Idosa perde R$ 20 mil em golpe do bilhete premiado em Caxias - Polícia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Estelionato25/09/2019 | 09h02

Idosa perde R$ 20 mil em golpe do bilhete premiado em Caxias

Ela esperava em um ponto de ônibus quando foi abordada por um casal

Pioneiro
Pioneiro

Um mulher de 76 anos foi vítima de estelionato e perdeu R$ 20 mil após cair no golpe do bilhete premiado em Caxias do Sul. O crime ocorreu por volta das 14h30min da última segunda-feira (23), mas ela só procurou a Delegacia de Polícia por volta da 17h desta terça-feira (24) para registrar ocorrência. 

Segundo o registro policial, a senhora estava esperando em um ponto de ônibus na Rua Evaristo de Antoni quando foi abordada por um casal que alegava ter um bilhete premiado. Após uma conversa inicial, eles acompanharam a mulher até uma agência do Banco do Brasil, onde foram realizados saques e outras transferências.

Ainda de acordo com o boletim de ocorrência, o casal entregou à idosa uma necessaire trancada com um cadeado, em que estaria o bilhete premiado. Conforme a idosa, o homem era moreno e aparentava ter 30 anos; a mulher também era morena e usava roupas pretas.

 CONFIRA COMO FUNCIONA O GOLPE DO BILHETE PREMIADO:

 1. O primeiro a aparecer é o "coitado", que é uma pessoa malvestida, de fala simples e que se diz do interior. Na Serra, é mais comum a figura do colono. É ele quem escolhe o alvo (a preferência é por pessoas idosas caminhando distraidamente) e o aborda, pois está procurando por algo, seja um endereço ou uma pessoa, e precisa de ajuda. A missão do coitado é despertar o sentimento de pena na vítima.

 2. Apenas após conquistar a simpatia da vítima, o "coitado"conta sobre o bilhete premiado. É neste momento que o segundo "ator" aparece. Ele é uma "pessoa de bem", que está bem vestida (geralmente de terno), tem boa fala e se apresenta como um advogado ou outra profissão de respeito. Ele oferece ajuda para o "coitado", que demonstra gratidão e oferece uma recompensa a estas duas pessoas que estão prestando o auxílio.

 3. Existem várias desculpas inventadas pelos golpistas, mas a mais comum é que o "coitado"não tem documentos para retirar o prêmio e, por isso, precisa de ajuda para fazer o saque. A "pessoa de bem" intervém e sugere uma prova de confiança. Os três entram no carro da "pessoa de bem"— um veículo grande e bonito — e ele busca uma maleta com muito dinheiro — que é falso.

 4. Na sequência, é a vez da vítima provar que é confiável e, para isso, os golpistas a levam até em casa ou no banco para buscar suas economias. Os estelionatários, inclusive, recomendam para a vítima dizer no caixa do banco que quer tirar o dinheiro para uma reforma ou comprar remédios. Os criminosos não entram no banco, afinal este tem câmeras.

 5. Após terem certeza que a vítima não tem mais dinheiro para oferecer, o que pode levar horas de "convivência", o "coitado" começa a passar mal. A intenção é que a vítima desça do carro e deixe o dinheiro. Para isso, os golpistas sugerem a compra de uma água, comida ou remédio.

 6. Quando a vítima retorna, os golpistas já fugiram. Muitos demoram para entender que foram vítimas de golpes. Por vergonha, diversos golpes não são denunciados à polícia, o que dificulta a identificação e prisão dos estelionatários.  

Leia também
Morador de rua é esfaqueado em Caxias
Mulher e dois homens são baleados no intervalo de uma hora na zona norte de Caxias

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros