Polícia trata como latrocínio a morte de mulher a facadas em Caxias, mas não descarta outras possibilidades - Polícia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Investigação12/09/2019 | 12h07Atualizada em 12/09/2019 | 16h26

Polícia trata como latrocínio a morte de mulher a facadas em Caxias, mas não descarta outras possibilidades

Imagens de câmeras de segurança de locais próximo ao crime serão analisadas 

Polícia trata como latrocínio a morte de mulher a facadas em Caxias, mas não descarta outras possibilidades Lucas Amorelli/Agencia RBS
Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

A Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) ouviu​, na manhã desta quinta-feira (12), os primeiros depoimentos na tentativa de buscar esclarecer a​motivação e a autoria do assassinato registrado por volta das 5h50​min desta quinta na Rua Carlos Cesa, no loteamento Sanvitto, em Caxias do Sul. O caso está sendo tratado inicialmente pela polícia como latrocínio. Na ocorrência, Eliane Paula Mazzochini, 45 anos, foi morta a facadas após descer de um ônibus. 

Leia mais
Mulher é morta a facadas e Caxias registra 60 assassinatos no ano   

​De acordo com informações iniciais repassadas pela polícia, ela foi abordada por um homem que roubou a sua bolsa. Ao tentar resistir ao assalto, foi atingida com quatro golpes de faca no lado esquerdo do abdômen. O assassinato ​de Eliane teria sido presenciado por um frentista que estava trabalhando em um posto de gasolina. 

Eliane chegou a ser socorrida por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas não resistiu aos ferimentos e morreu a caminho do hospital.  

Ao longo desta manhã, os agentes da Draco ouviram testemunhas no posto situado nas proximidades e na malharia onde a vítima trabalhava. Imagens de câmeras de segurança ​dos estabelecimentos comerciais serão analisadas pela polícia para buscar identificar o autor do crime.  

Para o titular da Draco, Adriano Linhares, apesar da primeira linha de investigação ser de latrocínio, outras possibilidades não estão descartadas:

— Os elementos que temos indicam que seja um latrocínio, mas no momento não vamos descartar nada.  

Com esta morte, Caxias do Sul registra quatro latrocínios no ano, e 60 mortes violentas em 2019. Os outros casos de roubo seguido de morte foram registrados em março, julho e agosto. As vítimas foram Darci Alves de Brito, 68 anos,  Maicon da Silva, 29 anos, e Luis Francisco Borges, 62 anos. 

Leia também
Advogada feita refém com o filho de oito anos relata momentos de pânico em Caxias do Sul 
Jovem é baleado enquanto assistia a partida de futebol em Caxias
Após ter carro arrombado e objetos furtados, homem persegue e imobiliza suspeito em Caxias  

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros