Mulher é indiciada por oito golpes do falso de aluguel da casa de praia, em Vacaria - Polícia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Pela internet07/09/2019 | 19h23Atualizada em 07/09/2019 | 19h23

Mulher é indiciada por oito golpes do falso de aluguel da casa de praia, em Vacaria

Crime de estelionato consumado tem pena prevista entre um e cinco anos de reclusão

Pioneiro
Pioneiro

Uma mulher de 41 anos foi indiciada por oito golpes do falso de aluguel de casas nas praias. A investigação foi feita pela Delegacia de Vacaria, mas o estelionato também fez vítimas em Caxias do Sul, São Leopoldo e Torres. Os crimes aconteceram entre novembro e dezembro de 2018 e os inquérito policiais foram remetidos à Justiça nessa sexta-feira (6).

O golpe consistia em anúncio nas redes sociais sobre o aluguel de casas nas praias de Torres e Arroio do Sal. As negociações aconteciam pela internet e o anunciante exigia um depósito bancário antecipado. Quando chegavam na praia, as vítimas descobriam que as casas não estavam para alugar ou sequer existiam — e percebiam que haviam caído em um golpe.

Leia mais
Grávida ferida em incêndio criminoso de ônibus em Canoas recebe alta de hospital
Mais de uma tonelada de maconha é encontrada em caminhão no norte do RS
Polícia investiga se grupo que atirou contra policiais e fez reféns se preparava para assalto no sul do RS

A investigação de Vacaria identificou uma mulher de 41 anos como sendo a titular da conta bancária para onde o dinheiro destas vítimas era transferido. A quebra de sigilo de dados bancários, que foi autorizada pela Justiça, mostrou inúmeros depósitos que confirmaram a prática dos golpes.

Ao ser interrogada na delegacia de Vacaria, a investigada negou a prática dos crimes e alegou que era o seu marido, que está recolhido no Presídio Regional de Caxias do Sul,  quem utilizava a sua conta bancária. Ela foi indiciada por oito crimes de estelionato consumado, que tem pena prevista entre um e cinco anos de reclusão. 

O que fazer se cair no golpe:

— Antes de tudo, para que o crime de estelionato fique comprovado, é preciso demonstrar que o autor obteve vantagem prejudicando outra pessoa por meio de esquema que a induziu ao erro. Se esse é o seu caso, é hora de começar a buscar seus direitos.

— Junte todas as provas: de acordo com advogados especializados em estelionato, a primeira coisa a se fazer é juntar todos os documentos que comprovem a ilegalidade. Exemplos são recibos de pagamentos, comprovantes de depósitos, nota promissória e cheque. Além disso, se houver conversas por mensagens de celular, aplicativos de chat ou redes sociais, é importante que a vítima as salve, já que isso também pode ser usado como prova.

— Entre com uma ação: com as provas em mão, a vítima pode buscar uma delegacia de registrar um boletim de ocorrência. Em seguida, deve registrar a fraude no Procon e também entrar com uma ação contra o autor no Juizado Especial de Civil (JEC), desde que a causa seja de até 40 salários mínimos.

Fonte: Site Mundo Advogados

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros