar com o agressor e foi derrubada no chão. Com o barulho, as outras mulheres que estavam na casa foram para a rua gritar por socorro. Na confusão, o homem acabou fugindo, levando junto a faca.

— Eu nunca tinha visto ele e não sei informar se ele já conhecia ela (Nayara) — completa a mulher.

De acordo com os relatos, as outras mulheres que estavam na casa não ouviram gritos ou pedidos de socorro de Nayara enquanto ela estava no quarto com o autor do crime. Um homem que estava no andar inferior da moradia relatou à reportagem que ouviu gritos, mas não soube dizer se eram de Nayara ou das outras pessoas.

O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios e Desaparecidos de Caxias do Sul.

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros